Tribuna Expresso

Perfil

Motos

Miguel Oliveira: "Perdi a aderência atrás. Talvez por causa do vento a mota ficou muito nervosa"

O piloto português terminou o Grande Prémio da Comunidade Valenciana em 6º lugar

Lusa

NurPhoto

Partilhar

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) admitiu hoje que o vento sentido a meio do Grande Prémio da Comunidade Valenciana de MotoGP deixou a sua mota "muito nervosa" e difícil de pilotar.

Miguel Oliveira terminou esta penúltima corrida da temporada na sexta posição, a 7,272 segundos do vencedor, o italo-brasileiro Franco Morbidelli (Yamaha).

"Estou contente com esta corrida. Na verdade, a metade da corrida custou-me um bocadinho manter o meu ritmo. Perdi a aderência atrás. Talvez por causa do vento a mota ficou muito nervosa. A diferença não era muita, uma décima e meia em dois pontos cruciais [do circuito], o que me fez perder o contacto com os da frente", explicou o piloto de Almada.

Oliveira lembrou ainda que "a corrida foi mais rápida do que na semana passada", pelo que acabou por ser "mais competitivo", apesar de ter ficado uma posição abaixo.

"Fica o bom arranque, subindo de décimo a quinto. Agora vou para o Grande Prémio de casa motivado, com o objetivo de me divertir nesta última corrida", concluiu.

Com este resultado, o piloto luso manteve o décimo lugar do campeonato, agora com 100 pontos.

Joan Mir campeão mundial de MotoGP

Numa corrida em que até terminou em 7º, atrás de Miguel Oliveira, o piloto espanhol sagrou-se campeão de MotoGP