Tribuna Expresso

Perfil

A batalha de Almaty

Partilhar

O Sporting sagrou-se campeão europeu de futsal ao derrotar na final o Kairat, por 2-1

O Sporting sagrou-se campeão europeu de futsal ao derrotar na final o Kairat, por 2-1

SCP

Mesmo o menos interessado dos leitores saberá que a série "Guerra dos Tronos" está prestes a terminar e é por isso que, esta manhã, ainda não abri qualquer rede social. Esta madrugada, o episódio relativo à batalha de Winterfell (sem spoilers: é assim um grande momento na série, pronto) foi transmitido e ainda não o vi, mas de certeza que houve muitas cenas dramáticas e, à conta de vários sacrifícios, os bons vencerão os maus, um dia. Ou assim esperamos sempre.

Vem isto a propósito da final de Almaty, onde a equipa de futsal do Sporting nos deu uma belíssima lição, sagrando-se campeã europeia, finalmente. Finalmente porque, antes da vitória, houve muitas cenas dramáticas: em 2011 perderam com o Montesilvano; em 2017 perderam com o Inter Movistar; e em 2018 também perderam com o Inter Movistar.

Ou seja, antes de haver uma grande vitória, houve três grandes derrotas. É tão simples como isto: para ganhar, eventualmente, é preciso falhar, repetidamente. Já lá vão os anos em que Michael Jordan, o maior de todos os tempos no basquetebol, o dizia: "Errei mais de 9 mil lances em toda a minha carreira. Perdi quase 300 jogos. Em 26 ocasiões, pude marcar o lançamento que daria a vitória e falhei. Falhei e falhei e falhei na minha vida. E é por isso que tenho sucesso".

Atualmente, é recorrente medir o fracasso pela obtenção de vitórias ou derrotas, o que é, obviamente, demasiado redutor para ter algum fundamento. Felizmente, no caso de Nuno Dias, houve a clarividência suficiente para perceber que o trabalho de uma equipa e, particularmente, de um treinador, não se mede simplesmente pelos resultados positivos e negativos, como muitas vezes nos querem vender.

Para ganhar, ou para perder, é preciso estar lá - e só se chega "lá", repetidamente, com competência e trabalho. Depois, hélas, vem a sorte. E a verdade é que, ganhando e perdendo, temos estado sempre lá, em quase tudo: no futsal, em clubes e na seleção e com o melhor do mundo; no futebol, com clubes e com as mais variadas seleções da base até ao topo e com o melhor do mundo; e também, no futebol de praia, com clubes e com a seleção e com o melhor do mundo. É assim que se cresce, batalha a batalha.

O que se passou

No nosso futebol, à 31ª jornada, houve, enfim, a gritaria do costume, enquanto o Benfica ganhava ao Braga, o Sporting ganhava ao Vitória de Guimarães e o FC Porto empatava com o Rio Ave. Lá fora, o Barcelona foi campeão, o City está quase a sê-lo, Marcelo Bielsa voltou a surpreender e Bottas venceu no Azerbaijão. E também somos ótimos no ténis de mesa.

Cá só há espaço para a glória biliosa dos que ganham e a vergonha indignada dos que perdem. E eu que queria falar do golo de Rafa

O escritor Bruno Vieira Amaral reflete sobre um tema popular português: os “ânimos exaltados”. E assim discorre sobre o peito desnudado de Madureira, o ar incrédulo de Job de Sérgio Conceição, as palmas que viram pedradas ao mínimo deslize, enfim, o futebol cá do sítio no seu esplendor

O demónio vem ao Estoril

Alex de Minaur, o n.º26 do <em>ranking </em>atp, vem jogar ao Estoril Open para melhorar a marca da temporada passada. O "demónio", um australiano com sangue uruguaio e espanhol, trocou correspondência com a <strong>Tribuna Expresso: </strong> <em>"Sou competitivo, mas fora de campo sou amigável"</em>

E agora, o que é que eu digo lá em casa, que foram os Super Wings? (por Insónias em Carvão)

Ora, aqui vai a semana desportiva em cinco memes (que incluem este <em>gif</em> de Bruno Lage) do nosso curador implacável das redes sociais. Esta rubrica contem comboios em andamento, dois campeões europeus de futsal, um chapéu à espanhola e um <em>barrilete cósmico</em> de Vila Franca

