Tribuna Expresso

Perfil

Todos nós somos lodaçal

Partilhar

Os jogadores do PSG e do Basaksehir juntos contra o racismo, depois de na véspera se terem recusado a jogar em solidariedade com Pierre Webó

Os jogadores do PSG e do Basaksehir juntos contra o racismo, depois de na véspera se terem recusado a jogar em solidariedade com Pierre Webó

XAVIER LAINE/Getty

Chamem-lhe coincidência.

Na última terça-feira, dia 8, aproveitei a tarde de feriado para ver o primeiro dos cinco filmes - ou longos episódios, não sei bem como lhes chamar - que Steve McQueen realizou para a série “Small Axe”, que a BBC estreou em novembro. Cinco histórias sobre a vida das comunidades caribenhas em Londres, dos imigrantes que chegaram à capital britânica vindos da Jamaica, Granada ou Trinidad e Tobago entre os anos 60 e 80. Um projeto pessoal de McQueen, que foi o primeiro realizador negro a ganhar o Óscar de melhor filme - e não foi há 20 ou 30 anos, foi em 2014, portanto, ontem.

McQueen é ele próprio fruto dessa diáspora, descendente de imigrantes de Granada e Trinidad. O primeiro tomo da antologia chama-se “Mangrove” e conta a história real dos chamados “Mangrove Nine”, um grupo de nove ativistas negros julgados no início dos anos 70 por conspiração e incitação a motim, depois de participarem numa manifestação contra a polícia de Notting Hill, que terminou em violência.

A razão da manifestação? Há meses e meses que a polícia britânica fazia raides arbitrários e consecutivos ao “Mangrove”, o restaurante de comida caribenha de um dos nove julgados, sob falsas alegações de tráfico e consumo de drogas no local. O “Mangrove” tinha-se tornado num lugar de reunião para as comunidades negras de West London e isso sim mexia com o racismo estrutural que era regra nas forças policiais britânicas.

O filme é cru e incómodo porque nos confronta com a pior das injustiças. Quando tudo nos falha, contamos com as instituições, menos quando estas são corrompidas pelo ódio e pelo racismo. Aí, ficamos sem nada que proteja os nossos direitos mais básicos. Mas apesar do sabor amargo que nos fica, “Mangrove” acaba com um tom de esperança, não fosse o caso dos “Mangrove Nine” um dos momentos mais importantes da luta pelos direitos civis dos negros britânicos.

Voltemos à coincidência.

Mal acaba o filme, ligo a televisão e vejo que o PSG - Istambul Basaksehir está interrompido. E rapidamente percebo que entre 1970 e 2020 pouco mudou. Há um quarto árbitro que, para identificar Pierre Webó, o camaronês adjunto da equipa turca, trata-o por “negro”. As duas equipas recusam-se a continuar o jogo.

A discussão dos que estão de fora passa rapidamente para as intenções do senhor Sebastian Coltescu. Para as diferenças entre “negro” e “preto” e de como em certos países um termo é mais insultuoso que outro. Como se fosse esse o ponto, como se a questão não estivesse toda, de forma absolutamente clara, nas palavras de Demba Ba: “Nunca dizes ‘este tipo branco’. Dizes ‘este tipo’. Então porque é que quando falas de um negro dizes ‘este tipo negro’?”.

O racismo também está nas palavras, seja qual for a intenção delas. Aliás, talvez esteja aí o mais entranhado nojo do racismo, aquele que já está impregnado no mais básico discurso. Esse é o mais difícil de limpar. Não, não é OK identificar alguém por “negro”, muito menos tentarmos adivinhar como se sente alguém que é vítima de racismo.

