Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Sara Moreira acabou em 2.º, mas é campeã nacional dos 10.000 metros porque Salomé Rocha calçou sapatos de corrida irregulares

A atleta do Sporting conquistou o título nacional apesar de ter acabado no 2.º lugar da prova dos 10.000 metros na sexta-feira, porque a companheira de equipa Salomé Rocha, a mais rápida a completar a distância, utilizou calçado não homologado e foi desclassificada. "Não queremos, de forma alguma, conquistar algo de forma ilegal", admitiu o seu treinador, ao garantir que não vão contestar a decisão

Lusa

Sara Moreira a cortar a meta na prova da meia-maratona nos Europeus de Atletismo de 2016

Matthias Schrader

Partilhar

Carla Salomé Rocha, do Sporting, foi este sábado desclassificada pela Federação Portuguesa de Atletismo (FPA) da prova dos 10.000 metros dos campeonatos de Portugal, disputada na sexta-feira, com o título a ser entregue à sua companheira de equipa Sara Moreira.

De acordo com um comunicado da FPA, no final da corrida, disputada na Pista Municipal da Maia, “constatou-se uma situação que viola a regra 5 (utilização de calçado homologado) da World Athletics, prontamente esclarecida pela atleta Salomé Rocha e pelo seu treinador, Rui Ferreira”.

“Inadvertidamente, utilizou um modelo de sapatos de corrida que não está homologado para provas de pista (...) o que implica a desclassificação e não homologação do resultado da atleta Salomé Rocha”, adianta a federação, esclarecendo que atleta e treinador “reconheceram o erro”.

Face à desclassificação de Carla Salomé Rocha, que tinha triunfado em 32.49,93 minutos, é “considerada campeã de Portugal de 10.000 metros da época 2019/2020 a sportinguista Sara Moreira (33.04,94 minutos), seguida de Carla Martinho, do Recreio de Águeda (34.19,72), e Sara Duarte, do S. João da Serra (35.19,34)”.

Na competição masculina, a vitória foi de Samuel Barata, do Benfica, que se sagrou campeão pela segunda vez, depois do título conseguido em 2015, ao completar a distância em 28.30,73 minutos.