Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
NBA

Conhece a G League? A irmã mais nova da NBA está aí e com Neemias Queta à procura de dar o salto

A G League, uma espécie de 2.ª divisão da NBA, que tem aí as suas equipas afiliadas, regressa esta sexta-feira e conta com várias mudanças no formato e até nas equipas. Mery Andrade e Neemias Queta não partilham a mesma equipa, mas representam a mesma bandeira

Rita Meireles

Stacy Revere

Partilhar

A G League regressa esta sexta-feira e vem totalmente renovada. Um novo formato, novas equipas e até um novo país em competição. Além, claro, da parte mais esperada deste lado do oceano: Portugal vai a jogo nesta que é uma espécie de divisão secundária da NBA, que tem na G League as suas equipas afiliadas, onde muitos jogadores se querem mostrar para poderem dar o salto.

Os Birmingham Squadron são uma das novas equipas e terão a portuguesa Mery Andrade como treinadora adjunta. Enquanto jogadora, Mery chegou à WNBA em 1999, quando se juntou às Cleveland Rockers. Como integrante de uma equipa técnica começou no basquetebol feminino universitário, com as San Diego Toreros. A estreia da equipa está marcada para esta sexta-feira, às 23h, frente aos Greensboro Swarm.

A disputar a sua temporada inaugural estão mais duas equipas. Os Motor City Cruise, que jogam a sua primeira partida frente aos Cleveland Charge, e os Capitanes de la Ciudad de México, a primeira equipa sediada fora dos Estados Unidos ou Canadá a integrar a competição.

Neemias Queta é o segundo nome português a marcar presença no campeonato. O jogador foi escolhido no draft da NBA pelos Sacramento Kings, mas após assinar um two-way contract vai também representar a equipa afiliada da G League: os Stockton Kings. Às 2h, em Portugal, do próximo sábado, contra os Santa Cruz Warriors, começa a época para Neemias que deverá, para já, ter mais ação na G League do que na NBA.

Mery Andrade, uma das portuguesas que chegou à WNBA, é agora adjunta numa equipa da G League

Mery Andrade, uma das portuguesas que chegou à WNBA, é agora adjunta numa equipa da G League

Kellie Landis

Estes primeiros jogos estão inseridos na primeira fase do campeonato - Showcase Cup - onde as equipas vão integrar quatro grupos, divididos de forma regional, e cada uma vai jogar 12 partidas. Avançam para a fase a eliminar as equipas vencedoras de cada grupo e as quatro equipas seguintes, a nível geral, com a melhor percentagem de vitórias.

A NBA G League Ignite, equipa da liga, e os Capitanes de la Ciudad de México vão competir na Showcase Cup, mas não participarão da fase seguinte.

A época regular do campeonato começa a 27 de dezembro e conta com 36 jogos. Aos play-off passam as melhores seis equipas de cada conferência e é desse grupo que sairá o próximo campeão da G League. Os campeões da temporada anterior foram os Lakeland Magic, que disputaram a final com os Delaware Blue Coats.

Através da G League, os jogadores têm a oportunidade de evoluir e mostrar o seu talento às equipas da NBA. Em entrevista à Tribuna, Mery Andrade chegou a explicar que é uma excelente forma de “desenvolver minutos de jogo, trabalhar o desenvolvimento dos jogadores, fazer parte de uma equipa”. Sendo que, falando de Neemias Queta, jogar na G League “não é um step back, não tem nada de negativo, antes pelo contrário”, garantiu Mery.