"Mangrove" em português pode traduzir-se como mangal, um ecossistema de transição entre o terrestre e o marinho, típico das ilhas das Caraíbas e que, de forma mais informal, tratamos por pântano. No século XIX, Eça de Queirós achava esta terra um pântano, até meteu João da Ega a escrever “O Lodaçal” nos “Os Maias”, um livro de crítica à sociedade portuguesa dentro de um livro que fazia o mesmo. E enquanto continuarmos a achar que o racismo é “moda”, que “qualquer coisa que se possa dizer contra um negro é sempre racismo” e que “se se disser o mesmo contra um branco já não é”, enquanto acharmos legítimo este pensamento, continuamos a ser não estar preparados para qualquer ato de contrição, somos os mesmos que há 150 anos, que há 50 anos, somos cúmplices, olhem, como diria João da Ega, todos nós somos lodaçal.

O que se passou

Sporting, FC Porto e Benfica estão na próxima eliminatória da Taça de Portugal.

A Juventus é o adversário do FC Porto nos oitavos de final da Champions. Vida difícil também para Benfica e Sp. Braga nos 16 avos de final da Liga Europa: a equipa de Jorge Jesus joga com o Arsenal e os minhotos com a Roma.

Cristiano Ronaldo é mais uma vez finalista do prémio “The Best” - o vencedor será conhecido na quinta-feira.

Max Verstappen liderou do início ao fim o último GP da temporada 2020 da Fórmula 1, em Abu Dhabi.

O futebol perdeu mais três figuras neste terrível 2020: Alejandro Sabella, Paolo Rossi e Gerard Houllier.

Leia também

O Teatro dos Sonhos deverá ser rebatizado como Teatro dos Sonos

Ao ver o <em>derby</em> de Manchester, Bruno Vieira Amaral não sentiu nada inteligente, nem ficou espantado com a argúcia dos treinadores, apenas mortalmente aborrecido. Depois de assistir a hora e meia de tortura, recordou-se de uma frase dita por Jorge Valdano, esse estranho centauro dois terços lírico, um terço pragmático, cujo significado é mais ou menos este: "se alguém puser merda pendurada num pau haverá sempre quem considere isso uma obra de arte"

Leia também

Vai ficar um clima estranho nas churrascadas da Aroeira se Everton for parar ao banco por causa de Pedrinho (avisa Um Azar do Kralj)

E por isso mesmo, depois do brasileiro vindo do Corinthians ter brilhado no jogo com o Vilafranquense, Vasco Mendonça apoia o fim de qualquer churrascada para a qual ele próprio não tenha sido convidado

Leia também

Lá em Casa Mando Eu e o amor de Sérgio Oliveira e Otávio: "Anda lá, renova contrato como eu, vamos ser felizes para sempre neste meio-campo"

O FC Porto venceu o Tondela por 2-1, na 4ª eliminatória da Taça de Portugal, e, na sua análise humorística, Catarina Pereira ficou incrédula com Marega: "Fez tudo bem na jogada do 2-1: recebeu, passou de calcanhar, desmarcou-se e rematou acrobaticamente. Vou voltar a escrever, porque podem ter lido mal: fez tudo bem na jogada. Vou deixar isto aqui só mais uma vez, porque sabe-se lá quando poderei repetir tal coisa: fez tudo bem!"

Leia também

A covid que meta a mão na consciência e que tenha noção do que está a impedir os sportinguistas de ver ao vivo (por Diogo Faro)

O Sporting eliminou o Paços de Ferreira da Taça de Portugal, com uma vitória confortável, por 3-0, e Diogo Faro, na sua análise humorística, só lamenta não poder estar presente no estádio nestes tempos em que só distribui elogios

Leia também

"Uma vez virei-me ao Oceano dentro do balneário. A sorte é que ele tropeçou e caiu entre o banco e os cacifos e não se conseguiu levantar"

À beira de completar 54 anos, último de oito irmãos, Litos recorda um percurso que se inicia com o sonho de criança de ser cowboy, mas que começa a ganhar corpo como jogador no Sporting, aos 15 anos. Fala do preço que pagou pela sua frontalidade, confessa que o maior arrependimento foi ter saído do clube do coração com medo de um processo disciplinar, revela histórias que envolvem Figo, Manuel José, Cajuda, Oceano e viagens de autocarro de mais de 11 horas em África e explica por que razão era conhecido por "pipi"

