Tribuna Expresso

Perfil

É provável que Modríc seja o anticristo

Partilhar

Soccrates Images

Conta-se que a mãe de Ricardo Izecson dos Santos Leite gostava de receber em casa os miúdos com quem o filho jogava futebol. Os Santos Leite eram uma família bem de São Paulo, classe média alta, e Ricardo tinha o mimo do privilegiado a quem nada falta, ao contrário da maioria dos rapazes que habitualmente lanchavam em sua casa.

Muitos deles eram pobres e todos eles gostavam de Ricardo, que além de ter uns pais porreiros, era bom de bola, aliás, muito bom de bola, ao ponto de não haver melhor nas escolinhas do São Paulo, um dos clubes mais emblemáticos do Brasil. Ricardo tinha tudo - a estabilidade emocional e financeira, o físico, a pinta e o talento – e acabaria por ultrapassar uma fratura na coluna, por pular para uma piscina, e o preconceito: normalmente, os putos ricos ficam pelo caminho, porque o futebol também é privação.

Ricardo usava o nome Cacá, passou a ser Kaká após a lesão, e em 2007 conquistou a Bola de Ouro. Foi, nas suas palavras, o último terrestre a fazê-lo, porque a seguir vieram dois tipos sobrenaturais que dividiram o tempo e o espaço durante dez anos - Messi (2009, 2010, 2011, 2012 e 2015) e Ronaldo (2008, 2013, 2014, 2016 e 2017).

Ninguém se atravessou no caminho deles: um de cada vez, os demais candidatos-à-Bola foram atropelados pelos números, pelas exibições, pelos títulos individuais e coletivos, e também pelo mediatismo cínico e insaciável que amplifica por mil tudo o que acontece no Real Madrid ou no Barcelona.

Mas é provável que este duopólio termine esta segunda-feira à noite. E é possível Modríc seja o anticristo.

Será assim que os fãs hardcore de Messi e Ronaldo olharão para o pequeno croata se ele receber o prémio das mãos de David Ginola. Porque Modríc não encaixa no perfil dos vencedores da Bola de Ouro, quase todos eles avançados ou médios goleadores, e ele não é uma coisa nem outra. Porque Ronaldo marcou 15 golos na Liga dos Campeões, aguentou o embate com a Espanha praticamente sozinho com aquele hat-trick perfeito e arriscou uma transferência para o difícil campeonato italiano onde já é rei. E porque Messi é Messi.

Ainda assim, Modríc parte como favorito e os teóricos da conspiração arriscam dizer que isto só acontece porque o Real Madrid tem poderes ocultos, o que é, bem, bastante criativo, rebuscado e altamente redutor, tendo em conta que os merengues teriam de condicionar o voto de umas largas dezenas de jornalistas do planeta terra.

Talvez – e esta é a hipótese mais plausível – seja a altura certa para alterar a narrativa que se estava a tornar demasiado previsível.

Em defesa de Modríc estão os seguintes argumentos: foi eleito o melhor jogador do Mundial FIFA e, posteriormente, o melhor jogador pela FIFA, batendo Cristiano Ronaldo e Mohamed Salah; levou a Croácia às costas no Campeonato do Mundo, perdido para a França na final (2-4) e conduziu o meio-campo do Real Madrid até à 3.ª Liga dos Campeões em cinco anos.

Se for ele a sair por cima de uma lista de 30, a Bola de Ouro estará bem entregue. Se não for, terei perdido o meu tempo e o seu também.

O QUE SE PASSOU
O Benfica viu profeticamente a luz e bateu o Feirense (4-0) com uma segunda-parte em que foi rápido, rápido, rápido, deixando Rui Vitória amplamente “deliciado”. Depois de uma semana em que aconteceu isto e depois isto, o treinador dos encarnados ganhou uma nova linha de vida. No domingo, o FC Porto venceu o Boavista (1-0) num jogo jogado até ao limite da paciência, e que terminou com duas expulsões para os portistas. Por outro lado, também ficámos a saber o grupo de qualificação para o Euro2020 e a coisa podia ter corrido bastante pior.

