Tribuna Expresso

Perfil

Motos

O travão que travou Oliveira não é um trava-línguas: “Honestamente, estou desapontado”

O piloto português classificou-se apenas no 17.º lugar para o Grande Prémio da Tailândia

Lusa

Mark Wieland

Partilhar

Problemas no travão traseiro da KTM de Miguel Oliveira atrasaram o piloto português na qualificação de hoje para o Grande Prémio da Tailândia de MotoGP, onde não foi além da 17.ª posição.

O almadense fez o melhor tempo em 1.31,499 minutos, que o deixou no sétimo lugar da Q1 e fora da segunda sessão, que reuniu os 12 mais rápidos.

Oliveira foi, ainda assim, o segundo melhor dos quatro pilotos KTM presentes nesta 15.ª prova da temporada, terminando a cerca de 150 milésimos de segundo do 14.º classificado.

"Para ser honesto, esta não foi a melhor qualificação. Durante todo o fim de semana tenho-me debatido com o travão traseiro, que nos faz perder alguns décimos de segundo. Não pude rodar tão depressa quanto gostaria", explicou o piloto da Tech3.

Miguel Oliveira mostrou-se "desapontado por esse detalhe" mas promete "fazer o melhor possível na corrida" de domingo.

O francês Fabio Quartararo (Yamaha) fez a ‘pole position', deixando o espanhol Maverick Viñales (Yamaha) a 106 milésimos de segundo.

O também espanhol Marc Márquez (Honda) sairá da terceira posição, a última da primeira linha da grelha, para um GP que lhe pode dar já o título mundial.

Márquez, que hoje voltou a cair na última volta da qualificação, precisa apenas de ganhar dois pontos ao italiano Andrea Dovizioso (Ducati), que não foi além do sétimo lugar da qualificação.