Tribuna Expresso

Perfil

NBA

Milwaukee Bucks boicotam jogo dos playoffs em protesto contra o racismo e violência policial no Wisconsin

Os Bucks poderiam carimbar esta noite um lugar na 2.ª ronda dos playoffs em caso de vitória frente aos Magic, mas recusaram-se a sair do balneário, em protesto contra a ação policial contra Jacob Blake, afro-americano baleado sete vezes pela polícia

Tribuna Expresso

Stacy Revere/Getty

Partilhar

É algo nunca visto na NBA. Os Milwaukee Bucks decidiram não comparecer ao jogo 5 da 1.ª ronda dos playoffs frente aos Orlando Magic em protesto contra o racismo e a violência policial, na sequência do caso Jacob Blake, afro-americano baleado sete vezes pela polícia de Kenosha, no estado de Wisconsin, de onde vêm tambêm os Bucks.

O jogo deveria ter arrancado pelas 21h de Portugal Continental mas os jogadores dos Bucks recusaram-se a sair do seu balneário, com a ESPN a revelar que estava em marcha um boicote dos jogadores, um poderoso protesto, mais um com origem na NBA, que aproveitou a bolha da Florida, onde está a ser terminada a época devido à covid-19, como uma plataforma de excelência para exigir mais igualdade nos Estados Unidos.

Os Bucks lideram a série por 3-1 e estavam a apenas uma vitória de garantir um lugar na 2.ª ronda dos playoffs.

Dois meses depois da morte de George Floyd, um novo caso de violência policial fez os jogadores discutirem um possível boicote, que poderá não se cingir a este encontro: também os jogadores dos Celtics e dos Raptors, que vão jogar na 2.ª ronda dos playoffs ponderam, de acordo com o portal "The Undefeated", dedicado às causas raciais no desporto, boicotar também o jogo 1 da sua série.

Segundo o portal "The Athletic", os outros jogos que deveriam acontecer esta quarta-feira, o Houston Rockets - Oklahoma City Thunder e o LA Lakers - Portland Trail Blazers também serão boicotados pelas equipas.