Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Modalidades

Sénior Bowl: os quarentões Tom Brady e Drew Brees esperaram 20 anos para se encontrarem nos playoffs da NFL

Tom Brady tem 43 anos, Drew Brees acabou de fazer 42. São dois dos melhores quarterbacks da história da NFL, entre eles há sete títulos e no próximo domingo (23h40, Eleven2) vão encontrar-se pela primeira vez na fase a eliminar da liga. E provavelmente pela última, numa história que percorreu quatro décadas

Lídia Paralta Gomes

Icon Sportswire/Getty

Partilhar

Tom Brady tem aquele semblante de quem nos vai gentilmente fulminar só com o olhar - e talvez seja por isso que tem seis Super Bowls no currículo - mas a sua frieza intimidatória esconde, afinal, algum humor. Quando se soube que os Tampa Bay Buccaneers iriam dar de caras com os New Orleans Saints na divisional round (na prática uma 2.ª ronda) dos playoffs da NFL, Brady, que esta temporada deixou New England para jogar na Flórida, colocou no Twitter uma curiosa foto.

Nela, surge Brady, cabelos brancos e longa barba, numa gradação de cores entre o cinza e o branco, e ao lado Drew Brees, o quarterback dos Saints, careca, bem mais do que é atuamente, também ele com uma barba que denuncia a inclemente passagem do tempo. Entre os dois, o símbolo do canal História.

Os duelos de Brady e Brees poderiam de facto já ser transmitidos no canal História, até porque entre o primeiro e o próximo, no domingo, caminhámos por quatro décadas, quatro décadas sim, mas eles continuam contemporâneos, bem contemporâneos. Quando no domingo subirem ao relvado do Mercedes-Benz Superdome de New Orleans, Brady e Brees serão os quarterbacks mais velhos da história da NFL a disputarem um jogo de playoffs: Tom Brady fez 43 anos em agosto e Brees chegará ao jogo com 42 recém-cumpridos. São 85 anos contados entre dois dos maiores jogadores da história do futebol americano, dois quarentões ainda em forma, ainda dos melhores no métier de fazer rolar o jogo da oval e que, depois de todos estes anos, se vão encontrar pela primeira vez na fase a eliminar da liga, duas décadas depois de ambos chegarem à NFL.

Um jogo de recordes

É preciso recuar até 1999 para ver o primeiro confronto entre os dois QBs. Eram então ainda jogadores universitários, Brady na Universidade de Michigan e Brees em Purdue. Na altura, Brady venceu mas ninguém prestou particular atenção ao jogo ou aos dois timoneiros - na verdade, de nenhum deles se esperavam grandes coisas na hora do profissionalismo já que os olheiros duvidavam da capacidade atlética de ambos.

Brady seria o primeiro a chegar à NFL, no ano seguinte, chamado apenas à 6.ª ronda, na 199 posição do draft. Brees aterraria na liga no ano seguinte: foi apenas a 32.ª escolha, já na 2.ª ronda.

Brady deixou os Patriots ao fim de 20 anos e está agora nos Buccaneers de Tampa Bay

Brady deixou os Patriots ao fim de 20 anos e está agora nos Buccaneers de Tampa Bay

Patrick Smith/Getty

Hoje, os dois são os donos dos mais importantes recordes da NFL. Para lá da longevidade de ambos, também ela recordista, Tom Brady é o jogador com mais passes para touchdown da história da NFL. No total, são 581 tiros teleguiados para colegas chegarem à endzone e marcarem para a equipa, num jogo em que a assistência é tão ou mais importante do que o, digamos, golo. Drew Brees tem apenas menos 10 passes: 571. Os dois jogadores andaram, aliás, num curioso jogo de gato e o rato durante esta temporada, trocando a liderança da lista conforme os jogos lhes iam correndo melhor ou pior, com Brady a tomar a dianteira quando Brees foi obrigado a parar alguns jogos devido a lesão.

O quarterback texano ganha, no entanto, noutra das estatísticas fundamentais do jogo, numa modalidade em que os números não são tudo, mas são muita coisa: é o jogador que passou para o maior número de jardas (80.358). Brady aparece num muito próximo 2.º lugar, com 79.204 jardas.

No confronto direto, Brees leva vantagem sobre Brady: em sete jogos, venceu cinco, perdeu dois. O que não quer dizer muito quando Tom Brady arrasa no que verdadeiramente interessa. O californiano tem seis títulos da NFL, o último dos quais em 2019, quando se tornou no QB mais velho da história a vencer o Super Bowl. Já Brees tem apenas um título, em 2010, já pelos Saints, depois de ter começado a carreira nos San Diego Chargers.

Ambos evoluíram à revelia das previsões de quem vê nos jogadores de futebol americano apenas e somente prodígios físicos. Enquanto quarterbacks mais fortes e mais rápidos foram passando pela NFL sem deixar história ou rastro, o profissionalismo, a capacidade mental, o foco, a inteligência e raciocínio rápido de Brady e Brees fizeram-nos chegar aqui, ao dia em que temos dois homens na casa dos quarenta a jogar ao mais alto nível num desporto de desgaste rápido.

