Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
NBA

Russell Westbrook, o senhor triplo-duplo

O base dos Washington Wizards bateu um dos mais improváveis recordes da NBA, ao chegar aos 182 triplos-duplos (ou seja, duplo dígitos em pontos, ressaltos e assistências) no encontro desta madrugada frente aos Atlanta Hawks. Ultrapassou o mítico Oscar Robertson, que era o líder desta particular estatística há quase 50 anos

Lídia Paralta Gomes

Patrick Smith/Getty

Partilhar

Russell Westbrook não é um tipo consensual. Há quem o acuse de tomar más decisões, de forçar lançamentos impossíveis, de falhar nos momentos em que se pede coração frio e mão certeira. Mas é impossível não lhe admirar a coragem, a teimosia de não desistir e a forma como se entrega todo ele ao jogo.

E o “todo ele” tem aqui importância porque se há jogador que consegue fazer de tudo em campo, esse jogador é Russell Westbrook. O base escolhido na posição 4 no draft de 2008 pelos Seattle Supersonics (que pouco tempo depois se tornariam nos Oklahoma City Thunder) é um prodígio de atleticismo, um dos jogadores mais explosivos e intensos da história da NBA, que o fez rapidamente tornar-se num extraordinário marcador de pontos, mas também num ressaltador infatigável, graças à sua capacidade de impulsão.

Com o tempo, Westbrook afinou ainda o quesito das assistências e a partir da temporada 2016/17 os números começaram a mostrar a omnipresença do jogo do californiano, conseguindo em jogos atrás de jogos chegar aos dois dígitos nas três principais estatísticas do basquetebol, pontos, ressaltos e assistências - o chamado triplo-duplo.

E assim, Russell Westbrook foi tornando-se no rei dos triplos-duplos, título que se tornou oficial na noite de segunda para terça-feira, quando o base fez 28 pontos, 13 ressaltos e 21 assistências na derrota da sua equipa, os Washington Wizards, frente aos Atlanta Hawks, chegando assim ao triplo-duplo número 182, passando a lenda Oscar Robertson nessa tão particular lista, intocada no primeiro lugar há quase 50 anos.

Westbrook, ainda nos tempos dos Thunder

Westbrook, ainda nos tempos dos Thunder

Vaughn Ridley/Getty

O primeiro triplo-duplo de Westbrook aconteceu há mais de 12 anos, na sua primeira temporada na NBA, ainda nos Thunder, num encontro frente aos Dallas Mavericks em que terminou com 17 pontos, 10 ressaltos e 10 assistências. Daí para cá, tem sido sempre a somar e a fazer história neste feito estatístico raro, mas que para Westbrook parece apenas rotineiro.

Em 2016/17, época em que foi aclamado o MVP da temporada, Russell Westbrook conseguiu 42 triplo-duplos, um recorde, tornando-se também apenas no segundo jogador da história da NBA a ter uma média de triplo-duplo em pontos, ressaltos e assistências ao longo do ano, uma improbabilidade estatística que só Oscar Robertson havia conseguido até então. Westbrook repetiu o feito nos dois anos seguintes e vai consegui-lo novamente no final desta temporada regular, algo sem paralelo no livro de recordes da NBA.

Ainda que muitos critiquem o base por não conseguir materializar os feitos individuais e a sua versatilidade em prol do coletivo, já que o que melhor que conseguiu foi ajudar a levar os Oklahoma City Thunder à final em 2012, o legado de Russell Westbrook na NBA estará assegurado para os próximos anos: o jogador no ativo mais próximo da impensável marca de 182 triplos-duplos é Lebron James, com 99. James Harden é o 8.º na lista, com 58, e Nikola Jokic o 9.º, com 56.

Aos 32 anos, Westbrook ainda vai a tempo dos títulos coletivos, mas até lá algo parece certo: onde houver uma bola, ele lá estará atrás dela, a farejar o cesto, a recuperá-la ou a entregá-la a um colega em melhores condições para marcar.