O grande Boavista

O esctitor Bruno Vieira Amaral escreve sobre o Boavistão da canela até ao pescoço, a antítese do futebol de gala e sapato de verniz, futebol dos salões jogado como valsa, entretenimento para multimilionários árabes, russos e chineses

“Faziam rodinhas à volta do Mantorras quando ele dançava, mas numa noite ele diz-me assim: ‘Coimbra, o meu juju não aguenta’. Era o joelho”

Filho de um tenente-coronel e de uma professora de matemática, João Coimbra era apelidado de "Doutor" por frequentar o curso superior de medicina, do qual ainda só completou três anos, mas foi e é como futebolista que João Coimbra sempre se quis afirmar. Não vingou como sonhava no clube do coração, o Benfica, nem na I Liga portuguesa e acabou por ir para o estrangeiro à procura de novas experiências e melhores condições financeiras para a família. Aos 32 anos, já se obriga a pensar no final da carreira, que gostava de terminar onde começou, o Amora, mas confessa que ainda não sabe o que vai fazer a seguir, só que terá de ser ligado ao futebol

Hernâni sempre foi, simplesmente, rápido, mas agora já É UM AMOR para o Lá em Casa Mando Eu

Num jogo em que a cronista viu "tanta cacetada" a ser distribuída e julgou que, tão irritado que estava, o senhor comendador ia "arrancar aquela faixa amarela do cabelo do Idris" para mostrar a cor dos cartões ao árbitro, ainda reparou como Brahimi "ficou demasiado nervoso com as provocações boavisteiras e até se pegou com um jogador chamado Carraça, provando que ainda não sabe mesmo falar português"

A recepção de bola de Jonas no primeiro golo fez mais pela união dos benfiquistas do que dez conferências de imprensa (por Um Azar do Kralj)

O tal domínio de bola do brasileiro não resolver tudo o que é problema no Benfica, mas, na visão de Um Azar do Kralj, "dispensa diretores de comunicação, presidentes nervosos e treinadores sem ideias". De resto, o escriba mantém a opinião de que a equipa "continua essencialmente a não jogar uma beata", acreditando, contudo, que "o mundo de Rafa mudou e a segunda parte de hoje valeu por muitas"

ZONA MISTA

Bruno de Carvalho mentiu em tribunal, foi ele que alterou a hora do treino

Jorge Jesus, em entrevista ao ”Correio da Manhã”, sobre o tema Invasão a Alcochete. Este fim de semana foi profícuo ao nível de acusações

O QUE AÍ VEM
Segunda-feira

Rio Ave - Sporting (20h15, SportTV1). Acompanhe o jogo na Tribuna Expresso, leia a crónica, as reações e a contracrónica de Diogo Faro.
Bola de Ouro: será Modríc o homem que derruba Ronaldo e Messi? A Tribuna fará um especial, ao minuto, sobre a cerimónia.

Quarta-feira
Benfica - Paços de Ferreira, para a Taça da Liga (20h15, SportTV1).
Manchester United - Arsenal, para a Premier League (20h, SportTv2)

Sexta-feira
FC Porto - Portimonense (20h30, SportTV1), para a I Liga

Sábado
Belenenses - Desportivo de Chaves (15h30, SportTV1)
Tondela - Sporting de Braga (18h, SportTV5)
Vitória de Setúbal - Benfica (20h30 (SportTV1)

Domingo
Nacional - Boavista (15h, SportTV1)
Moreirense - Santa Clara (15h, SportTV5)
Vitória de Guimarães - Rio Ave (17h30, SportTV5)
Sporting - Desportivo das Aves (20h00 SportTV1)

HOJE DEU-NOS PARA ISTO

Vintage Ronaldo. Circa 2008

Os puristas dizem que esta foi a melhor época de sempre de Cristiano Ronaldo. Aconteceu há dez anos, no Manchester United, e resultou na primeira de cinco Bolas de Ouro para o avançado goleador português que desatou a marcar golos precisamente nesta altura