Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Motos

Está “bem encaminhada” a hipótese de o MotoGP voltar em 2022 a Portimão, onde 10 mil pessoas participaram na organização da corrida

O Autódromo Internacional do Algarve poderá voltar a receber uma corrida do MotoGP no próximo ano, o que seria a quarta vez na história. Paulo Pinheiro, responsável pelo circuito, deu conta, este sábado, dessa hipótese, revelando também que entre "o dispositivo de segurança, médicos, comissários, forças de segurança e vigilância, elementos de apoio", são cerca de 10 mil pessoas envolvidas no Grande Prémio

Lusa

Steve Wobser/Getty

Partilhar

O administrador do Autódromo Internacional do Algarve (AIA) afirmou, este sábado, que as negociações com a Dorna “estão bem encaminhadas” para que o circuito algarvio receba o Grande Prémio de Portugal de MotoGP em 2022.

“A Dorna [entidade organizadora do MotoGP] quer muito que fiquemos, daí colocar-nos no calendário provisório para o próximo ano, o que demonstra um voto de confiança”, disse à Lusa Paulo Pinheiro, em Portimão.

De acordo com o calendário provisório do principal Campeonato do Mundo de motociclismo de velocidade para 2022, o AIA vai receber, em 24 de abril, a quinta das 21 provas previstas para o próximo ano do Mundial de MotoGP.

O responsável pelo circuito algarvio adiantou que “apenas faltam acertar pequenos pormenores, nomeadamente ao nível da garantia dos apoios financeiros”.

“São valores que até estão muito abaixo daquilo que é o normal para estes eventos internacionais, condições que são muito especiais para este período que estamos a viver”, apontou.

Paulo Pinheiro acredita que “não vai ser difícil assegurar os apoios necessários para a realização da prova, dado o rácio entre o investimento e o que se recebe na economia da região e do país”.

Para o administrador do autódromo algarvio, a avaliação feita pelas equipas, pilotos e organizadores sobre o circuito de Portimão, “é um fator que pesa na decisão de incluir o autódromo algarvio no calendário do próximo ano”.

“Para pilotos, equipas e organizadores, é um prazer estar aqui, o que nos deixa muito orgulhosos e confiantes que possamos ter continuidade no futuro”, sublinhou.

Na opinião de Paulo Pinheiro, “é difícil ter um sítio que reúna tanto consenso, como é o caso de Portimão, quer ao nível da pista, quer de organização, logística, hotéis e restaurantes”.

NurPhoto

Cerca de 10 mil pessoas envolvidas na organização

Cerca de 10 mil pessoas estão envolvidas na realização do Grande Prémio do Algarve de MotoGP. De acordo com o administrador do AIA, “trata-se da maior estrutura montada para a realização de um Grande Prémio no Algarve”.

“Estimamos que, entre o dispositivo de segurança, médicos, comissários, forças de segurança e vigilância, elementos de apoio, tenhamos cerca de 10 mil pessoas envolvidas”, apontou o responsável.

Paulo Pinheiro especificou que “só o número de comissários de pista ascende aos 400, a que se somam 100 médicos, pessoal de 18 ambulâncias, carros de combate a fogo e equipas de apoio dentro e fora do recinto”.

“Ao contrário das corridas anteriores de MotoGP em que não tivemos público nas bancadas, para esta prova as equipas foram reforçadas, tendo em conta número de espetadores previsto”, avançou.

Segundo Paulo Pinheiro, até à manhã de hoje [sábado] tinham sido vendidos 42 mil bilhetes, “número que se aproxima dos 50 mil previstos”.

“A maioria dos bilhetes vendidos foram para portugueses, mas temos também muitos espanhóis, ingleses e franceses, estes últimos por causa do Quartararo, já consagrado campeão do mundo de MotoGP”, avançou.

A afluência de espetadores

O administrador do autódromo do Algarve estimou que durante o dia de sábado, “o circuito possa receber mais de 30 mil pessoas e no domingo, um número muito próximo das 50 mil”.

Segundo dados da organização, até às 11:00 de hoje tinham engrado no recinto perto de 20 mil pessoas.

O Grande Prémio do Algarve, a disputar no domingo, vai ser a 17.ª corrida portuguesa, a segunda do ano, juntando-se às 16 edições do Grande Prémio de Portugal, que foi disputado entre 2000 e 2012, no autódromo do Estoril, em 1987, no circuito de Jarama, em Espanha, e em 2020 e 2021, em Portimão.

A corrida será a quarta prova de MotoGP no AIA, que já acolheu o Grande Prémio de Portugal em 2020, conquistado por Miguel Oliveira, e 2021, vencido pelo francês Fabio Quartararo (Yamaha), e vai ainda receber o Grande Prémio do Algarve, no domingo.