Leia também

A Fórmula 1 em 2020: primeiro não aconteceu nada. Depois aconteceu tudo

A pandemia quase riscou 2020 da Fórmula 1, mas o regresso deu-nos um dos Mundiais mais animados de que há memória: “desafiante” e “excitante”, diz à <strong>Tribuna Expresso</strong> Óscar Góis, comentador da Eleven, antes da última prova, em Abu Dhabi (13h10, Eleven)

Leia também

Os misters portugueses outra vez à conquista do Brasil

Com pouco mais de um mês no Palmeiras, Abel Ferreira já impressiona o Brasil, que procura cada vez mais treinadores portugueses, depois do sucesso de Jorge Jesus no Flamengo. Mas o volátil futebol brasileiro rejeita tão rápido quanto abraça, como sentiram Jesualdo Ferreira e Augusto Inácio, e como já está a perceber Ricardo Sá Pinto

Leia também

O fim do carisma e humor com apito: após o 100.º jogo internacional, Nigel Owens anuncia a retirada

Esteve em finais de Mundiais, da Heineken Cup (o equivalente à Liga dos Campeões) e em jogos dos principais campeonatos europeus, diga uma prova e Nigel Owens esteve lá, a apitar e a transbordar para o râguebi todo o seu carisma e frontalidade com os jogadores. Aos 49, o provável árbitro mais carismático e influente do râguebi revelou, esta sexta-feira, que não apitará mais jogos internacionais, sendo que o primeiro a ter essa honra foi um Portugal-Geórgia, em 2003. Quatro anos mais tarde, assumiria publicamente a sua homossexualidade

Zona mista

“Sou da geração de 79. Para todos nós era como um super-herói, preferíamos ser Maradona a ser Batman, Super-Homem ou Homem Aranha”

Pablo Aimar, um dos jogadores mais elegantes que tivemos o privilégio de ver nos relvados portugueses, numa entrevista à EFE, a esfregar-nos na cara a sorte que foi poder ter como herói um semideus, mas de carne e osso

O que aí vem

Segunda-feira, 14

⚽️Continua a 4.ª eliminatória da Taça de Portugal, com destaque para o Olímpico Montijo - Sp. Braga (20h15, Sport TV1)

⚽️Na La Liga, há Celta de Vigo - Cádiz (20h, Eleven1)

Terça-feira, 15

⚽️Depois da Taça de Portugal, vem a Taça da Liga, com o Sporting a receber o Mafra (20h15, Sport TV1)

⚽️O mais português dos clubes da Premier League, o Wolverhampton, recebe o Chelsea (18h, Sport TV2). Mais à noitinha, o Man. City recebe o West Bromwich (20h, Sport TV2)

⚽️Na Serie A, veja o Udinese - Crotone (17h30, Sport TV3).

⚽️Na Bundesliga, o Eintracht Frankfurt de André Silva recebe o Borússia M’gladbach (17h30, Eleven 1) e o Borussia Dortmund viaja até casa do Werder Bremen (19h30, Eleven2)

⚽️Em Espanha, o Real Madrid recebe o Athletic Bilbao (21h, Eleven1)

Quarta-feira, 16

⚽️É a vez de FC Porto e Benfica jogarem para a Taça da Liga, os dragões com o Paços de Ferreira (18h45, Sport TV1) e a equipa de Jorge Jesus com o V. Guimarães (21h, Sport TV1)

⚽️Na 2.ª mão dos 16 avos de final da Liga dos Campeões feminina, o Benfica joga em Londres com o Chelsea.

