Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
NBA

Nem escrito pelos maiores romancistas teria resultado tão bem: os Phoenix Suns estão na final da NBA

Vinte e oito anos depois, os Phoenix Suns sagram-se campeões da conferência oeste e estão de regresso ao maior palco da liga norte-americana, depois de eliminarem os LA Lakers, Denver Nuggets e LA Clippers ao longo dos play-offs. Esta será a primeira final da carreira de Chris Paul

Rita Meireles

MediaNews Group/Pasadena Star-Ne

Partilhar

Para os que consideraram que a eliminação nos oitavos de final das três seleções do ‘grupo da morte’ - Portugal, França e Alemanha - do Euro 2020 ou a desistência de Serena Williams no torneio de Wimbledon foram as notícias mais improváveis da semana, improvável é isto: pela primeira vez em 28 anos, os Phoenix Suns vão marcar presença na final da NBA.

O relógio em Portugal marcava 2 horas quando, no Staples Center, os Los Angeles Clippers e os Phoenix Suns começaram a disputar o jogo que ou dava a vitória na conferência oeste aos Suns, ou colocava as equipas empatadas e levava a eliminatória para o sétimo jogo.

Os visitantes entraram melhor no jogo e terminaram a primeira parte em vantagem (66-57). Ainda havia tempo para uma reação dos Clippers, mas os Suns não deram qualquer espaço e foram dominantes até ao final do jogo, que terminou com a larga vantagem de 130-103.

Um dos maiores responsáveis por este resultado foi Chris Paul, que chega, assim, à sua primeira final da NBA, 16 anos depois do draft em que o seu nome foi chamado na quarta posição pelos New Orleans Hornets (agora New Orleans Pelicans). O jogador somou um total de 41 pontos - 31 na segunda parte -, oito assistências e quatro ressaltos.

A inspiração de Devin Booker e Deandre Ayton foram também essenciais para a vitória dos Suns. O primeiro terminou o jogo com 22 pontos, sete ressaltos e quatro assistências, enquanto que o segundo brilhou nos ressaltos (17) e somou 16 pontos.

A derrota não ofuscou o jogo de Marcus Morris, do lado dos Clippers, que terminou com 26 pontos e o segundo lugar na lista dos melhores marcadores da noite. Paul George, que somou 21 pontos, e Morris, foram os principais responsáveis pelo facto de a equipa ter conseguido chegar à marca dos três dígitos no resultado final.

“Não podemos desistir agora”

A história destes Suns de Monty Williams nem escrita e imaginada pelos maiores romancistas teria resultado tão bem.

Em Phoenix, no Arizona, não se festejava uma chegada à final da NBA desde 1993. Ainda que essa festa tenha durado pouco tempo, ou não tivessem encontrado pela frente os Chicago Bulls de Michael Jordan e companhia. Vinte e oito anos depois e alguns 'quase' pelo meio, os Suns chegam ao maior palco da liga com um percurso recheado de vitórias improváveis e uma equipa pouco valorizada por muitos.

Os Los Angeles Lakers (campeões da época passada), os Denver Nuggets e os Clippers foram os três clubes que ficaram pelo caminho. Além das boas exibições da equipa, os Suns conseguiram também tirar vantagem das lesões que foram assombrando os adversários. Anthony Davis, Jamal Murray e Kawhi Leonard são, respetivamente, três nomes de peso destas três equipas, que não marcaram presença em todos os jogos das eliminatórias, ou nenhum.

MediaNews Group/Pasadena Star-Ne

O sucesso só tem vindo a ser possível pela capacidade de superação do balneário.

O treinador Monty Williams viu a sua carreira sofrer um revés após ser despedido dos New Orleans Pelicans, em 2015. Chris Paul, o jogador com mais nome da equipa, estava há algumas épocas a servir de moeda de troca. Em 2019 deixou os Houston Rockets e rumou aos Oklahoma City Thunder, como parte do acordo por Russell Westbrook, e, em 2020, chegou aos Suns também por empréstimo. Devin Booker é considerado um dos jogadores mais desvalorizados da liga. Cameron Payne começou a última época na liga chinesa. E a lista continua.

Em todos os jogos, Paul escreve nas sapatilhas “can’t give up now” ("não posso desistir agora") e no jogo da madrugada desta quinta-feira acrescentou a pergunta “porque não nós?”. E foram mesmo eles. Os Suns vão agora encontrar os Milwaukee Bucks ou Atlanta Hawks.