Tribuna Expresso

Perfil

Motos

“O objetivo é termos Fórmula 1 e MotoGP para o ano”: a “dobradinha” que Portimão quer manter em 2021

Paulo Pinheiro, CEO do Autódromo Internacional do Algarve, sublinhou em conferência de imprensa o desejo de que tanto a Fórmula 1 como o MotoGP não façam paragem única em Portugal. “Vamos fazer disto uma grande corrida para que seja impossível dizer que não a Portimão”, disse o responsável pela pista algarvia, no dia em que se tornou oficial o regresso do MotoGP ao nosso país, oito anos depois

Tribuna Expresso

Mirco Lazzari gp

Partilhar

Portugal vai voltar a receber uma prova do Mundial de MotoGP, desta vez em Portimão, e foi no Autódromo Internacional do Algarve que Jorge Viegas, o português que é presidente da Federação Internacional de Motociclismo, sublinhou o trabalho de vários anos por parte de Portimão para que este dia se tornasse realidade.

“Há muito tempo que andamos a namorar e aqui há três anos foi feito um contrato que previa que Portimão fosse circuito reserva", começou por dizer Jorge Viegas, que esclareceu que "o circuito de Portimão em princípio não estará no próximo ano", sublinhando, no entanto a imprevisibilidade do calendário, face à pandemia da covid-19.

“Não posso estar mais contente, por ser português, por ter uma prova no meu país a fechar o Mundial, por termos o Miguel Oliveira. Acho as corridas de MotoGP muito mais excitantes que as de Fórmula 1, se me perguntarem”, disse ainda o presidente da FIM.

Paulo Pinheiro, o homem que já tinha trazido para Portugal a Fórmula 1 e que faz agora a dobradinha, com o MotoGP, lembrou "os 12 anos de trabalho para agora colher frutos".

"É um dia muito bom para nós. Passámos um carrossel de dificuldades, momentos difíceis, momentos bons, mas hoje é um dia de pura alegria. Tivemos a Formula 1 há 15 dias, agora o MotoGP”, sublinhou o responsável do traçado de Portimão, que frisou ainda a importância de ter Miguel Oliveira a correr em casa.

“O Miguel é um herói para nós e para todos os portugueses. É o perfeito protótipo do piloto que todos querem: é um excelente piloto, excelente pessoa e vai fazer coisas fantásticas ara todos nós. Vai ser uma corrida gira, ver o Rossi e o Miguel Oliveira aqui na nossa pista, vai ser um dia único”, disse.

O objetivo agora é organizar da melhor forma as duas provas, para que Portugal possa entrar definitivamente nas contas dos promotores da F1 e MotoGP. Manter as provas em 2021 é um desejo: “Termos a Fórmula 1 e o MotoGP é algo que deriva de anos e anos de trabalho. Vamos fazer disto uma grande corrida para que seja impossível dizer que não a Portimão. O nosso objetivo, da minha equipa e de todos, é para o ano termos Fórmula 1 e MotoGP. E normalmente quando nós queremos uma coisa, conseguimos”.