Tribuna Expresso

Perfil

Liga NOS vida selvagem

Partilhar

Foi assim que terminou o Belenenses SAD-FC Porto

Foi assim que terminou o Belenenses SAD-FC Porto

MÁRIO CRUZ

Conseguimos vê-los na fotografia aqui mais acima, a conversar uns com os outros, um deles com a bola no pé, até meio alheados do que se passa - o que é bom, na verdade. Eles chamaram-me a atenção porque, ultimamente, temos tido dias recheados de peripécias com apanha-bolas. Primeiro foi José Mourinho, no Tottenham, a recompensar a clarividência de um deles, no jogo, na conferência pós-jogo e até no treino seguinte, onde o rapaz foi convidado a estar; e este fim de semana foi Duncan Ferguson, o treinador que ficou, interinamente, a tomar conta do Everton depois da saída de Marco Silva, que celebrou efusivamente um dos golos da equipa frente ao Chelsea com um apanha-bolas.

Ambas as situações descritas ocorreram na Premier League e isso não é, na verdade, coincidência ou sequer surpreendente: há outro campeonato no qual o futebol e tudo o que está à sua volta seja tão valorizado? Não creio (ao contrário do que disse recentemente Jorge Jesus, do alto da sua soberba - está um homem mudado, diziam eles... então não).

Este fim de semana, em entrevista publicada na edição semanal do Expresso, João Pedro Sousa, que esteve na Premier enquanto adjunto de Marco Silva, entre 2016 e 2019, contava-me que, à chegada a Inglaterra, a organização da prova realizava reuniões com todos os novos intervenientes que a ela se juntavam, para lhes explicar o que era a Premier League, como se valorizava, quais eram as regras e que objetivos tinham. Todos os que não seguissem a linha indicada, estariam a ir contra o espírito da prova e seriam duramente castigados.

E assim chegamos aos apanha-bolas do Belenenses SAD (será que são do Belenenses SAD ou do Belenenses? Dúvidas (im)pertinentes)-FC Porto, que foram brindados com um excelente espetáculo no relvado do Jamor, não durante os 90 minutos, mas já após o apito final. Que, diga-se, não é espetáculo exclusivo às cores em questão, mas costumeiro por muitas das cores que entram num relvado em Portugal, entre comunicados, queixumes e dramatizações, com a assistência até de quem deveria promover o jogo mediaticamente, mas que não tem "juízo" para mais.

É assim a nossa Liga NOS. Mais vale os nossos apanha-bolas verem o United a surpreender o City, Messi a marcar como se nada fosse, Suárez a inventar soluções de predestinados, Ronaldo a continuar a somar golos, Joaquín a fazer história aos 38 anos, etc, etc, etc. Para ver esta Liga portuguesa, só mesmo como quem vê um documentário sobre a vida animal.

O que se passou

A notícia do dia, é obviamente, a exclusão da Rússia das principais provas desportivas, por quatro anos. Noutras notícias: no Everton saiu um português e pode entrar outro; Bruno Fernandes continua a ser falado para todo o lado; Luís Neto ficará fora dos relvados cerca de dois meses; o Cruzeiro desceu mesmo, pela primeira vez; e Joaquín fez-nos sorrir, aos 38 anos. Por fim, mas não menos importante, bem pelo contrário: morreu Rogério "Pipi".

Vinícius, portentoso e letal

O escritor Bruno Vieira Amaral escreve sobre os golos de Vinícius e as queixas do FC Porto: "Alguns poderão queixar-se desta tendência do nosso futebol para o teatro e o bailado pós-jogo. Não será o meu caso. Para bom futebol, vejo outros campeonatos, outros jogos"

Flamengo sofre goleada e perde invencibilidade de 28 jogos. O "engripado" Jesus compreendeu: "O time estava meio desligado"

Os jogadores já estão com a cabeça na disputa do Mundial, disse Jesus, após a derrota por 4-0 com o Santo, que fechou o campeonato Brasileiro. <em>A Tribuna Expresso convidou o jornalista brasileiro Plínio Fraga para escrever sobre Jorge Jesus e o Flamengo com o tom, o sotaque e o ritmo certos do Brasilerão</em>

Lá em Casa Mando Eu sobre Diogo Leite: "Erro infantil no golo. É normal nesta idade e é com estes erros que se cre... Ah, espera"

Afinal era Marcano, que aliviou uma bola para onde estava virado e permitiu ao Belenenses SAD marcar um golo. Catarina Pereira esteve no Jamor e quer perguntar a Marchesín como é que se faz para não se estar tão irritado com Manafá e Marega como ele parecia não estar

O chinquilho de Maximiano, o Spotify de Ristovski, o Rei do Reggaeton e um grande artista francês (por Diogo Faro)

Victor Hugo, Proust, Simone de Bouvoir, Marguerite Duras, Albert Camus, Henri Matisse, Cézanne, Monet, Rousseau, Debussy, Ravel, Bizet, Gérard Depardieu, Catherine Deneuve, Juliette Binoche, Marion Cottilard, Brigitte Bardot, Vincent Cassel. Está a ver quem são? São grandes homens e mulheres das artes de nacionalidade francesa e, depois do Sporting - Moreirense deste domingo, Diogo Faro acredita que Mathieu também lá está na lista

