Tribuna Expresso

Perfil

motos

O Sporting e os dois socos do filho de Valentim Loureiro ao dirigente leonino: “O clube agirá criminalmente contra Jorge Loureiro”

Em comunicado, o Sporting reagiu às agressões de Jorge Loureiro, um dos filhos de Valentim Loureiro, a Miguel Nogueira Leite, dirigente dos leões, no final do jogo Boavista - Sporting que os lisboetas venceram por 2-1, no limite, após um pontapé de penálti muito contestado pelos boavisteiros

Tribuna Expresso

SOPA Images

Partilhar

Primeiro, a notícia foi avançada pelo jornal “O Jogo”: Jorge Loureiro, um dos filhos de Valentim Loureiro, teria agredido Miguel Nogueira Leite, dirigente do Sporting, com “vários socos” no final do encontro que terminou com o triunfo dos lisboetas, no limite, na marcação de um pontapé de penálti muito contestado pelos boavisteiros. Fonte do Sporting confirmou à Tribuna Expresso o sucedido: “Foram dois socos na nuca”.

Agora, em comunicado, o clube de Alvalade reage ao sucedido, garantindo que agirá “criminalmente” contra Jorge Loureiro ao mesmo que tempo que pedirá a “exclusão” do mesmo “dos recintos desportivos de Portugal”. Além disso, o Sporting diz que tudo foi presenciado por Pedro Proença, presidente da Liga, e que os dirigentes boavisteiros terão feito um “pedido de desculpas”.

Leia o comunicado na íntegra:

“Em face dos vergonhosos acontecimentos ontem verificados depois do final do jogo Boavista FC - Sporting CP – nomeadamente, as cobardes agressões ao membro do Conselho Directivo (CD) do Sporting Clube de Portugal (SCP) e também o clima de intimidação criado por um grupo de cerca de 20 pessoas, algumas pertencentes aos Órgãos Sociais do Boavista FC, sobre dois membros do CD do SCP, eventos que tiveram como testemunha maior o próprio presidente da Liga de Clubes, Dr. Pedro Proença, e que mereceram um pedido de desculpas dos dirigentes do Boavista FC, Dr. Álvaro Braga e Dr. Vítor Murta, ao presidente do SCP – o Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal informa que:

a. Agirá criminalmente contra Jorge Loureiro, sócio 1640 do Boavista FC e membro do Conselho-Geral do Boavista FC, pelas agressões contra um membro do Conselho Directivo do SCP, conforme já registado pelo Sr. Comandante Benjamim Ribeiro;

b. Participará junto da Liga Portugal, da Federação Portuguesa de Futebol e das entidades competentes com vista à exclusão de Jorge Loureiro dos recintos desportivos de Portugal;

c. Participará junto da Liga Portugal e da Federação Portuguesa de Futebol para comprovar as condições de segurança existentes no Estádio do Bessa, devendo aquelas entidades tomar as necessárias medidas, nomeadamente disciplinares, quanto aos factos ocorridos contra o dirigente do SCP.

O futebol português necessita de ser defendido de todos estes ataques. Todos os dirigentes desta modalidade têm de conseguir pautar as suas condutas e intervenções com elevado sentido de urbanidade e respeito por todos os agentes. Temos de conseguir pôr fim a estes delírios que quase todas as semanas envergonham o nosso campeonato.

O Sporting Clube de Portugal e o seu Conselho Directivo continuarão a lutar por uma forma de estar diferente no futebol em Portugal, procurando dignificar esta indústria e o espectáculo, defendendo sempre a Verdade.

Conselho Directivo, 10 de Março de 2019”