Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Mike Trout, o basebolista alérgico à fama que vai ter o maior contrato da história do desporto

São 430 milhões de dólares, quase 380 milhões de euros, e 12 anos de contrato: a renovação pelos Los Angeles Angels vai tornar Mike Trout no proprietário de um contrato sem precedentes no desporto mundial. Ele que é um dos mais completos e consistentes jogadores da história, mas recusa o estrelato. É apaixonado por fenómenos meteorológicos, gosta de pescar e caçar e foge a sete pés de entrevistas e câmaras

Lídia Paralta Gomes

Icon Sportswire/Getty

Partilhar

Quem leu o livro ou viu o filme “Moneyball” sabe que o basebol é um desporto feito de muitos números, muitos cálculos e muitas estatísticas esquisitas. Uma delas chama-se WAR, que no mundo desta modalidade nada tem que ver com guerra, mas é sim a sigla para Wins Above Replacement.

A estatística WAR estima, com uma exatidão de ourives, o número total de vitórias extra que uma equipa terá com um dado jogador, em comparação com um replacement-level player (ou seja, um jogador abaixo da média) na mesma posição. Quão decisivo é um jogador específico para uma equipa, portanto.

Dizem os especialistas que o WAR é a melhor maneira de se ver a excelência de um jogador em determinada temporada. E se por estes dias há alguém com um WAR de excelência, esse alguém chama-se Mike Trout. O jogador dos Los Angeles Angels é 2.º na lista de melhor média de WAR na história, apenas atrás de um tal de Babe Ruth, para muitos o melhor basebolista da história.

E é por causa de números como estes que Mike Trout vai em breve tornar-se no feliz proprietário daquele que será, em termos globais, o maior contrato da história do desporto. Diz a ESPN que o outfielder de 27 anos, para muitos o mais consistente e completo jogador do basebol atual, um jogador sem falhas e com condições para, no futuro, entrar nas contas pelo título de melhor de sempre, vai assinar a renovação de contrato com os Angels por 12 temporadas, pelo astronómico valor de 430 milhões de dólares (quase 380 milhões de euros).

O acordo surge poucas semanas depois de Bryce Harper, também da MLB, assinar pelos Philadelphia Phillies por 13 anos e 290 milhões de euros. O contrato de Mike Trout, duas vezes MVP da American League, uma das duas ligas que formam a Major League Baseball, e que ao longo da carreira bateu 240 home runs em 1065 jogos, vai valer-lhe 31,7 milhões de euros por ano, mais do que, por exemplo, Cristiano Ronaldo, que ganha 30 milhões por ano na Juventus.

Alérgico à fama

Tornar-se de repente notícia por ser o dono de um contrato estratosférico poderá parecer demasiado para um atleta que está longe de ser uma estrela global. Mesmo dentro do cosmos onde gravita o basebol, nas Américas e no Japão, Mike Trout é visto como um miúdo simples, pouco dado a campanhas de marketing, a essa coisa da fama - mesmo quem nada percebe de basebol talvez já tenha ouvido falar dos nomes de Alex Rodríguez ou Derek Jeter; Trout, nesta lista de celebridades, aparece como um ilustre desconhecido, cujas camisolas nem sequer estão no top 10 das mais vendidas da liga.

Ajuda, talvez, que Rodríguez e Jeter tenham jogado na equipa de basebol mais famosa do planeta, os New York Yankees, e que, nos seus tempos no ativo, passassem a off-season a gravar spots publicitários para a TV. Já Trout foge das câmaras a sete pés. De acordo com o Los Angeles Times, a estrela dos Angels já recusou entrevistas e especiais para diversos canais de televisão, inclusivamente para o histórico programa “60 minutes”. O seu perfil de Instagram não tem mais de 1,5 milhões de seguidores - LeBron James, por exemplo, tem quase 48 milhões de seguidores.

Rob Carr/Getty

Durante o inverno, quando a MLB está parada, Trout gosta de passar tempo com a família, de pescar e caçar, além de acompanhar a sua equipa do coração na NFL, os Philadelphia Eagles.

Mas a sua grande paixão é outra. E estranha: Mike Trout é um apaixonado por fenómenos meteorológicos. Na sua página de Twitter escreve frequentemente sobre tornados, tempestades e ciclones e em 2016 chegou mesmo a entrar em direto para o canal Weather Channel para atualizar os meteorologistas sobre um nevão na sua cidade natal, Millville, no estado de New Jersey.

Certo também é que há uma coisa chamada “títulos” e que essa coisa não insignificante ainda separa Trout de Rodríguez e Jeter. Apesar de ser, consistentemente, um dos melhores jogadores da MLB dos últimos anos, Mike Trout não tem conseguido tirar os Angels da mediania. A equipa de Los Angeles só se qualificou para os playoffs uma vez desde 2011 e Trout apenas jogou três jogos na fase a eliminar. Não ganhou nem um. Jeter, por seu turno, acabou a carreira com cinco títulos nas World Series. Rodríguez ganhou em 2009.

O maior mas não o mais rentável

Os quase 380 milhões de euros que valem a renovação com os Angels fazem do contrato de Trout o maior do desporto. Embora, feitas as contas, seja difícil dizer que se trata do mais rentável. De acordo com documentos divulgados pelo “Football Leaks”, a última renovação de contrato de Lionel Messi, até 2021, deixou o argentino do Barcelona com um salário na ordem dos 50 milhões de euros anuais, bem mais do que Trout vai ganhar por ano durante o seu novo contrato.

Já o pugilista Canelo Alvarez assinou em 2018 um contrato com a plataforma de transmissão de conteúdos desportivos DAZN no valor de 321 milhões de euros, para 11 combates nos próximos cinco anos.

Falando de outro pugilista, Floyd Mayweather terá ganho qualquer coisa como 265 milhões de euros por um único combate, em 2017, frente a Conor McGregor.