Luís Leal: “O Sá Pinto, ao querer ganhar sempre, acaba às vezes por passar um bocado o limite. Mas é uma grande pessoa"

Aos 32 anos, Luís Leal mantém a mesma timidez com que entrou no Sporting, aos 10 anos, depois de ter começado a dar os primeiros chutos na bola no Arrentela, clube da terra onde cresceu. Nascido em solo português, filho de são-tomenses, acabou por não vingar no futebol português ao mais alto nível, optando por isso por jogar fora e representar a seleção de São Tomé e Príncipe. Andou pelas Arábias, experimentou o Chipre e a Turquia, mas foi na América Latina que assentou arraiais, nos argentinos do Newell's Old Boys, onde começou Messi e também brilharam Batistuta e Maradona

É isto que faz um treinador de remates e livres: "Quero ajudar alguém a ser o equivalente ao Roger Federer no futebol"

Bartek Sylwestrzak é, pelas suas palavras, um <em>ball striking coach</em>. Trabalha com o Gent, da Bélgica e o Midtjylland, da Dinamarca, sempre com o mesmo objetivo: ensinar jogadores a bater a bola com várias técnicas, efeitos e gestos, e aprimorá-los. O polaco diz que Lionel Messi tem "uma técnica razoável, mas consistente", vê Cristiano Ronaldo a cometer "os mesmos erros e a ter dificuldades com os mesmos problemas há 15 anos", como "levantar a bola", e explica que Andrea Pirlo "demorou, talvez, quase uma década a aprender o que pode ser aprendido em meia época, ou num par de meses"

João Pedro Sousa e a estreia como treinador principal, no Famalicão: “Posso ser mau treinador, mas não tenho falta de experiência”

Uma rápida pesquisa num qualquer motor de busca por “João Pedro Sousa” só começa a mostrar resultados a partir de maio de 2019. Foi nessa altura que o Famalicão, recém-promovido à 1ª divisão, anunciou o novo treinador, que até então só tinha sido adjunto, quase sempre de Marco Silva: no Everton, Watford, Hull, Olympiacos, Sporting e Estoril. A estreia como principal, aos 48 anos, foi vista com desconfiança, mas o impacto foi imediato: o Famalicão foi líder da Liga durante largas jornadas e está agora em 3º lugar, atrás de Benfica e FC Porto

Zona mista

"[Teve um convite do Sporting em setembro?] É verdade. [...] [Teve um convite do Benfica em janeiro?] "Não quero estar a entrar por aí porque isso faz parte do passado".

- Abel Ferreira, treinador do PAOK, em versão "Dr. Jekyll e Mr. Hyde", numa entrevista ao jornal "Record"

O que aí vem

Segunda-feira, 9

O West Ham recebe o Arsenal, que vai de mal a pior, às 20h (SportTV2) e o Rio Ave e o Gil Vicente fecham a 13ª jornada da Liga NOS, às 20h15.

Terça-feira, 10

Está de volta a Champions (todos os jogos na Eleven Sports) e o dia começa cedo, às 15h, com a Youth League: Benfica-Zenit. Às 20h, Benfica-Zenit em graúdos, também na Eleven Sports, e na TVI.

Quarta-feira, 11

Há mais Champions, com destaque para o "português" Shakhtar Donetsk com a Atalanta, às 17h55, e para o Leverkusen-Juventus, às 20h, na Eleven. Em andebol, há FC Porto-Belenenses, às 20h30, Porto Canal.

Quinta-feira, 12

Às 17h55, Lask e Sporting decidem quem termina o grupo na Liga Europa em 1º lugar, e o Vitória de Guimarães defronta o Eintracht Frankfurt. Às 20h, o FC Porto recebe o Feyenoord, e o Slovan Bratislava recebe o Braga.

Sexta-feira, 13

Começa a 14ª jornada da Liga, com um Portimonense-Rio Ave, às 20h30.

Hoje deu-nos para isto

Rogério "Pipi" (1922-2019

Rogério "Pipi" (1922-2019

Divulgação

Nunca vi, confesso, Rogério "Pipi" a jogar, ainda que tenha apanhado aqui e ali um ou outro excerto, em vídeos como o que abaixo se segue. Sei, ainda assim, que antes de Eusébio, houve Rogério, com 217 golos em 355 jogos.

E sei também que somos uns felizardos por podermos ver, todas as semanas, a cores e a HD e em GIFs infinitos, as maravilhas de Lionel Messi, Cristiano Ronaldo & companhia.

Faça o favor de ter uma boa semana e aprecie a sua vida. Isto dura pouco.

RIP, Rogério "Pipi".

Rogério Lantres de Carvalho, "Pipi"

Rogério Lantres de Carvalho, antigo avançado do Benfica e um dos nomes históricos do clube, morreu este domingo, um dia depois de ter feito 97 anos

PS: Devido a uma emergência familiar esta manhã, atrasei a produção e respetivo envio desta newsletter. Por isso mesmo, as minhas desculpas aos nossos subscritores.