Tribuna Expresso

Perfil

Onde vai uma, vão todas

Partilhar

Este é Afonso Sousa, que marcou um golaço pela BSAD frente ao Braga, antes de fazer ouvidos de mercador 🙉

Este é Afonso Sousa, que marcou um golaço pela BSAD frente ao Braga, antes de fazer ouvidos de mercador 🙉

TIAGO PETINGA

Como certamente aconteceu com muitos seres humanos entediados pelo primeiro confinamento a que tivemos de obedecer, lá para o início de 2020 - que agora parece, sei lá, há uma década -, decidi abraçar um novo passatempo: aprender xadrez. Aprendi, joguei e senti-me capaz de fazer tudo, ainda que, na verdade, não jogasse lá muito bem. Adiante. Quando "The Queen's Gambit" apareceu, obviamente apressei-me a vê-la, não imaginando minimamente o impacto que a série teria: em quatro semanas, foi vista por 64 milhões de pessoas e provocou um interesse renovado por xadrez... e não só.

Citando um belíssimo artigo do "The New York Times": "Aparentemente adoramos uma história sobre afirmação: um mundo no qual uma rapariga pode andar livremente, em controlo, sendo respeitada pelo seu conhecimento e capacidade; no qual uma personagem feminina tem sucesso num mundo masculino sem ser assediada, assaltada, abusada, ignorada, dispensada, encostada, roubada ou esquecida. Esta história é tão rara no mundo real que até parece utópica na ficção. "The Queen's Gambit é uma fantasia, uma que raramente vemos - uma meritocracia para mulheres, em que elas são livres de fazerem o que querem."

Nesta altura, certamente haverá leitores a pensar "ah, mas esse mundo já existe, que exagero, femininistas, o demónio, etc". E vai-se a ver e nem sequer sabem o que é machismo, porque se não somos racistas, também seguramente não somos machistas, até temos mães, namoradas, filhas, etc, etc. A minha resposta é: diria que pensam tudo isso porque não são mulheres.

Particularmente, mulheres no mundo - machista, fique bem claro - do futebol, como a jornalista Rita Latas, que se tornou este domingo a primeira mulher em Portugal a narrar um jogo da Liga portuguesa, no caso o BSAD-Braga, na SportTV, a mesma estação televisiva que já tinha tido (e ainda tem) a primeira comentadora do sexo feminino, a treinadora Helena Costa, agora scout do Eintracht Frankfurt.

Não houve nada especialmente relevante na narração de Rita Latas, senão o próprio facto da sua existência, o que nos leva ao que mais interessa: hoje, as raparigas poderão crescer a ver na televisão jogos de futebol em que há árbitras, como Stéphanie Frappart, e narradoras e comentadoras do sexo feminino. E basta isso para fazer toda a diferença.

De resto, quando aparecer o paternalismo do costume, é fazer o que fez Afonso Sousa quando marcou o segundo golo do BSAD frente ao Braga: 🙉 . Parabéns, Rita. Venham mais.

O que se passou

Leia também

Factos: este Benfica não joga o triplo. Nem sequer o dobro. Este Benfica não joga nada. É poucochinho

"Anda tudo aos papéis e ninguém sabe ao certo que papel desempenhar", escreve Bruno Vieira Amaral sobre o Benfica de Jorge Jesus, que joga como se o treinador "tivesse chegado ontem" à Luz

Leia também

A lição de Um Azar do Kralj para Ody: faz qualquer coisa, homem. Jogas em Portugal há anos e ainda não percebeste como é que isto funciona?