⚽️Continua a jornada 13 da Premier League, com destaque para o embate entre os dois primeiros: Liverpool - Tottenham (20h, Sport TV2)

⚽️Na Serie A, a Juventus de Cristiano Ronaldo recebe a Atalanta (17h30, Sport TV3)

⚽️Em Espanha, o At. Madrid de João Félix joga com o Cardassar para a Taça do Rei (18h, Sport TV4). Para o campeonato, há Barcelona - Real Sociedad (20h, Eleven1)

⚽️Na Bundesliga, o Bayern Munique recebe o Wolfsburgo (19h30, Eleven2) e na Ligue 1 o PSG joga com o Lorient (20h, Eleven3)

Quinta-feira, 17

⚽️Continuam os oitavos de final da Taça da Liga, com o Sp. Braga - Estoril Praia (20h15, Sport TV1)

⚽️Na Serie A, a Roma de Paulo Fonseca recebe o Torino (19h45, Sport TV3)

⚽️O Manchester United de Bruno Fernandes vai até ao terreno do Sheffield United, em mais uma jornada da Premier League (20h, Sport TV2)

Sexta-feira, 18

⚽️Regressa a I Liga, com o Portimonense - Famalicão (20h30, Sport TV1)

⚽️O Borussia Dortmund vai até à capital para jogar com o Union Berlin (19h30, Eleven2)

⚽️Na La Liga, o Athletic recebe o Huesca (20h, Eleven1)

Sábado, 19

⚽️Segue a jornada 10 da Liga, com o Marítimo - B SAD (15h, Sport TV1), Tondela - Moreirense (18h, Sport TV1) e o Sporting - Farense (20h30, Sport TV1)

⚽️Na Liga feminina, o Benfica joga com o Estoril (11h, 11)

⚽️Mais uma jornada da Premier League, com destaque para o Crystal Palace - Liverpool (12h30, Sport TV+) e para o Southampton - Man. City (15h, Sport TV2)

⚽️Na Serie A, duelo entre portugueses: o Parma de Bruno Alves de um lado e a Juventus de Cristiano Ronaldo do outro (19h45, Sport TV3)

⚽️João Félix e o At. Madrid jogam frente ao Elche na La Liga (13h, Eleven1) e o Barcelona recebe o Valencia (15h15, Eleven1)

⚽️Na Bundesliga, o jogo grande da jornada é o Bayer Leverkusen - Bayern Munique (17h30, Eleven2)

Domingo, 20

⚽️Na I Liga, acompanhe o Paços de Ferreira - Boavista (15h, Sport TV1), o Gil Vicente - Benfica (17h30, Sport TV1) e o FC Porto - Nacional (20h, Sport TV1)

⚽️Na Premier League, o Tottenham de José Mourinho recebe o Leicester (14h15, Sport TV2) e o Man. United o Leeds (16h30, Sport TV2)

⚽️Em Itália, o destaque vai para o Roma - Atalanta (17h, Sport TV3) e para o Lazio - Nápoles (19h45, Sport TV3)

⚽️Na La Liga, o Real Madrid vai a casa do Eibar (20h, Eleven1) e na Ligue 1, o Lille de Renato Sanches e José Fonte recebe o PSG (20h, Eleven2)

Hoje deu-nos para isto

Cada um tem o seu clube, cada um tem o jogo da sua vida e cada um utiliza um jogo e um resultado em específico para atirar à cara a um qualquer amigo adepto de equipa rival. É possível que o 7-1 ao Benfica seja o resultado preferido dos sportinguistas para gozar com os adversários do outro lado da 2.ª circular, goleada que aconteceu faz precisamente esta segunda-feira 34 anos, no velhinho Estádio José de Alvalade.

Foi num dia chuvoso, a 14 de dezembro de 1986, que Manuel Fernandes fez um póquer e entrou para a história dos dérbis, num resultado surpreendente ao qual normalmente os benfiquistas contra-atacam com o 6-3 de 1994.

O 7-1 acabou por valer de pouco ao Sporting, já que o Benfica seria campeão nessa época 1986/87, mas o resultado inusitado, um dos mais desnivelados da história dos jogos entre os grandes, continua a ser ponto de honra para os adeptos da equipa de Alvalade.

Leia também

Sporting 7-1 Benfica, há 34 anos foi assim

A 14 de dezembro de 1986, num dia chuvoso, o Sporting bateu o Benfica por 7-1, no antigo Estádio José de Alvalade

Tenha uma boa semana, seja bom e justo para o próximo e siga a Tribuna diariamente no site, no semanário Expresso e no Twitter, no Facebook e no Instagram: @TribunaExpresso.