Tribuna Expresso

Perfil

O fabuloso destino do comendador Eliseu Pereira dos Santos

Partilhar

Sou motociclista, sou o maior

Sou motociclista, sou o maior

ANTONIO COTRIM/EPA

“Olha este maluco de scooter”

“Parece o Eliseu”

“Pois parece”

“AI, É O ELISEU!”

Este diálogo aconteceu na redação da Tribuna, mas apostava um mindinho em como surgiu em tantas outras casas, cafés, coletividades, praças de Portugal. Ele ali estava, o desaparecido Eliseu, regressado não montado num cavalo numa noite de nevoeiro, mas de óculos escuros e chapéu numa scooter num serão de golos e espumante, logo após o Benfica bater o Santa Clara por 4-1 e assim conquistar o 37.º título nacional da sua história.

As personagens mitológicas são assim: surgem quando se menos espera, roubando a cena, maravilhando todos à volta. Mais: Eliseu, o comendador Eliseu Pereira dos Santos, sabendo muito bem que não teve a merecida despedida no Estádio da Luz, tratou de providenciá-la à sua maneira, aparecendo de surpresa (ou pelo menos assim pareceu), numa festa que já não era sua.

Um championship crasher. Um empreendedor. Um visionário.

Às tantas já ninguém queria saber da taça, só de dar um abraço ao açoriano, em apanhar uma boleiazinha na sua scooter, que havia já sido protagonista do título de 2017. Até Luís Filipe Vieira, entre impropérios e palavrões, que uma pessoa perdoa porque é dia de festa, gritava que o homem nunca aparecia, uma pessoa andava à procura dele e ele nunca aparecia. “Nunca atendes o telefone, car….!””. Isso.

Eu sei, Luís Filipe. Nós também tentámos, achávamos que ele só era escorregadio para os jornalistas, mas afinal é um modo de vida. Talvez estivesse longe, na penumbra, a preparar o grande show, o regresso apoteótico e isso só está ao alcance dos míticos. E de repente não me consigo lembrar de diálogo mais português e mais autêntico e sem salamaleques que aquele que Eliseu teve com o fragilizado Pietra (ainda a recuperar depois de se sentir indisposto no jogo com o Portimonense), tudo apanhado, e bem apanhado, pelos microfones da BTV.

“Tu realmente… vou-te dizer… Não me apertes muito”

“Estás todo f…..”

“Ainda bem que apareceste”

Nem o melhor argumentista de Hollywood, caro leitor.

Eu sei que o Benfica é campeão e devia estar aqui a fazer um sumário da época e da festa e dos golos e do diabo a sete, mas precisava mesmo de fazer uma homenagem a Eliseu Pereira dos Santos, comendador anteriormente missed in action. Atrevo-me a dizer (e acredito que o Jonas também) que a felicidade é Eliseu em cima de uma lambreta e não sei se ele vai desaparecer agora da mesma forma que apareceu, do nada, de surpresa, mas pelo menos aquela cavalgada no Estádio da Luz (e depois no Marquês, sempre com Jonas, o jovem Jonas), já ninguém nos tira.

O que se passou

Passou-se também que houve um Clássico em que o FC Porto até começou a perder com o Sporting, mas acabou a ganhar, nada que, no entanto, contasse para o título. E vai passar-se que, déjà vu, as duas equipas voltam a encontrar-se no sábado, no Estádio Nacional, para disputar a Taça de Portugal.

Passou-se que o Tondela fica na I Liga, depois de ganhar ao D. Chaves e que o Paços de Ferreira é campeão da II Liga - e Vítor Oliveira vai para o Gil Vicente, porque se fosse fácil não era para ele.

Passou-se ainda que o Benfica, no seu primeiro ano no futebol feminino sénior, levantou a Taça de Portugal.

Passou-se que Miguel Oliveira voltou a pontuar no Mundial de MotoGP, apesar de se sentir aborrecido com a penalização que transformou dois pontos em um ponto.

Passou-se também que o Manchester City juntou a Taça de Inglaterra a Campeonato, Taça da Liga e Supertaça. Ufff. Que o Bayern Munique é heptacampeão da Alemanha (surprise!). E que o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca foi novamente campeão da Ucrânia.

E que Nadal bateu Djokovic na final do Masters de Roma (com direito a um 6-0) e que talvez por isso seja mesmo o favorito a Roland Garros.

