Tribuna Expresso

Perfil

NBA

Lakers 116 - 98 Heat: de triplo em triplo, até ao triunfo arrasador

Anthony Davis, com 34 pontos, nove ressaltos e cinco assistências, liderou os Lakers, secundado por LeBron James, que passou ‘despercebido’ na primeira parte, mas quase acabou com um ‘triplo duplo’ (23 pontos, 13 ressaltos e nove assistências)

Lusa

Kevin C. Cox

Partilhar

Os Los Angeles Lakers entraram quarta-feira de forma ‘arrasadora’ na final dos ‘play-offs’ da Liga norte-americana de basquetebol (NBA), ao baterem os Miami Heat por 116-98, num encontro que ‘terminou’ no início da segunda parte.

Os comandados de Erik Spoelstra até começaram muito bem, conseguindo uma vantagem de 13 pontos (10-23), mas, depois, os Lakers assumiram o comando: no final do primeiro período já venciam por três (31-28), ao intervalo por 17 (65-48) e a meio do terceiro por ‘imensos’ 32 (87-55).

Os Heat perderam o jogo e podem ter ficado sem o base esloveno Goran Dragic - que não voltou para a segunda parte - para o resto da final, sendo que Bam Adebayo também abandonou lesionado e Jimmy Butler atuou a segunda metade diminuído, após uma entorse.

Os Lakers dominaram em toda a linha, com destaque para os 11 ‘triplos’ marcados na primeira parte - um recorde do clube nos ‘play-offs’ em qualquer parte -, num total de 13, em 19 tentados, até decidirem o jogo. Depois, só acertaram dois nos ‘mesmos’ 19.

Anthony Davis, com 34 pontos, nove ressaltos e cinco assistências, liderou os Lakers, secundado por LeBron James, que passou ‘despercebido’ na primeira parte, mas quase acabou com um ‘triplo duplo’ (23 pontos, 13 ressaltos e nove assistências).

Kentavious Caldwell-Pope (13 pontos), Danny Green (11) e os suplentes Alex Caruso (10) e Rajon Rondo (sete) também foram muito importantes na ‘fuga’ dos Lakers.

Na formação de Miami, Jimmy Butler, que entrou muito bem no jogo, foi o melhor, com 23 pontos e cinco assistências, enquanto Kendrick Nunn foi o suplente mais produtivo, com 18 pontos e cinco ressaltos, mas só esteve em campo depois de o jogo ‘acabar’.

Os Heat entraram muito bem, tanto na defesa como no ataque, e conseguiram rapidamente uma vantagem de seis pontos (10-16), que, depois, passaram para 13 (10-23), obrigando os Lakers a solicitar dois prematuros descontos de tempo.

Com as entradas dos suplentes, os californianos reagiram e, com ‘tiros’ de cair de todo o lado, conseguiram dar a volta ao resultado ainda no primeiro período, que terminaram a vencer por 31-28, depois de um parcial de 21-5.

No início do segundo quarto, conjunto de Miami, liderado por Herro, ainda voltou para a frente (41-43), só, que, depois disso, os Lakers assumiram o comando e, com mais um impactante parcial, agora de 24-5, chegaram ao intervalo com 17 à maior (65-48).

Os 11 ‘triplos’ dos Lakers (recorde da equipa nos ‘play-offs’ numa parte), em 17 tentados (64,8%), marcaram a diferença, bem como os 10 em 10 nos lances livres e os 20 pontos do banco.

Sem Dragic, que não veio dos balneários devido a lesão, os Heat entraram com uma jogada de três pontos (2+1) de Butler, ao ‘pé coxinho’, mas os Lakers continuaram a dominar e passaram rapidamente a vantagem para cima dos 20 pontos (80-54).

Ainda antes do meio do meio do terceiro período, a diferença escalou para ‘escandalosos’ 32 pontos (87-55), num inacreditável parcial de 77-32, depois dos 10-23 a abrir.

Os Lakers mantiveram, mesmo assim, as suas ‘estrelas’ quase até final, a jogar para os números, enquanto os Heat beneficiaram da ‘enorme’ inspiração de Kendrick Nunn (18 pontos, com oito em 11 nos ‘tiros’ de campo) para amenizar a derrota.

A final prossegue na sexta-feira, de novo na ‘bolha’ de Orlando, com a grande expectativa a residir no estado de saúde dos jogadores de Miami, nomeadamente de Dragic e Adebayo: sem qualquer um deles, os Lakers serão ainda muito mais favoritos.

Los Angeles Lakers - Miami Heat, 116-98.

Local: AdventHealt Arena, no Complexo da ESPN, em Orlando.

Ao intervalo: 65-48.

Árbitros: Marc Davis, Josh Tiven e Kane Fitzgerald.

- Los Angeles Lakers: Kentavious Caldwell-Pope (13), Danny Green (11), LeBron James (25), Anthony Davis (34) e Dwight Howard (2). Jogaram ainda Rajon Rondo (7), Kyle Kuzma (3), Alex Caruso (10), Markieff Morris (8), Jared Dudley, JR Smith e Quinn Cook (3).

Treinador: Frank Vogel.

- Miami Heat: Goran Dragic (6), Duncan Robinson, Jimmy Butler (23), Jae Crowder (12) e Bam Adebayo (8). Jogaram ainda Tyler Herro (14), Andre Iguodala (7), Solomon Hill (4), Derrick Jones Jr. (2), Kendrick Nunn (18) e Kelly Olynyk (4).

Treinador: Erik Spoelstra.

Marcha do marcador: 31-28 (primeiro período), 65-48 (intervalo), 93-67 (terceiro período) e 116-98 (resultado final).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia da covid-19.

  • Lakers - Heat: a final inédita de uma época estranha que põe o legado de LeBron contra uma equipa que já foi sua

    NBA

    Miami Heat e Los Angeles Lakers começam esta madrugada (2h, Sport TV1) o duelo de onde vai sair o campeão da NBA de 2019/20, uma temporada atípica e que terminará dentro de uma bolha e sem público a assistir. Para LeBron James, na sua 10.ª presença numa final, está em jogo um 4.º título, que o colocará mais perto do legado de Jordan e na posição de conquistar títulos por três equipas diferentes, algo que até hoje apenas dois jogadores conseguiram. Ricardo Brito Reis, treinador e comentador da Sport TV, ajuda-nos a responder às principais questões desta final inédita