Tribuna Expresso

Perfil

Com a mão, andebol; com os pés, futebol; com talento, todos

Partilhar

Não, isto não é uma cena do filme "The Matrix" e aquele não é Keanu Reeves: é mesmo Carlos Ruesga, andebolista espanhol do Sporting

Não, isto não é uma cena do filme "The Matrix" e aquele não é Keanu Reeves: é mesmo Carlos Ruesga, andebolista espanhol do Sporting

Aqui na Tribuna, normalmente é assim: o Diogo Pombo é o nosso especialista em surf e em râguebi; a Lídia Paralta Gomes papa tudo o que é de madrugada - i.e. NBA e futebol americano; a Alexandra Simões de Abreu é mais virada para o atletismo; e o Pedro Candeias tanto vê boxe como, claro está, futebol. Porque de futebol, na verdade, gostamos todos. E eu, confesso, até posso ver um ou outro jogo de ténis ou de futsal, mas pago uma fortuna na minha conta de televisão (alô, SportTV, está na hora de baixar a mensalidade - menos conteúdos, menos dinheiro) porque gosto mesmo é de ver futebol.

Serve isto tudo para dizer que nem os meus colegas nem eu temos por hábito, no rescaldo dos nossos fins de semana desportivos, falar de andebol. Mas, esta segunda-feira, nem o mais indiferente dos adeptos consegue passar ao lado daquele que será, provavelmente, um dos momentos mais extraordinários da história daquela modalidade. Na Rússia a defrontar o Chekhovskie Medvedi, na segunda jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, o Sporting não estava a fazer um bom jogo e ia perdendo. Mas, depois de uma recuperação inesperada, a equipa de Hugo Canela chegou literalmente ao último segundo do jogo empatada, com a possibilidade de concretizar a vitória a estar nas mãos de um homem chamado Keanu Ree... perdão, Carlos Ruesga.

Num livre a 9 metros da baliza, o andebolista espanhol do Sporting tinha pela frente uma barreira cinco jogadores que não eram propriamente baixinhos, mais um guarda-redes totalmente preparado para defender uma baliza que tem dois metros de altura e três metros de largura. O que Carlos Ruesga fez para marcar o golo pode, ou melhor, tem de ser visto AQUI, porque é verdadeiramente indescritível. Só dá para dizer que parece uma cena do filme "The Matrix". E que mesmo vendo e revendo e revendo fica difícil perceber como é que ele fez aquilo.

O que nos leva, então, à moral da história (em dia dos prémios de futebol "The Best"): os melhores encontram sempre soluções que o comum dos mortais nem sequer consegue conceber. É isso que faz deles os melhores. Só é preciso que haja quem consiga identificar esse talento e acarinhá-lo convenientemente (alô João Félix, Jovane Cabral, etc, etc, etc). Talento não tem idade, clube ou modalidade. Mas tem sempre adeptos, no rescaldo do fim de semana desportivo.

O QUE SE PASSOU

No futebol, o Benfica ganhou e FC Porto também, mas o pós-jogo de ambos só deu para falar de tudo menos futebol. Adiante. Em Inglaterra, onde há mais bola e menos polémica, o dérbi tuga entre o Manchester United e o Wolverhampton terminou empatado e, em Itália, Cristiano Ronaldo voltou a marcar pela Juventus. Destaque também para duas entrevistas que vale a pena ler: a Alan, agora diretor de relações institucionais do Sporting de Braga (e hoje há Braga-Sporting), e a Hugo Falcão, jovem treinador de 27 anos que assumiu o Cova da Piedade, da 2ª Liga (com um 0-0 na estreia). No motociclismo, Miguel Oliveira teve uma corrida pouco feliz; no golfe, Tiger Woods voltou finalmente às vitórias; e, no padel, houve um acidente que assustou muito boa gente.

O jovem Félix

Para o escritor Bruno Vieira Amaral, a figura da 5ª jornada da Liga portuguesa foi o jovem João Félix, que representa uma espécie de Messias do Benfica

Neptuno, Urano, Saturno, Júpiter, Marte, Terra, Vénus, Mercúrio, Pizzi (por Um Azar do Kralj)

Vasco Mendonça escreve sobre a vitória do Benfica diante do Desportivo das Aves. E traz uma referência curiosa a uma das supermodelos dos anos 90. É ler

​​​​​​​Para quem é católico, como eu e Paulo Gonçalves, parece milagre que Casillas só tenha feito duas defesas (por Lá Em Casa Mando Eu)

A contracrónica desta noite é um especial religião, com alusões dos tempos de catequese e algumas versões curiosas de rezas

