Tribuna Expresso

Perfil

A lição de Puyol para Silas, Keizer e, bom, todos nós

Partilhar

Marcel Keizer à esquerda, Jorge Silas à direita (e Tiago Teixeira, adjunto de Silas, ao centro)

Marcel Keizer à esquerda, Jorge Silas à direita (e Tiago Teixeira, adjunto de Silas, ao centro)

Gualter Fatia/Getty

Como qualquer pessoa sã, num sábado soalheiro em que tive uma folga do futebol, decidi ir a uma formação de... futebol. No Jamor, durante grande parte do dia, algumas dezenas de treinadores juntaram-se para ouvir falar Joan Vilà, ex-jogador, treinador e diretor do Barcelona, que é uma espécie de sumidade naquilo a que os catalães chamam de "jogo de posição" (e "rondos" e "jogos de situação", mas isso é conversa para outras núpcias - esta semana será publicada na Tribuna Expresso uma entrevista com ele). Entre esses treinadores prontos para aprender coisas novas, estavam caras bem conhecidas do nosso futebol, como Miguel Cardoso, ex-Rio Ave, Renato Paiva, do Benfica B, Marisa Gomes, selecionadora adjunta feminina, e, também, Jorge Silas, treinador do Belenenses SAD.

No dia seguinte, domingo, o mesmo Silas viu o Belenenses SAD ser derrotado por incríveis 1-8, caindo para a 9ª posição da Liga. Por outro lado, Marcel Keizer viu o Sporting ganhar por incríveis 8-1, cimentando o 3º lugar na Liga. Vem isto a propósito, evidentemente, da perceção que os resultados têm na vida de um treinador: o Belenenses SAD de Silas começou a Liga de forma fantástica, rondando sempre os lugares cimeiros, mas agora vai com quatro derrotas e quatro empates nos últimos oito jogos (e a Europa, que pareceu tão perto, era afinal uma miragem, já que a SAD - tal como o Moreirense -, lamentavelmente nem inscreveu a equipa); e o Sporting de Keizer começou a tremer pela inconstância, mas agora vai com 10 vitórias consecutivas e 13 jogos sem perder.

Nisto do futebol, nada é eterno, muito menos os resultados, que não validam a competência de ninguém - mesmo que agora Sérgio Conceição já esteja a ser criticado, não pelo que a equipa joga - e sempre jogou -, mas pelos resultados. A situação em Inglaterra, aliás, é ainda mais paradigmática: Liverpool e City quase rebentam a tabela classificativa, mas, no final, um terá de perder. Invalida o esforço, o trabalho e a competência dos envolvidos?

Entre as muitas histórias contadas por Vilà, sobre Messi, Xavi, Iniesta e outros tantos, apareceu uma particularmente interessante sobre Puyol. O defesa, que só chegou aos 15 anos ao Barcelona, não tinha, no entender de quem mandava, qualidades técnicas suficientes para ficar no clube. Mas aquele rapaz demonstrou tanta vontade, tanta determinação, tanto querer... que, no final, acabou por ficar. Foi aprendendo, foi melhorando, foi ficando. E, mesmo já na equipa A do Barcelona, continuava a treinar-se com Vilà, por fora, porque queria disfarçar os defeitos que tinha e, no fundo, ser melhor. E, até ao final da carreira, foi sempre melhorando. Jogadores ou treinadores, estamos sempre a aprender - e isso vai muito além dos resultados. Basta querer.

O que se passou

Tsitsipas venceu o Estoril Open, mas a verdade é que o ponto da tarde foi de Pablo Cuevas, que deixou toda a gente de boca aberta com um smash fingido que afinal era um amórti entre as pernas (veja aqui ao minuto 1.06). No futebol feminino, o Sporting de Braga sagrou-se campeão nacional pela primeira vez (bem dizia António Salvador que queria um título...), ao empatar sem golos com o Sporting, campeão na época passada. No MotoGP, Miguel Oliveira não teve vida fácil no GP Espanha.

Deus e Família ou o sobrenatural no comando e o Benfica a reboque (por Bruno Vieira Amaral)

O escritor lembra-nos que há semanas em que o futebol não se compadece com tática, ciência e racionalidade, mas sim com o esotérico, com os nervos. Esta foi uma dessas semanas e quem viu o Benfica - Portimonense sabe do que Bruno Vieira Amaral fala

Os pretendentes amorosos de Bruno Fernandes, os 'moleques' do Benfica e o carinho da família portista (por Insónias em Carvão)

O Benfica aproxima-se vertiginosamente do título e, à 32ª jornada da Liga portuguesa, Insónias em Carvão presenteou-nos com o melhor do fim de semana: Bruno Fernandes, Rafa, Jonas, Sérgio Conceição e, claro, Iker Casillas

Casillas, o risco de Wendel dançar Dirty Dancing, Pulp Fiction, Macarena e o amor à mãe... de Bruno Fernandes (por Diogo Faro)

O humorista analisa a goleada ao Belenenses SAD, no Jamor, e tira o chapéu ao erro de Mathieu, "um amante do bom futebol". Afinal, "estava 2-0 para o Sporting, o jogo estava chato, mole, previsível..."

