Tribuna Expresso

Perfil

Motos

É oficial: o MotoGP está de regresso a Portugal. Portimão fecha a temporada de 2020, a 22 de novembro

A Dorna, entidade que organiza o Mundial de motociclismo, confirmou a entrada de Portimão no calendário de 2020. O GP Portugal vai disputar-se a 22 de novembro e será a última prova da temporada, que terá, à partida, público nas bancadas

Tribuna Expresso

JOE KLAMAR/Getty

Partilhar

Agora sim, está confirmado: o MotoGP está de regresso a Portugal e o Autódromo Internacional do Algarve vai receber a prova que fecha o Mundial de motociclismo de velocidade a 22 de novembro.

A informação, que começou por ser divulgada pelo portal especializado mototsport.com no final de julho, foi confirmada esta segunda-feira pela Dorna, a entidade que organiza o Mundial.

Depois da Fórmula 1, a 25 de outubro, o circuito de Portimão garante mais um grande evento internacional, menos de um mês depois, com o aliciante do GP Portugal ser a derradeira prova do calendário e, por isso, poder ser o local de todas as decisões, num Mundial de MotoGP que está a ser marcado pela imprevisibilidade.

Trata-se assim do regresso do Mundial a Portugal, agora ao Algarve, depois de entre 2000 e 2012 o Estoril ter recebido o principal campeonato do motociclismo de velocidade. Portugal terá também a oportunidade de voltar a ver Miguel Oliveira a correr no seu país.

Portimão já era circuito de reserva do Mundial e, ao que tudo indicava, seria uma das pistas que seria incluída no Mundial em 2022, altura em que o calendário do MotoGP será aumentado. Com os cancelamentos dos GP EUA, Malásia, Tailândia e Argentina, devido aos efeitos da covid-19, a oportunidade surgiu mais cedo e é já este ano que Portugal terá a oportunidade de ver os melhores do Mundo nas duas rodas a competir.

"O MotoGP é o pináculo do desporto motorizado de duas rodas e estamos muito entusiasmados por recebê-lo", diz o CEO do Autódromo Internacional do Algarve, Paulo Pinheiro, que sublinhou o "longo processo com a Dorna".

"O melhor de tudo será ter o Miguel Oliveira na grelha do MotoGP, capaz de lutar por um pódio, o que será um aliciante ainda maior para a corrida. Esperemos que o campeonato possa ser decidido aqui", frisou ainda o responsável pelo circuito de Portimão.

A ideia inicial é que a prova do MotoGP, tal como a Fórmula 1, tenha adeptos nas bancadas. "Estamos a trabalhar para isso e vamos começar com uma capacidade de 30 mil pessoas para o fim de semana e depois decidiremos com a Dorna e com as autoridades sanitárias as fases seguintes", revelou Paulo Pinheiro.