“Não acredito que o Benfica desça de divisão. Mesmo que se prove tudo. Estamos a falar de quantos torcedores? E acionistas e investimentos”

17 anos depois de ter deixado o Rio de Janeiro, Alan Osório da Costa Silva sente-se mais português do que brasileiro: a mulher é de Viseu e os filhos nasceram cá (Rodrigo na Madeira e Diogo no Porto). Aos 39 anos, a viver há mais de uma década em Braga, é um dos símbolos incontornáveis dos arsenalistas. No verão passado deixou os relvados e foi escolhido por António Salvador para ser o rosto dos 'Guerreiros do Minho' nas instâncias internacionais, como diretor de relações institucionais, e diz à <strong>Tribuna Expresso </strong>que os jogadores têm de se preparar para várias funções, tipo canivete suíço

Chama-se Hugo Falcão, tem 27 anos e é o treinador mais jovem das Ligas profissionais: “Lá dentro, sou 'o mister'. Cá fora, sou 'o Falcão'”

Este sábado, na 5ª jornada da 2ª Liga, o Penafiel não recebe apenas o Cova da Piedade: recebe o batismo de Hugo Falcão como o treinador mais jovem das Ligas profissionais de futebol, aos 27 anos. "Se as pessoas identificarem que tu és competente, que tu és organizado, que tu queres o melhor para elas, que tu estás aqui para ajudar, as coisas decorrem naturalmente. A capacidade de liderança faz-se dia-a-dia", explica à <strong>Tribuna Expresso</strong> o novo treinador do Cova da Piedade, que tem jogadores bem mais velhos do que ele
ZONA MISTA

“Cristiano Ronaldo gosta de chegar a casa e fazer 150 abdominais. Eu gosto de acender as brasas para fazer um churrasco.”

Daniel Osvaldo
Ex-jogador do FC Porto, em entrevista à "Marca"

O QUE AÍ VEM

Hoje, segunda-feira, 24

Às 20h15, há o jogo grande da 5ª jornada da Liga: Sporting de Braga-Sporting (SportTV1). Antes, às 19h (SportTV2), há clássico turco entre Fenerbahçe e Besiktas (onde estão Quaresma e Pepe) e às 19h30 há a entrega dos prémios "The Best", onde Ronaldo não vai estar presente, o que provavelmente quer dizer que... Também hoje, começa o Ericeira Pro, etapa do circuito de qualificação da WSL de surf, que decorre até dia 30, com os portugueses Frederico Morais, Vasco Ribeiro e Miguel Blanco,

Terça-feira, 25

Disputa-se a 7ª jornada da Liga Revelação, competição sub-23 criada este ano pela FPF. O Sporting-Portimonense tem transmissão televisiva (16h, TVI24), assim como o Benfica-Cova da Piedade (18h, BTV). Pode conferir os restantes jogos aqui. Em Inglaterra, é dia de Taça da Liga: o Oxford recebe o City (19h45, SportTV2) e o United recebe o Derby County (20h, SportTV1). Ah, e prepare a carteira: é dia de apresentação da caderneta de cromos da Liga portuguesa.

Quarta-feira, 26

Há mais Taça da Liga inglesa, com um interessantíssimo Liverpool-Chelsea (19h45, SportTV1). Em Itália, para a Serie A, a Juventus recebe o Bolonha (20h, SportTV2). No andebol, há clássico entre FC Porto e Sporting (20h30, Porto Canal).

Quinta-feira

Começa a 6ª jornada da Liga, num dia bizarro (quinta-feira, senhoras e senhores da Liga?), com um Chaves-Benfica (20h15, SportTV1). Antes, será anunciado, em Nyon, o anfitrião do Euro 2024: ou Alemanha (mais provável) ou Turquia (menos provável).

Sexta-feira

O FC Porto recebe o Tondela (20h30, SportTV1).

Sábado

O Sporting recebe o Marítimo, agora para a Liga (21h, SportTV1).
HOJE DEU-NOS PARA ISTO

Continuando com o tema andebol/futebol, vamos regressar a 17 de setembro de 2006, dia em que Paulo Bento disse uma frase (que está, em parte, no título desta newsletter) que ficaria para a história do futebol nacional, depois de Ronny ter marcado um golo ao Sporting com a mão.

Mãos, pés, andebol e futebol: a ira de Paulo Bento

Estávamos a 17 de setembro de 2006 quando o Sporting perdeu em casa com o Paços de Ferreira, depois de um golo irregular marcado por Ronny, com a mão. No final, Paulo Bento não escondeu a frustração e soltou uma frase que ficaria para a história do futebol nacional