Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Patriots e LA Rams reeditam final de 2002 em busca do título da NFL num estádio de 1,5 mil milhões de dólares

Decisão da temporada da liga americana de futebol americano será este domingo em Atlanta. O estádio tem 73 mil lugares, teto retrátil, ecrã em 360° e terá 1.264 torneiras de imperiais para os espectadores em 673 pontos. Nos palcos que viram Michael Jackson, Rolling Stones e Paul McCartney, os Maroon 5 farão o show principal. A "Imperatriz do Soul" Gladys Knight volta à cidade natal e cantará o hino americano, tradição no maior evento desportivo dos EUA

Carol Fontes

Kevin C. Cox/Getty

Partilhar

Este domingo será um dia sagrado para os entusiastas do futebol americano. É dia de torcer pelos New England Patriots ou Los Angeles Rams no Super Bowl 53, a grande final da NFL, a principal liga de futebol americano dos Estados Unidos. As equipas medem forças no Mercedes-Benz Stadium, casa dos Atlanta Falcons, da NFL, e do Atlanta United FC, da Major League Soccer, em Atlanta, na Geórgia. O moderno estádio, aberto em agosto de 2017, tem capacidade para 73 mil pessoas e custou 1,5 mil milhões de dólares. O "show do intervalo" com Adam Levine, a tela panorâmica ao redor do relvado e as 1.264 torneiras de cerveja são outras atrações.

Esta será a primeira decisão da NFL no estádio e a terceira em Atlanta, depois da vitória dos Dallas Cowboys sobre os Buffalo Bills, em 1994, e do título dos St. Louis Rams sobre os Tennessee Titans, em 2000, ambas no Georgia Dome.

Os dois campeões das conferências da NFL no ano, Patriots e Rams asseguraram a vaga para a partida decisiva ao vencerem fora de casa e no prolongamento os Kansas City Chiefs e os New Orleans Saints. As equipas entram em campo pelo Super Bowl LIII, a 53ª edição da disputa, às 22h30, 18h30 locais, com transmissão na Eleven Sports.

Reencontro, 17 anos depois

O embate é uma reedição da final de 2002, quando um jovem de 24 anos, Thomas Edward Patrick Brady, ou simplesmente Tom Brady, deu um importante passo na sua carreira. Além de ter sido uma peça-chave na campanha do título, ele foi também considerado o MVP do jogo, feito que se repetiu em 2004, 2005, 2015 e 2017. Esta será a sua nona participação a defender a camisola dos New England Patriots.

"Papa títulos"

Titular absoluto dos Patriots desde 2001, eleito quatro vezes o jogador mais valioso das finais (2002, 2004, 2015 e 2017) e premiado três vezes como o MVP de temporada regular (2007, 2010 e 2017), Brady jogou a sua primeira decisão do campeonato em 3 de fevereiro de 2002. O americano, casado com a modelo brasileira Gisele Bündchen, foi selecionado pela franquia na sexta ronda do Draft de 2000 da NFL e liderou os Pats em oito decisões, um recorde na liga.

Pentacampeão do Super Bowl (XXXVI, XXXVIII, XXXIX, XLIX e LI), o jogador de 41 anos superou a marca de Terry Bradshaw e Joe Montana, com quatro títulos cada. Entre outros feitos de Brady, estão o recorde de passes para touchdown em Super Bowls (18) e em jogos de pós-temporada (71).

Instagram

Passagem de bastão?

Os New England Patriots buscam o seu sexto na era de Bill Belichick, de 66 anos, treinador principal dos Pats desde 2000. Os cinco títulos vieram com Tom Brady como quarterback. Os Los Angeles Rams, por sua vez, não volta a uma final de Super Bowl desde a primeira temporada vitoriosa de Brady.

É a oportunidade de ouro para Sean McVay trilhar um caminho semelhante ao de Belichick nos relvados, o que poderia resultar numa simbólica passagem de bastão. Contratado para o comando dos Rams em 2017, aos 30, McVay tornou-se o treinador mais novo da NFL moderna. A mostra não poderia ser mais conveniente: afinal, o Super Bowl é mais do que um jogo, é uma tradição patriótica dos Estados Unidos.

Brady festeja vitória dos Patriots no Super Bowl

Brady festeja vitória dos Patriots no Super Bowl

TIMOTHY A. CLARY

Visão em 360°

Os adeptos da National Football League terão a chance de ver os lances da partida numa tela de 5.750m², a completar um giro em 360° pelo estádio. O teto retrátil, pronto apenas um ano depois da inauguração, evita os riscos de paralisação pela chuva ou pelo mau tempo. Só a Câmara de Atlanta gastou 200 milhões de dólares nas obras.

O estádio tem a largura de e 355 metros e a altura de 92 metros, o equivalente a um prédio de 30 andares. O espaço, iluminado por 460 lâmpadas de led, foi erguido numa área de 185.806 m². Para facilitar a locomoção do público, foram instaladas 25 escadas e 20 elevadores. Entre os 673 pontos de venda de bebida e comida, estão 24 bares e restaurantes, com mais de mil bocas de cerveja.

Embora este seja o mais caro da NFL, atualmente, há outros projetos de estádios que ultrapassam o valor de 1,6 mil milhões gastos em Atlanta: as arenas dos Rams, dos Los Angeles Chargers e o futuro estádio dos Las Vegas Raiders (ainda Oakland Raiders) terão custo superior. Em Vegas, será de 2,4 mil milhões de dólares, enquanto o de Los Angeles deverá ser de 2,66 mil milhões de dólares.

Palco de estrelas

O maior evento desportivo e de audiência televisiva do país movimenta milhões em publicidade e acabou por se transformar num espetáculo de entretenimento. No intervalo da partida, o show atrai ainda mais espectadores. Desta vez, os Maroon 5, banda liderada por Adam Levine, serão os protagonistas do concerto, com as participações dos rappers Travis Scott e Big Boi.

Gladys Knight, de 74 anos, conhecida como a "Imperatriz do Soul" e vencedora de sete prémios Grammy, foi escolhida para ser a voz do hino americano, posto anteriormente ocupado por cantoras como Beyoncé, Diana Ross, Cher, Whitney Houston e Lady Gaga. Outros a passarem pelos palcos do Super Bowl foram Rolling Stones, Michael Jackson, Prince, Madonna, Lenny Kravitz, Katy Perry, Bruno Mars, Red Hot Chili Peppers, The Who, U2 e Paul McCartney.