Os estupefacientes de Rúben, a condição oftalmológica de Pizzi, a verdade desportiva de Félix - e um copo para Adel (por Um Azar do Kralj)

Aqui está a análise que a generalidade dos benfiquistas aprendeu a ler após um jogo dos encarnados. É de Vasco Mendonça, pois claro, e tem jogos de palavras, trocadilhos, metáforas, pontos de vista, etcetera. Para quem verdadeiramente gosta de sorrir

A inexplicável sobrevalorização de Pepe, o impetuoso

O treinador Blessing Lumueno escreve sobre o central do FC Porto e sobre aquele erro que poderá custar um título no final do campeonato. E estende a análise a todos os centrais que fazem da agressividade o seu mantra. Porque tem de haver mais do que isso num defesa

Há momentos que definem campeonatos, diz Lá Em Casa Mando Eu: o remate de Kelvin, a bomba de Herrera, o rabo de Alex Telles

Aqui está a análise em bom português e mau castelhano - vide Casillas e Militão - sobre o inesperado empate do FC Porto em Vila do Conde pela parcial escrita de Catarina Pereira, de Lá Em Casa Mando Eu

Bruno Fernandes foi apenas o 2.º melhor em campo e Diogo Faro espera que já lhe tenham marcado uma consulta de urgência no psicólogo

O humorista viu a vitória do Sporting por 2-0 frente ao V. Guimarães e também acha que #nãoénormal Raphinha ter tratado assim uma ex-namorada, sem sequer pedir desculpa

“Estive em coma, parti costelas, omoplata, perfurei o pulmão, fiz uma septicemia, tive 45º de febre, fui dado como inapto. Estou aqui”

Esteve com a vida por um fio há pouco mais de um ano e chegou a ser dado como inapto para a prática desportiva. Mas Bruno Simão não é homem de baixar os braços, foi à luta e está a jogar no Casa Pia, depois de ter iniciado a carreira no clube do coração, o Benfica, e de ter passado por países como a Roménia, Moldávia, Azerbaijão ou Eslováquia. Amante da noite, confessa que demorou a amadurecer e que o irmão David, apesar de mais novo, é o seu ídolo e conselheiro. No futuro, depois de ser personal trainer, o que gostava mesmo era ter um hostel numa ilha da Tailândia, com um barzinho onde pudesse servir os seus petiscos

Zona mista

"Temos de ser mais unidos dentro do balneário, ser mais homens, correr todos para o mesmo lado. Olho para o campo e vejo os jovens um bocado perdidos. Têm de aprender a ouvir mais e a falar menos."

- Neymar, num acesso de maturidade (bom, ou de lançamento de culpas) após o PSG perder a Taça francesa para o Rennes - e, no final do jogo, o internacional brasileiro ainda deu um soco num adepto adversário e pode ser suspenso por isso

O que aí vem

Segunda-feira, 29

Já começou o Estoril Open, que irá encher o nosso país de ténis até 5 de maio - e, se tudo correr bem, terá nova vitória portuguesa, como no ano passado, com João Sousa. O FC Porto vai tentar conquistar pela primeira vez a Youth League, a Liga dos Campeões para jovens, frente ao Chelsea, numa final que será transmitida pela Eleven Sports, às 17h. À noite, também na Eleven, às 20h, há La Liga: Bétis-Espanhol. Já a SportTV transmite a liga italiana: Fiorentina-Sassuolo.

Terça-feira, 30

É dia de meias-finais da Champions: o Tottenham recebe o Ajax, às 20h (Eleven Sports). Antes, às 18h, há Montpellier-PSG (Eleven), num jogo que já não conta para grande coisa, uma vez que o PSG já se sagrou campeão.

Quarta-feira, 1

Aproveite o feriado para ir passear... bom, se calhar é melhor não. É que às 11h decide-se a Liga Revelação, com três equipas ainda com possibilidades de conquistar a prova: o Aves, 1º, joga em Braga; o Rio Ave, 2º, a um ponto da liderança, recebe o Estoril; e o Sporting, 3º, a três pontos do Aves, recebe, no Estádio de Alvalade, o Benfica. Às 15h, em andebol, há Benfica-FC Porto (BTV), equipas que repartem a liderança do campeonato com 46 pontos, juntamente com o Sporting, que recebe a Madeira SAD (18h30). E, para acabar o dia em beleza, às 20h, Barcelona e Liverpool disputam a outra meia-final da Champions (Eleven Sports).

