Tribuna Expresso

Perfil

Portugal

Fernando Santos tem uma mensagem para os portugueses e explica o que se passa no balneário

Fernando Santos falou aos microfones da RTP na hora da despedida de Portugal

Hector Vivas/Getty

Partilhar

Fernando Santos falou sobre justiça e injustiça, e sobre uma previsão que não deu certo. O homem que garantiu que ia ficar mais tempo na Rússia, até porque o “netinho” estava ali para o ver, disse não ter respostas lógicas para o que acabou de acontecer.

Não me parece nada justo. Portugal fez o suficiente para ter outro resultado, mas há jogos em que as coisas não acontecem. Às vezes, as exibições não são tão boas e ganha-se, outras vezes acontece isto. Criámos ocasiões para fazer golo… Faltou-nos alguma presença na área, tínhamos quatro jogadores interiores, mas ninguém lá dentro. Mas estivemos sempre a procurar, a procurar, a procurar. Na segunda-parte as coisas melhoraram, mas pronto. Disse aos jogadores que fizéssemos o golo, dávamos a volta ao jogo, mas no lance seguinte eles marcaram. O primeiro golo do Uruguai acontece uma vez em não sei quantas vezes: bola à direita, cruzada para a esquerda e da esquerda para a direita. São situações incontroláveis. É assim. Como está o balneário? Estamos tristes e quando estamos tristes, chora-se. Disse-lhes que fizemos uma segunda parte muito., muito boa... Acabámos por sofrer um golo no único remate do adversário na segunda-parte. Tivemos oportunidades, até naquela do Bernardo que roubou a bola ao guarda-redes. Cumprimos o objetivo mínimo e queríamos chegar até mais longe, até à final. Acreditámos nisso. Obrigado a todos os portugueses e por tudo o que fizeram por nós.”