Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

O ter sido um mau exemplo faz dele um bom exemplo: Tiger Woods

Só somos verdadeiramente imortais quando conquistámos algo para aqueles que mais amamos. Luís Cristóvão explica porquê

LUÍS CRISTÓVÃO

LUCY NICHOLSON

Partilhar

Tiger Woods ainda tinha algo a dizer antes que nos esquecêssemos todos dele. Porque existem homens cuja missão é comprovar que a grandeza se constrói através de uma sucessão de episódios que envolvem drama e sofrimento entre os momentos de extrema felicidade. O menino prodígio tornou-se o melhor golfista de todos os tempos, caiu em desgraça, foi declarado acabado por uma sucessão de operações às costas e, 22 anos depois de ter vencido o seu primeiro Masters, repetiu o feito este fim de semana.

Tiger Woods avança, de costas curvadas, em direção ao seu filho, abraçando-o no momento do festejo do seu quinto Masters. Uma imagem que se cruza com uma outra, com mais de duas décadas, onde um bem mais jovem Tiger é envolvido pelos braços do seu pai, Earl Woods, um antigo militar que o tinha iniciado na modalidade desde muito jovem. Tiger Woods é conhecido como um prodígio do golfe deste os três anos de idade, o que lhe valeu aparições na televisão nacional e nas capas de revista.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. Pode usar a app do Expresso - iOS e Android - para descarregar as edições para leitura offline)