Génios, místicas e caras feias, eclipses e serenidades (o campeonato, por Bruno Vieira Amaral)

Acabado o campeonato, o escritor Bruno Vieira Amaral faz o clássico "em jeito de balanço", argumentando quem são os melhores e os piores de 2018-19

Às vezes, as boas decisões são fruto acaso, não é verdade Vieira?

Nuno Amado escreve sobre os méritos e deméritos de Bruno Lage, o treinador provisório que passou a efetivo e fez o que raramente se faz em Portugal: apostar em miúdos em fases críticas e, ainda assim, ganhar o campeonato. Mas há muita coisa ainda por fazer

Veredito: culpado por devolver a esperança a seis milhões

Bruno Vieira Amaral escreve sobre como foi possível chegar até aqui quando nada o fazia prever, e enuncia, passo a passo, os passos dados por Benfica e FC Porto que levaram o campeonato até ao limite

O mérito do SLB? O miúdo de aparelho nos dentes e cabelo à João Maria de Cascais que anda na vela e na equitação alternadamente

O sportinguista Diogo Faro escreve sobre o Benfica campeão na ótica da estratégia: o FC Porto foi arrogante, o Sporting foi astuto e construiu um guião digno de novelas, e o Benfica foi espertalhão, usando uma versão do Cavalo de Tróia a que chamaram Cavalo de Vitória. Para ler e sorrir

O Benfica foi campeão apesar do Benfica e isto dói e deixa-me de rastos (por Lá Em Casa Mando Eu)

Catarina Pereira, cronista e comentadora, sobre os méritos e deméritos deste Benfica campeão. Na hora da verdade, diz ela, o Benfica fez o que o seu FC Porto não fez: marcar golos e jogar bem no Dragão

O Benfica é o sistema: explicando como o 4x4x2 libertou o talento

O treinador Blessing Lumueno analisa, elogia e critica o que de bom, mau e mais ou menos tem este Benfica campeão do ponto de vista tático e estratégico, partindo da premissa que está no título

“Então, o rapaz não está a fazer um bom trabalho?”: Viagem às raízes de Bruno Lage

Em Setúbal estão as raízes de Bruno Lage, o treinador que mudou o clube da Luz em seis meses. Lá, a comparação a Mourinho é inevitável

#37

Quando tudo parecia perdido, quando a #reconquista soava a bazófia, o Benfica conseguiu dar a volta com um treinador novo, uma equipa remodelada com gente que já lá estava e chegou ao 37.º título. A Tribuna Expresso reúne aqui textos e vídeos que ajudam a explicar o que aconteceu, e como aconteceu, e também vídeos dos melhores momentos e jogadores deste campeonato

O faxineiro Lage, a mala de Vieira, os garrafões de Taarabt, a cebola de Jonas e... Eliseu, és o rei disto tudo (Insónias em Carvão)

Ora então, um bom domingo para todos os benfiquistas, e não benfiquistas também. O curador implacável das redes sociais que dá pelo nome de Insónias em Carvão esteve clinicamente atento a tudo o que se passou na festa do #37. E certamente reparou em pormenores que mais ninguém viu. É para isso que ele existe

Escusam de gastar dinheiro em livros e psicólogos. Deixem que o Félix vos salve (por Um Azar do Kralj)

Vasco Mendonça deixa aqui o seu tributo ao seu Benfica que conquistou o 37.º título de campeão nacional com uma goleada ao Santa Clara. É tempo de ler as análises parciais, divertidas e metafóricas aos que jogaram, mas também ao homem que chegou do nada e de mota violou todas as regras do código da estrada

O delay de Renan, José Rodrigues dos Santos (?), Bruno não te aleijes e aquele abraço a Fábio Veríssimo (Diogo Faro)

Aqui está a análise aos jogadores do Sporting que saíram derrotados do Dragão num jogo que teve uma valente salganhada pelo meio. Diogo Faro, o nosso humorista de serviço, fez as piadas que se impunham - e até para a semana, que há Taça de Portugal, onde ele espera que Coates esteja fresquinho e descansado

O conselho de Lá em Casa Mando Eu, que quer o vosso bem: larguem os textos sobre futebol. Vão ler um livro, mas é. Cultivem-se, seus grunhos

O FC Porto até acabou o campeonato a ganhar, frente ao Sporting, mas Catarina Pereira não ficou, obviamente, satisfeita com o 2º lugar... e com a razia que aí vem: "Sem Herrera e sem Casillas (?), a braçadeira de capitão já tem dono no próximo ano. A não ser que o vendam, também pode ser, claro. E à braçadeira de capitão, já agora"

