Tribuna Expresso

Perfil

Mundial 2018

Pussy Riot reivindicam invasão ao relvado durante a final do Mundial

Quatro elementos vestidos com uniformes policiais interromperam o França-Croácia. Grupo conhecido pela sua oposição ao regime de Vladimir Putin pede a libertação de presos políticos e o fim de detenções arbitrárias

Expresso

Daniel Malmberg

Partilhar

Aconteceu pouco depois do arranque da 2.ª parte: vários espontâneos, dois homens e duas mulheres, vestidos de polícia, invadiram o relvado onde França e Croácia disputavam a final do Mundial, tendo sido rapidamente parados pela segurança, sem antes terem, até, cumprimentado alguns jogadores.

Poucos minutos depois, o grupo Pussy Riot, banda feminista conhecida pela oposição ao presidente Vladimir Putin, reivindicou a invasão num comunicado publicado no Twitter e Facebook.

No comunicado, o grupo explica a invasão como um protesto contra a falta de liberdade de expressão do regime russo, pedindo a libertação de presos políticos, nomeadamente do cineasta Oleg Sentsov, que está em greve de fome bem como o fim das detenções arbitrárias de quem manifeste oposição ao governo russo.

De acordo com a Reuters, que falou com uma das manifestantes ao telefone, os quatro elementos do protesto estão numa esquadra a ser interrogados. A FIFA diz estar a investigar a falha de segurança que permitiu a entrada do quarteto, não se manifestando quanto aos propósitos do grupo.