Ok, sexo é bom, mas alguma vez celebraram uma reviravolta com dois golos do Rafa? (por Um Azar do Kralj)

Aqui está a análise ao Benfica-Portimonense (5-1) por Vasco Mendonça, do Um Azar do Kralj, um documento imaculado, sólido e equilibrado que até canta Sérgio Godinho

As pernocas que não seriam barradas no Estoril Open, a Humanidade salva por uns calções e as dicas para o verão (Lá Em Casa Mando Eu)

Aqui está a contracrónica de Catarina Pereira, de 'Lá Em Casa Mando Eu', que tira o chapéu à ausência de golos sofridos e ao calcanhar do maestro Brahimi

Zona mista

"“Isto é uma encomenda. É uma encomenda, que não sei de quem é, mas vou descobrir. Há muita gente que quer desgastar o nome do Manuel Fernandes e aproveita-se deste homem, que quer vir para o Sporting trabalhar como diretor desportivo. Cometi o maior erro da minha vida, que foi tirar o Nelson da baliza para pôr este rapazito…"

- Manuel Fernandes, ex-treinador do Sporting, a responder às críticas de Peter Schmeichel, que o apelidou de "inútil" enquanto foi treinado por ele no clube de Alvalade

O que aí vem

Segunda-feira, 6
Depois da vitória do Liverpool, o Manchester City está obrigado a ganhar ao Leicester (20h, SportTV2) para regressar ao topo da Premier League - o Liverpool tem 94 pontos, o City tem 92, com menos um jogo. E depois, fica a faltar apenas a última jornada para decidir o campeão inglês. Às 20h15, Vitória de Setúbal e Boavista encerram a 32ª jornada da Liga, em mais uma luta pela permanência: o Boavista já tem 35 pontos, mas o Vitória ainda tem 33 e tem à perna o Chaves, com 32, e o Tondela, antepenúltimo, com 31. O Nacional, penúltimo, tem 28, e o Feirense, já despromovido, tem apenas 16.

Terça-feira, 7
Vamos ficar a saber quem é o primeiro finalista da Liga dos Campeões 2019/20. Depois de vencer por 3-0 em Camp Nou, cortesia de Lionel Messi, o Barcelona vai a Inglaterra defrontar novamente o Liverpool (20h, Eleven Sports).

Quarta-feira, 8
Depois de Liverpool e Barcelona, entram em campo Ajax e Tottenham para a 2ª mão das meias-finais da Champions (20h, Eleven), com os holandeses a trazerem de Londres, da 1ª mão, uma vantagem de 1-0. Em andebol, há FC Porto-Sporting (20h30, Porto Canal) - ambos líderes do campeonato, com 40 pontos.

Quinta-feira, 9
Comece a madrugada, às 0h30 (SportTV4), com um duelo norte-americano entre Columbus Crew, equipa na qual joga o português Pedro Santos, e LA Galaxy, equipa que conta com Zlatan. Às 20h, decidem-se os finalistas da Liga Europa: o Chelsea recebe o Eintracht (empate a um golo na 1ª mão), na SportTV; e o Valência recebe o Arsenal (vitória inglesa por 3-1 na 1ª mão), na Tribuna Expresso e na SIC.

Sexta-feira, 10
Começa a 33ª jornada da Liga, com o Aves a receber o Moreirense (20h30, SportTV1).

Sábado, 11
Às 11h, há Leixões-Paços, na SportTV, e às 16h há Benfica B-Vitória de Guimarães B, ambos da 2ª Liga. Na Liga NOS, às 15h30 (SportTV), há Portimonense-Marítimo e Santa Clara-Feirense; às 18h, há Boavista-Braga; e às 20h30 há Sporting-Tondela. Em hóquei em patins, o FC Porto defronta o Barcelona (12h, RTP2), para a final four da Liga Europeia, enquanto o Sporting recebe o Benfica (18h, RTP2), para a mesma prova.

Domingo, 12
Decide-se hoje o campeão inglês, na última jornada da prova: o Liverpool recebe o Wolves (15h, SportTV2) e o City vai ao campo do Brighton (15h, SportTV3) - e há também um interessante Tottenham-Everton. Às 11h15, no Porto Canal, há FC Porto B-Sp. Braga B, na 2ª Liga. Às 15h, há Chaves-V. Setúbal e V. Guimarães-Belenenses SAD; às 17h30, há Nacional-FC Porto e às 20h há Rio Ave-Benfica. Às 18h, disputa-se a final da Liga Europeia em hóquei em patins, que terá pelo menos uma equipa portuguesa.

Hoje deu-nos para isto

Barrington Coombs - EMPICS

Para surpresa de meio mundo, Peter Schmeichel deixou o Manchester United e aterrou em Alvalade em 1999/00, época em que o Sporting conquistou o campeonato nacional. Curiosamente, foi também à final da Taça de Portugal contra o mesmo adversário desta época, o FC Porto - e então foram os portistas a ganhar, já numa "finalíssima" (2-0), depois de um empate a um golo. Michel Preud'homme, Peter Schmeichel, Iker Casillas... não se pode dizer que as balizas portuguesas não foram bem protegidas nas últimas décadas.

As melhores defesas de Schmeichel no Sporting

Peter Schmeichel foi jogador do Sporting em 1999/00 e 2000/01, conquistado um campeonato português. Recorde alguns dos melhores momentos do dinamarquês ao serviço do clube