Um duelo “inevitável”

Desde que Brees se mudou para os Saints, em 2006, que Brady e Brees deixaram de jogar na mesma conferência e por isso o destino de ambos raramente se encontrou. Mas com a saída de Brady dos Patriots para os Bucs o duelo tornou-se, e assim o catalogou Brees, “inevitável”, já que ambos passaram a jogar não só na mesma conferência, a NFC, como na mesma divisão, a NFC South, que os Saints têm dominado nos últimos anos.

A coincidência garantiu desde logo dois confrontos na fase regular: Tom Brady, rapaz pouco habituado a derrotas, perdeu os dois.

Drew Brees deverá deixar a NFL no final desta temporada

Drew Brees deverá deixar a NFL no final desta temporada

Sean Gardner/Getty

“No momento em que o Brady assinou com os Bucs e chegou à nossa divisão percebi logo que eles iriam ser a equipa com quem íamos lutar. Seria uma equipa para ter aspirações nos playoffs e até mais que isso, tal como nós”, sublinhou Brees em declarações à ESPN. E nos Bucs isso quer dizer muito: antes da chegada de Brady, a equipa de Tampa Bay não chegava aos playoffs desde 2007. O último e único título é já longínquo, na temporada de 2002.

Sobre Tom Brady já é difícil fazer projeções: dono de uma disciplina férrea, em que toda a importância é dada ao descanso e alimentação, aos 43 anos o mítico quarterback parece imortal e não tem planos no imediato para se retirar. Já Brees deverá estar mesmo na última temporada na liga - diz-se nos Estados Unidos que vai deixar o campo e assumir um lugar nas cabines de televisão, como comentador. Este será assim muito provavelmente o último encontro entre dois campeões que o jogo tornou amigos.

“O Tom e eu temos uma grande amizade e respeito mútuo. Temos trocado mensagens para a frente e para trás desde segunda-feira, atirando cenários para o jogo”, revelou Brees em declarações publicadas no site oficial da NFL.

Brady tem nestes playoffs, e no domingo em particular, um desafio único. O QB passou 20 anos na mesma equipa, os New England Patriots, e 20 anos a jogar para Bill Belichick. Esta temporada, numa nova organização, com um novo treinador e novos colegas, tem vindo em crescendo. E o humor, esse, parece ter ficado mais refinado na Flórida.

“O Brees é muito mais novo que eu. É 18 meses mais novo que eu. Eu há 18 meses sentia-me muito melhor do que agora”, brincou durante uma entrevista aos meios oficiais dos Buccaneers.

Do outro lado, a nova geração

As duas conferências da NFL são, neste momento, também dois choques de gerações na posição de quarterback. Na divisional round da NFC, além de Brady e Brees, está ainda Aaron Rodgers, QB dos Green Bay Packers, de 37 anos, que nesta ronda terá pela frente os LA Rams, que serão liderados por Jared Goff, o benjamim entre os quatro, com 26 anos.

Do outro lado, na AFC, está a verdadeira nova geração de talentosos QB, grande parte deles ainda eram crianças de colo quando Brady e Brees chegaram à liga. Na primeira meia-final de conferência, estarão os Baltimore Ravens de Lamar Jackson (24 anos) contra os Buffalo Bills de Josh Allen (também de 24 anos).

O outro encontro vai opor os surpreendentes Cleveland Browns, de Baker Mayfield (25 anos) aos campeões em título, os Kansas City Chiefs, guiados pelo enorme talento que é Patrick Mahomes (25 anos).

É entre eles que estão os verdadeiros herdeiros de Brady e Brees.

  • E tu, também mudaste de vida aos 42 anos?
    Modalidades

    Chegou ao fim e de forma pouco romântica o casamento mais bem sucedido da história da NFL. Aos 42 anos, Tom Brady diz adeus aos New England Patriots, a Bill Belichick e à maior dinastia que o futebol americano já viu, com seis títulos. Mas não vai para casa: os Tampa Bay Buccaneers deverão ser a próxima equipa do quarterback mais decisivo de sempre

  • Drew Brees, o rei de Nova Orleães: do furacão Katrina até ao recorde de passes para touchdown
    Modalidades

    Foi há mais de uma década que o quarterback chegou aos New Orleans Saints, na ressaca de um dos maiores desastres naturais deste século. Daí para cá, ajudou a sarar as feridas da cidade, que levou ao êxtase com a vitória no Super Bowl no fim da época de 2009. Agora, já quarentão, Drew Brees continua a bater recordes. Na segunda-feira, frente aos Indianapolis Colts, tornou-se no quarterback da história da NFL com mais passes para touchdown, 541, ultrapassando outro mito da posição, Peyton Manning. Mas Tom Brady está ali à espreita