Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Modalidades

Acusado de maus tratos a jogadoras, ex-selecionador de basquetebol feminino espanhol defende-se: “Não sei o que fiz para merecer este dano”

Lucas Mondelo, treinador da seleção de basquetebol feminino de Espanha entre 2012 e 2021, foi acusado por duas jogadoras, Marta Xargay e Anna Cruz, de praticar abuso psicológico que lhes causou problemas mentais ou distúrbios alimentares. O técnico veio, agora, defender-se, garantindo ter tido sempre "respeito máximo" pelas jogadoras e assegurando estar a viver uma situação "muito injusta". Mondelo já colocou processos em tribunal contra as duas atletas, a Federação de Basquetebol e o seu presidente

Pedro Barata

THOMAS COEX/Getty

Partilhar

No passado mês de agosto, o mundo do desporto espanhol sofreu um abalo pelas acusações feitas contra Lucas Mondelo, técnico que orientou a seleção feminina de basquetebol do país entre 2012 e 2021, destituído do cargo depois da eliminação da equipa nos quartos-de-final dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Antes da competição, Marta Xargay, Anna Cruz e Laura Nicholls, protagonistas do triunfo espanhol no Europeu de 2019, abandonaram a seleção e, depois, tornaram públicas as já referidas acusações contra Mondelo.

Primeiro foi Marta Xargay. Numa entrevista ao "El País", a jogadora disse que "há limites que não devem ser ultrapassados", revelando que o treinador a levou a "um limite muito pesado". Segundo a jogadora, Mondelo, que a orientava tanto na seleção como na equipa russa do Dinamo Kursk, estava "sempre a vigiar" o peso das atletas, tendo "havido várias situações, em estágios" nas quais o treinador se aproximou de si e de Sonja Petrovic, outra jogadora, e lhes "disse que não teriam sobremesa por estarem gordas". Na altura, segundo o seu relato, Xargay pesava 67 quilos e tem 1,82 metros de altura.

A atleta diz que o controlo do treinador a fez "sentir-se mal por comer, mesmo que fosse uma salada", levando-a "comer com ansiedade e depois ir à casa de banho.". Marta revelou que não dormia durante a noite "quando sabia que seria pesada na manhã seguinte".

Também Anna Cruz, ao "El País", se uniu às críticas. "É muito difícil chegar à elite e é muito difícil ter de desistir porque alguém torna a tua vida impossível", disse a jogadora, explicando que abandonou a seleção para "salvar a saúde". O "contínuo abuso psicológico", lamenta, causou-lhe "stress, ansiedade e depressão".

Marta Xargay

Marta Xargay

MARK RALSTON

Agora, Lucas Mondelo, em entrevistas ao "El Mundo" e à "Cope", veio defender-se das acusações. "Nunca, em todos os anos nos quais estive na seleção ou no Kursk, fui informado de alguma queixa por parte de uma jogadora. O meu respeito em relação às jogadoras foi sempre máximo", assegurou, ao "El Mundo", o agora antigo selecionador espanhol.

Mondelo disse não "ter conseguido acreditar no que estava a ler", ficando muito "surpreendido e magoado", até porque Marta Xargay era "uma das jogadores mais próximas" do treinador e Ana Cruz uma das suas "atletas-fetiche". "Não sei o que fiz para merecer este dano", explica, ao "El Mundo", o técnico.

Anna Cruz

Anna Cruz

Europa Press Sports

À "Cope", o treinador confirmou ter apresentado queixas contra Xargay e Cruz por "ofensas à honra" e "falsos testemunhos", bem como contra a Federação e o seu presidente, Jorge Garbajosa, por considerar o seu despedimento "nulo" — Mondelo tinha contrato até 2024 e a Federação, defende, alegou "motivos desportivos" para prescindir dos seus serviços.

"A Federação e o presidente não respeitaram os meus direitos fundamentais. Colocaram-se ao lado de uma antiga jogadora numas acusações muito graves, sem provas, sem falar comigo ou perguntar-me. Utilizaram todo o poder mediático da Federação para destruir a minha reputação e imagem públicas. Eu não merecia esse tratamento, de maneira nenhuma", disse, ao "El Mundo", Lucas Mondelo, que descreveu a situação que vive como "muito injusta e complicada".

Em relação às acusações das jogadoras, o antigo selecionador disse, à "Cope", que "os serviços médicos nunca reportaram" nenhum distúrbio alimentar de Marta Xargay, garantindo que "não estava presente" quando as jogadoras eram pesadas. Mondelo negou ter dito que as jogadoras "estavam gordas".

O técnico frisou não ter "de demonstrar nenhum tipo de inocência, pois quem tem de demonstrar que diz a verdade são as jogadoras". Mondelo explicou que tem estado em silêncio "por respeito máximo à justiça", vincando que "tudo está no âmbito judicial", porque lhe foram feitas "acusações muito graves que foram deixadas no ar".