Quinta-feira, 2

Depois da Champions, é a vez da Liga Europa: Arsenal e Valência disputam uma meia-final (transmissão SIC) e Eintracht Frankfurt e Chelsea disputam a outra (SportTV2), com ambos os jogos a estarem estranhamente marcados para a mesma hora, 20h. No basquetebol, a Oliveirense, líder do campeonato com 57 pontos, recebe o FC Porto (19h45, RTP2), 3º classificado com 54 pontos, enquanto o Benfica, 2º classificado com 55 pontos, recebe o Lusitânia, 4º com 44 pontos (21h, BTV).

Sexta-feira, 3

Começa a 32ª jornada da Liga, com o Moreirense-Rio Ave (20h30, SportTV). Às 19h30, há Juventus-Torino, com Ronaldo ainda à procura de golos. No hóquei em patins, há quartos de final da Taça de Portugal: Benfica-Juventude de Viana (19h30, BTV).

Sábado, 4

Às 11h, o Varzim de César Peixoto recebe o Famalicão de Carlos Pinto, que já conseguiu a promoção à Liga NOS. Às 12h45, há jogo grande na Liga chinesa: Guangzhou Evergrande-Beijing Guon (SportTV). Às 15h, o Wolves de NES recebe o Fulham (SportTV) e às 15h30 há Marítimo-Braga e Feirense-Chaves. Às 18h, o Benfica recebe o Portimonense (BTV) e às 20h30 o FC Porto recebe o Aves. Às 19h45 há Newcastle-Liverpool e a equipa de Klopp tem de ganhar para continuar a sonhar com o título. No hóquei em patins, Sporting e FC Porto defrontam-se nos quartos de final da Taça (19h30, TVI24). No andebol, o Belenenses recebe o FC Porto (18h30, Porto Canal).

Domingo, 5

O dia começa com um clássico... B: o Benfica B de Renato Paiva recebe o FC Porto B de Rui Barros, às 11h15 (BTV). Às 17h30, o Sporting visita o Jamor, casa emprestada do Belenenses SAD, e o Vitória de Guimarães recebe o Nacional, às 20h. Às 17h, há clássico turco: Galatasaray-Besiktas (SportTV5). No futsal, o Benfica continua atrás do título: vai defrontar o Eléctrico (14h20, RTP1).

Hoje deu-nos para isto

Não parece, mas esta bola não entrou na baliza do Barcelona: Sandra Paños defendeu-a e a equipa catalã passou à final da Liga dos Campeões feminina

Não parece, mas esta bola não entrou na baliza do Barcelona: Sandra Paños defendeu-a e a equipa catalã passou à final da Liga dos Campeões feminina

Quality Sport Images

É certo que isto passa um bocado ao lado da generalidade dos adeptos, mas ontem disputaram-se os jogos decisivos das meias-finais da Liga dos Campeões feminina. Depois de ganhar por 1-0 em Munique, o Barcelona voltou a derrotar o Bayern, também por 1-0, com 12.764 pessoas a ver - entre elas Ernesto Valverde -, nas bancadas do Mini Estadi, em dia de eleições espanholas.

Esta é a primeira vez que a equipa catalã (que tinha sido campeã masculina no dia anterior e que também esteve na final de futsal, o que só mostra que os grandes podem ser grandes em tudo) vai à final da Champions feminina, ao contrário do adversário que irá defrontar: o Lyon, crónico campeão europeu, que venceu as últimas três edições da prova e que eliminou nas meias-finais o Chelsea.

A final da Liga dos Campeões feminina entre Barcelona e Lyon será disputada a 18 de maio, às 17h, em Budapeste, e terá transmissão em Portugal através da Eleven Sports, felizmente - é assim que as coisas deixam de passar ao lado dos adeptos e começam a interessar a todos. Mais ou menos como aconteceu em 2013/14, quando o Restelo recebeu a final da prova, então conquistada pelas alemãs do Wolfsburg, frente às suecas do Tyreso (4-3), que contavam com a melhor jogadora de sempre na equipa: a brasileira Marta.

A melhor jogadora do mundo está em Lisboa. Para jogar e ver Ivete Sangalo

Chama-se Marta e no Brasil comparam-na a Pelé, por ter conquistado cinco Bolas de Ouro consecutivas. Está em Lisboa para disputar a final da Liga dos Campeões feminina, no Restelo, e o Expresso conversou com ela