Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Modalidades

‘Método Mondelo’: a história que está a assombrar o basquetebol feminino em Espanha

Marta Xargay abriu o jogo e a partir daí já várias pessoas falaram sobre o trabalho do ex-selecionador de basquetebol espanhol, Lucas Mondelo. As jogadoras queixam-se da forma como foram tratadas, a federação sai em defesa das atletas e o treinador defende que só o querem prejudicar

Rita Meireles

MARK RALSTON

Partilhar

Além de terem origem espanhola e serem três das quatro protagonistas da vitória da seleção de basquetebol feminino no europeu de 2019, o que é que Marta Xargay, Anna Cruz e Laura Nicholls têm em comum uma coisa: todas abandonaram a seleção espanhola antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Primeiro foi Marta Xargay, em maio do ano passado, seguiram-se Anna Cruz e Laura Nicholls.

No momento de anunciarem a decisão, as três confessaram estar a precisar de algum tempo, espaço para respirar e respeito. Com a decisão vieram também a público as histórias relacionadas com o agora ex-selecionador espanhol, Lucas Mondelo, situação que é conhecida em Espanha como ‘el método Mondelo'.

Sem mencionar diretamente o então selecionador, Cruz foi a primeira a contar a sua história. “É tempo de pôr fim a esta situação e dizer adeus, de cabeça erguida, sabendo que sempre dei tudo por esta equipa que já foi a minha família e que deixará de sê-lo porque compreendo que a família não se trata assim", lê-se num comunicado publicado pela jogadora nas redes sociais.

"É uma pena que a liderança desta equipa não tenha sido gerida de forma coerente e seja por vezes utilizada para ferir as pessoas que mais de uma vez ‘tiraram as castanhas do fogo’.”

Seguiu-se o testemunho de Xargay, que contou toda a história numa entrevista ao "El País". A basquetebolista conhece o treinador desde os primeiros passos na seleção, na equipa de sub-19, e trabalhou com ele até ao final da sua carreira.

O momento em que anunciou a sua saída da seleção, foi o mesmo em que decidiu “sobrepor a pessoa à desportista”, uma vez que já estava no seu limite. “Há limites que não devem ser ultrapassados e ele levou-me a um limite muito pesado”, disse ao jornal espanhol.

Tudo começou com o controlo que o treinador fazia ao peso das jogadoras, na altura quando a jogadora estava na Rússia, a representar o Dynamo Kursk, e Mondelo combinava a posição de selecionador com a de treinador no mesmo clube.

“Éramos pesadas todas as semanas e ele estava sempre atrás a vigiar tudo. Houve várias situações, em concentrações da equipa, em que se aproximou da Sonja Petrovic e de mim e nos disse que não teríamos sobremesa porque éramos gordas”, conta Xargay, que na altura pesava 67 quilos e tem 1,82 metros de altura. Isso acabou por criar inseguranças na jogadora, que acreditou estar com excesso de peso.

"Sentia-me mal por comer, mesmo que fosse uma salada. Não gostava de comer, começava a comer com ansiedade e depois ia à casa de banho... (...) Quando sabia que tínhamos de ser pesadas na manhã seguinte, não dormia à noite", admite.

O testemunho de Xargay chega poucos dias depois de Mondelo ter sido afastado do cargo de selecionador, sendo que, segundo a federação, se deve à falta de resultados dos últimos tempos. Nos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, a equipa foi eliminada nos ‘quartos’ pela França. O treinador esteve no comando técnico da equipa durante 152 jogos.

A Federação Espanhola de Basquetebol e o ex-selecionador já reagiram às declarações de Xargay.

A primeira mostra o seu “apoio incondicional” à jogadora e “condena firmemente os factos relatados” na entrevista ao 'El País'. A federação garante ainda que não tinha conhecimento do problema, “uma vez que não o teria consentido, por ir contra aos valores que promove há muitos anos”, lê-se no comunicado.

Ainda assim, “a Federação estava ciente da deterioração da relação entre o treinador e as jogadoras, mas nunca foi informada de nenhum comportamento desse tipo”, acreditando, então, que “tudo se limitava às relações normais entre um treinador e a sua equipa”, admite ainda.

Em comunicado, defendendo-se, Mondelo ataca a federação espanhola. “Até hoje, o presidente [Jorge Garbajosa] não me contactou para conhecer a minha opinião”, começa por afirmar o ex-selecionador. De acordo com Mondelo, a federação toma como verdadeiras “declarações que de forma alguma se ajustam à realidade, com violação dos direitos fundamentais”. Para o treinador espanhol, tudo não passa de uma campanha para o prejudicar.

Após as declarações de Xargay, Anna Cruz decidiu falar também com o ‘El País’ sobre Mondelo. "É muito difícil chegar à elite e é muito difícil ter de desistir porque alguém torna a tua vida impossível", disse Cruz. "Fá-lo para salvar a tua saúde. O contínuo abuso psicológico dele causou-me stress, ansiedade, depressão... levou-me a abandonar a equipa nacional e a passar por um processo muito difícil", afirmou.

Anna Cruz esteve nos Jogos do Rio de Janeiro, onde a Espanha conquistou a medalha de prata

Anna Cruz esteve nos Jogos do Rio de Janeiro, onde a Espanha conquistou a medalha de prata

Tom Pennington