O Benfica ganhou ao Paços de Ferreira (2-1), já nos descontos, e Vasco Mendonça tem algo a dizer na sua análise humorística: "Há uns dias JJ dizia a uma jornalista que esta não sabia o que era qualidade no futebol. Dias depois explica com a sua habitual humildade que o Gilberto foi o melhor em campo. Acho que até a Rita Latas se riu"

Leia também

O meu nome é Luca. Marco no segundo andar

O Benfica entrou a perder e teve sempre muitas dificuldade frente a um Paços de Ferreira seguro na defesa e organizado e rápido no ataque. O golo da vitória apareceu nos derradeiros segundos dos descontos, um salto de Waldschmidt que valeu uma vitória por 2-1, mas não um atestado de qualidade da equipa de Jorge Jesus

Leia também

Perez, de último para primeiro, na emocionante vitória de um piloto sem lugar em 2021 - e no dia da odisseia de azares de George Russell

Corrida de loucos no GP Sakhir, no Bahrain, com a Mercedes a deitar tudo a perder, "roubando" a vitória a George Russell com uma desastrosa paragem na box quando a corrida estava mais que controlada. Quem aproveitou foi Sergio Perez, que até andou em último depois de um incidente na 1.ª volta, e foi escalando, conseguindo aos 30 anos a sua primeira vitória na F1

Leia também

João Sousa: "Senti-me um bocadinho inútil e frustrado. Não estava feliz a jogar"

É sincero e di-lo do coração: não faz ideia em que posição do ranking está quando é feita a entrevista. João Sousa, o melhor tenista português de sempre, estava em 90º, dentro do top 100 onde reside há mais de sete anos, mas nunca com uma época feita como a anterior — com um teto imposto pela dor de uma lesão no pé, uma limitação que o forçou a mudar o estilo de jogo sem se adaptar à mudança. E a desanimar por causa dela

Leia também

Lá em Casa Mando Eu pede a renovação da dupla Otávio-Sérgio Oliveira, também conhecida por Xavi-Iniesta dos pobres

Aqui fica a análise bem-humorada de Catarina Pereira à vitória do FC Porto em casa frente ao Tondela por 4-3

Leia também

Diogo Faro acordou com uma súbita vontade de utilizar a expressão "gato-sapato", que cai bem naquilo que Porro fez ao lateral do Famalicão

Aí está a análise bem-disposta do humorista ao empate do Sporting em Famalicão

Leia também

Carlos Xavier e a Real Sociedad de Toshack: "Aos 30 minutos vejo a placa número 10... Eu não saio, tire outro! Está a brincar comigo?"

A Real Sociedad continua em primeiro lugar da La Liga (24 pontos em 33 possíveis), por isso fomos falar com Carlos Xavier, que vestiu a camisola 10 entre 91 e 94, em San Sebastián, com Oceano por perto a guardar-lhe as costas. À <strong> Tribuna Expresso</strong>, o antigo médio recorda os dérbis com o Athletic, Maradona, Kodro, o inferno e o céu contra Vitória de Guimarães e Real Madrid e ainda aquelas duas vezes em que John Toshack o tirou de campo antes da meia hora de jogo

Leia também

“Na Guatemala, um tipo apontou-me a arma à cabeça e perguntou se sabia o que era Roleta Russa. Disse-lhe que comia armas ao pequeno-almoço”

As peripécias do treinador Guilherme Farinha pelo mundo incluem armas, rajadas de metralhadora, jogadores que se vendem por tuta e meia, passaportes roubados e retidos, fugas, encontros com Nino Vieira e o 3.º homem mais rico do Paraguai e também com Roque Santa Cruz, ciclismo e a morte de Joaquim Agostinho. São 64 anos de vida, quase tantos como os episódios que conta nesta entrevista, como ele diz, <em>sui generis</em>

Zona mista

"Tive de ir buscá-los lá fora, ao túnel. Esta equipa é assim, onde vai um, vão todos."

- Rúben Amorim, treinador do Sporting, falava depois do empate frente ao Famalicão, e começava uma nova tendência no clube, mesmo sem saber: nasceu entretanto a hashtag #OndeVaiUmVãoTodos, assim como um movimento de apoio com o mesmo nome

O que aí vem

Segunda-feira, 7
⚽ Vale a pena ver o novo Estrela da Amadora, frente ao Montijo, às 12h, no 11 (curiosamente, também com uma mulher, Carolina Couto, a narrar - e bem).
🗳️ Às 17h, há sorteio dos grupos de qualificação para o Mundial do Qatar, o que inclui, obviamente, a seleção portuguesa.
⚽ Às 20h15, na SportTV, "liga dos últimos" entre Farense e Marítimo, para encerrar a 9ª jornada da Liga NOS.

