Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
NBA

O primeiro troféu de Neemias Queta na NBA: Kings vencem a Summer League

A Summer League de 2021 chegou ao final, em Las Vegas, e os Sacramento Kings venceram o jogo decisivo, frente aos Boston Celtics. Ao longo de 14 minutos, Neemias Queta foi um dos jogadores que ajudou os Kings a regressar às conquistas neste torneio

Rita Meireles

Sacramento Kings

Partilhar

Menos de um mês depois da noite do draft da NBA, Neemias Queta já segurou o seu primeiro troféu ao serviço dos Sacramento Kings. Na final da Summer League, os Kings venceram os Boston Celtics por 100-67. A equipa não chegava ao primeiro lugar deste torneio desde 2014, quando derrotaram os Houston Rockets.

Louis King foi o jogador mais forte da equipa de Sacramento, ao assinalar 21 pontos e terminar como MVP (jogador mais valioso) da final. O jogador, que não foi selecionado no draft de 2019, aparece ao lado de Neemias na lista de contratos two-way dos Kings.

“A nossa defesa e pontos de transição, foi a isso que se resumiu", afirmou King aos correspondentes da NBA. “Nós temos jogadores novos, caras novas e só temos de confiar uns nos outros”.

Neemias Queta e Davion Mitchell são dois desses novos jogadores. O poste português terminou o jogo com um ponto, cinco ressaltos e uma assistência, sendo que esteve em jogo ao longo de 14 minutos. Mitchell assinalou nove pontos e foi bem sucedido na principal tarefa que teve enquanto esteve na quadra: guardar Payton Pritchard.

Na ajuda a King, no que aos pontos diz respeito, os principais jogadores foram Jahmi’us Ramsey, que marcou 16 pontos, Matt Coleman III (14) e Ade Murkey (10).

Do lado dos Celtics, Carsen Edwards assinalou 15 pontos, Aaron Nesmith terminou com 12 e Pritchard não foi além dos seis.

No final da partida o treinador dos Kings confessou que não sabia o que esperar deste jogo. “Eu sabia que ia ser um jogo muito bom porque, olhando para as gravações deles, eles jogam rápido, marcam muitos 3s”, afirmou Bobby Jackson. Ainda assim, garantiu aos seus jogadores que os Celtics ainda não se tinham cruzado com uma defesa como a dos Kings, e foi isso que fez a diferença: “Foi apenas um esforço do lado defensivo”, garantiu.