Makukula: “Uma vez passei-me com o Cardozo no balneário do Benfica. Ele entrava, não falava com ninguém e sacava logo dos santos”

O ponta de lança grande e intimidante que se fez homem em Guimarães antes de rumar a Espanha, onde foi feliz, sobretudo no Sevilha, ao ganhar a Taça UEFA, é hoje embaixador do futebol da República Democrática do Congo, a terra que o viu nascer. Aos 38 anos, Aziz Makukula, pai de quatro filhos, conta como esteve para desistir do futebol depois de ver o seu nome fora da seleção que foi ao Mundial de 2010 e revela quem era, para ele, o mais divertido do balneário da Luz quando por lá passou

Zona Mista

"Acho que fui um gajo com uns tomates muito fortes"

Luís Filipe Vieira, no balneário do Benfica, momentos após a conquista do 37.º título nacional dos encarnados e momentos antes de anunciar um aumento significativo do prémio dos jogadores pela conquista do mesmo. Antes ter tomates que ver a luz, portanto.

O que aí vem

Segunda-feira, 20

Erzurum BB - Fenerbahce, da liga turca (18h, Sport TV3) e Lazio - Bolonha, da liga italiana (19h30, Sport TV1).

De madrugada há Portland Trail Blazers - Golden State Warriors, mais um jogo da final da Conferência Oeste da NBA (2h, Sport TV1)

Terça-feira, 21

Utrecht - Heracles (17h30, Sport TV1) e Vitesse - Groningen (19h45, Sport TV1), do playoff da liga holandesa.

Toronto Raptors e Milwaukee Bucks jogam na final da Conferência Este da NBA (1h30, Sport TV1).

Quarta-feira, 22

Já madrugada adentro At. Paranaense e River Plate jogam a 1.ª mão da Recopa Sul-Americana (1h30, Sport TV2).

Quinta-feira, 23

Arranca o Mundial sub-20, com o Polónia - Colômbia (19h30, RTP2).

Na Fórmula 1, disputam-se as duas primeiras sessões de treinos livres para o GP Mónaco (9h30 e 13h30, ElevenSports3).

Jogam-se os quartos de final do ATP250 de Lyon (a partir das 10h, Sport TV3).

Sexta-feira, 24

Stade de Reims - PSG (20h05, ElevenSports1), Nice - Monaco (20h05, ElevenSports2), Caen - Bordeús (20h05, ElevenSports3), Rennes - Lille (20h05, ElevenSports4), Marselha - Montpellier (20h05, ElevenSports5) e Nimes - Lyon (20h05, ElevenSports6), tudo para a última jornada da liga francesa.

Sábado, 25

Dia de final da Taça de Portugal: Sporting - FC Porto (17h15, RTP1 e Sport TV1).

Portugal estreia-se no Mundial sub-20 frente à Coreia do Sul (14h30, RTP1).

FC Porto - Benfica em juvenis (11h, Porto Canal).

Leipzig e Bayern Munique jogam a final da Taça da Alemanha (19h, Sport TV3) e Barcelona e Valência a final da Taça do Rei (20h, ElevenSports1).

No Mundial de Fórmula 1 há treinos livres (10h30, ElevenSports3) e qualificação (12h30, ElevenSports3) para o GP Mónaco.

Jogam-se as meias-finais do ATP 250 de Lyon (13h30, Sport TV3).

Domingo, 26

GP Mónaco (14h05, ElevenSports3).

Segue o Mundial sub-20: Polónia - Taiti (19h30, RTP2).

Final do ATP 250 de Lyon (13h30, Sport TV3).

Hoje deu-nos para isto

Tenho a ideia que não é a primeira vez que falo de Marshawn Lynch nesta newsletter, mas enquanto via Eliseu a dar voltinhas no Estádio da Luz com a sua scooter lembrei-me novamente do destrambelhado running back da NFL, também ele envolto numa enorme carga mística e que ainda nos tempos universitários resolveu roubar o carro dos socorristas para fazer uns piões em pleno relvado

O dia em que Marshawn Lynch roubou o carrinho dos socorristas para fazer uns piões em pleno relvado

Há maneiras e maneiras de festejar uma vitória. Ainda Marshawn Lynch, <em>running back</em> da NFL, era um jovem jogador universitário e já não lhe faltava atitude: num jogo dos California Golden Bears, equipa da Universidade de Berkeley, Lynch montou-se no carrinho destinado ao transporte de jogadores lesionados e deu-lhe outro uso mais divertido