Terça-feira, 8
🏄
Começa o circuito mundial de surf masculino, em Pipeline, no Havai.
⚽ À noite há Champions, com destaque para o Barcelona-Juventus, às 20h, na Eleven.

Quarta-feira, 9
⚽ Logo às 0h30, há 1/4 final da Libertadores com presença portuguesa: o Palmeiras de Abel Ferreira defronta, no Paraguai, o Libertad, na SportTV.
⚽ O Benfica estreia-se nos 16 avos de final da Liga dos Campeões feminina, com uma tarefa quase impossível pela frente: superar uma das melhores equipas femininas do mundo, o Chelsea, que tem aquela que é provavelmente a melhor jogadora do mundo, Pernille Harder. Às 15h, na BTV.
⚽ Às 20h, o FCP, já qualificado para os 'oitavos' da Champions, joga na Grécia com o Olympiacos.

Quinta-feira, 10
⚽ É dia de Liga Europa, com Liège-Benfica, às 17h55, na SIC, e Braga-Zorya, às 20h, na SportTV.

Sexta-feira, 11
⚽ Está de volta a Taça de Portugal, a dia e horas pouco convidativas - mas também sem adeptos...: às 21h15, Sporting-Paços, na SportTV.

Sábado, 12
⚽ Dia de grandes clássicos: às 17h30, Manchester United-Manchester City, na SportTV; às 20h, Real Madrid-Atlético Madrid, na Eleven.

Domingo, 13
🏎️
Às 13h10, em Abu Dhabi e na Eleven Sports, termina o Mundial de Fórmula 1, conquistado por Lewis Hamilton e pela Mercedes.
⚽ Às 14h15, destaque para o Tottenham, que continua líder da Premier League e que vai ao campo do Crystal Palace.
⚽ Na Taça de Portugal, às 18h30, há FC Porto-Tondela, e, às 20h30, há Benfica-vencedor do Vilafranquense-Sanjoanense (18h de quarta-feira).
⚽ Às 20h, na Eleven, clássico francês entre PSG e Lyon.

Hoje deu-nos para isto

Bobby Robson treinou o Sporting em 1992/93 e 1993/94, antes de sair para o FC Porto, onde passou as três épocas seguintes

Bobby Robson treinou o Sporting em 1992/93 e 1993/94, antes de sair para o FC Porto, onde passou as três épocas seguintes

Tony Harris - PA Images

Ele estava no PSV, mas Sousa Cintra decidiu ir buscá-lo à Holanda e fazer dele o novo treinador do Sporting. Foi assim que Bobby Robson entrou em Portugal pela primeira vez, em 1992/93, tendo então José Mourinho já como tradutor, em Alvalade. Naquela época, a equipa acabou em 3º lugar, mas, em 1993/94, com Balakov, Iordanov e Luís Figo, as aspirações eram maiores.

Tudo corria às mil maravilhas, com o Sporting a liderar o campeonato, quando a equipa foi à Áustria defrontar o Casino Salzburg, na 2ª mão da 3ª ronda da Taça da UEFA. Na 1ª, os portugueses tinham derrotado os austríacos, por 2-0, portanto nada fazia prever que perdessem.

Mas, a 7 de dezembro de 1993, faz hoje 27 anos, o Sporting perdeu por 3-0 e foi eliminado da prova. E foi assim que Sousa Cintra, num acesso irrefletido (?), ainda no avião, despediu Bobby Robson, com a equipa em 1º lugar do campeonato. O inglês foi então para o FC Porto, onde terminou o campeonato em 2º lugar, à frente do... Sporting, claro.

Leia também

O jogo que fez Sousa Cintra despedir Bobby Robson

Recorde o jogo entre o Casino Salzburg e o Sporting, que eliminou os portugueses da Taça UEFA, a 7 de dezembro de 1993

Tenha uma boa semana e, quando quiser, vá acompanhando a Tribuna diariamente no site, no semanário Expresso e no Twitter, no Facebook e no Instagram: @TribunaExpresso.