Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

A diferença num Masters outonal: há trovoada e chuva, não há golfe

O Masters de Augusta começou esta madrugada, na Geórgia, nos EUA, mas não demorou muito a ser interrompido, devido à tempestade que assola a região

Mariana Cabral

Jamie Squire

Partilhar

Ainda nem se via o sol quando Jack Nicklaus e Gary Player, dois históricos do golfe, apareceram no Augusta National para cumprir a tradição do honorary starter, isto é, para efetuar as tacadas de saída daquela que é a 84.ª edição do Masters, este ano em tons de outono e não de primavera, devido à pandemia de covid-19, que obrigou a que o torneio fosse adiado.

Mas depois das palmas que se ouviram para ambos os ex-vencedores do Masters - Nicklaus conquistou a prova em seis ocasiões (é recordista) e Player em três - o ruído que se sobrepôs foi bem mais negativo: trovoada e chuva.

O torneio ainda começou, mas, cerca de meia-hora depois, pelas 7h30 locais, teve de ser interrompido, já que o tempo ameaçava quem andava pelo campo, tanto golfistas como convidados - a porta apenas se abriu para cerca de 500 pessoas, entre famílias e membros do clube de Augusta, já que a presença de público não foi permitida.

O Masters, que é uma das quatro mais importantes provas do calendário internacional de golfe, continuará à tarde, a partir das 18h portuguesas (na SportTV4) - e decorrerá até domingo.

O atual campeão é Tiger Woods, que já ganhou o torneio cinco vezes e é novamente um dos candidatos à vitória este ano - mesmo errático, consegue sempre surpreender, precisamente como em 2019.

Sergio Garcia testa positivo à covid-19 e fica fora do Masters

O golfista espanhol, que venceu o Masters em 2017, tem covid-19 e não poderá participar no torneio que começa quinta-feira em Augusta