Tribuna Expresso

Perfil

Quatro pontos de Natal

Partilhar

Ruben Amorim, a cara do Sporting mais dickensiano dos últimos anos

Ruben Amorim, a cara do Sporting mais dickensiano dos últimos anos

Pedro Fiúza/NurPhoto via Getty Images

Era uma vez um homem que não gostava do Natal, que numa noite é visitado por três espíritos e no dia seguinte acorda renascido, com vontade de abraçar o espírito natalício e tornar-se noutra pessoa, de coração mais aberto.

Este é o resumo mais rápido da história, uma sinopse às três pancadas de “Um Conto de Natal”, o livrinho de Dickens ao qual fui desavergonhadamente adaptar o título desta newsletter, pedindo desde já desculpa aos mais puros da literatura pelo descaramento de usar um dos mais amados livros da época festiva para uma vulgar crónica sobre bola.

Porque no pequeno resumo de “Um Conto de Natal” há algo de Sporting 2020/21, o clube que odiava o Natal, que se perdia em dezembro e que, de repente, neste ano louco, passou a gostar das festas e é possível que tal só tenha acontecido porque foi visitado por três espíritos: o da antecipação, da organização e, por fim, o do coração, que não é de menos.

O da antecipação, porque a época 2020/21 do Sporting começou em março de 2020, quando Rúben Amorim chegou a Alvalade com aquela frase “E se correr bem?” para espantar desde logo os augúrios de quem via ali um treinador caro (até hoje não sabemos). Antecipação porque desde logo o treinador começou a trabalhar para o futuro. Antecipação porque, ao contrário de outros anos, o Sporting tratou do mercado cedo, contratou cirurgicamente, mais cá dentro do que lá fora e trouxe jogadores com entrada direta para o onze.

Organização porque hoje o Sporting é uma equipa com uma ideia de jogo bem definida, com estratégias trabalhadas, com um sistema que tira o melhor de vários dos jogadores, com homens que sabem o que têm de fazer em campo.

E o do coração, porque quando tudo tem falhado - e falhou já algumas vezes - é o que tem valido ao Sporting, um aparente espírito de comunhão entre a equipa, uma atitude competitiva de cavalo de corrida. Só assim foi possível ganhar contra o Gil Vicente, contra o B SAD ou contra o Sp. Braga, quando o Sporting não foi a melhor equipa em campo nos 90 minutos de jogo. Ou quando à sua frente encontrou um campo de batatas lavrado pela depressão Filomena na Madeira, na última sexta-feira.

Não sei se tudo isto é suficiente para vencer um campeonato, mas bastou para pelo menos o Sporting fazer aquilo que não conseguia há quase 20 anos: afastar os espíritos negativos do mito urbano do Natal, época de supostas grandes trevas para o clube, e virar o ano em 1.º lugar, com quatro pontos de vantagem para o 2.º lugar.

E se se pode personalizar o feito, terá de ser em Rúben Amorim. Diz quem o conhece que tem o que Jesus tem de melhor e é muito melhor naquilo em que Jesus não é assim tão bom. A parte humana, leia-se. Não sabemos o que se passa dentro do balneário, mas olhando ao que se passa em campo, dificilmente jogadores e treinador não estarão em sintonia. E cá fora, nas conferências de imprensa, que é onde podemos ouvir Amorim, está um homem sereno, um treinador desassombrado, que não tem problemas em assumir que tem tido “estrelinha” (ou será isto na verdade um arguto baile que ele nos está a dar?), rápido a afastar possíveis polémicas, com classe e pragmatismo a recusar as perguntas com rasteira, que não coloca os jogadores no pedestal, mas os defende com dentes de leão quando alguém os trata com indiferença (ver secção Zona Mista).

É possível que o Sporting não passe completamente incólume deste janeiro demoníaco, com jogos em três competições, duelos com os três rivais e uma densidade competitiva inaudita nesta temporada. O Sporting não tem os recursos de FC Porto e Benfica, não tem as opções que os rivais têm e os efeitos da correria de calendário dos adversários também se irão esbater com o tempo. E não sabemos como vai reagir um Sporting em crise.

Mas algo aqui já se ganhou: a noção que provavelmente só um projeto pragmático a médio/longo prazo poderá colocar o Sporting a lutar em pé de igualdade com FC Porto e Benfica. Poderá não funcionar já, estará mais perto de funcionar no futuro.

O que se passou

2021 ligou para 2020 e disse hold my beer e só assim se explica que Edgar Davids, que enquanto jogador foi vencedor de uma Liga dos Campeões e troféus um bocado por essa Europa fora, tenha sido apresentado como treinador do Olhanense e logo ao primeiro jogo tenha sido expulso. Ainda não sei o que achar do novo normal, mas a história da chegada do holandês ao Algarve está aqui.

De resto, também houve isto:

Rúben Amorim sabe muito. Chamem-lhe inteligência emocional ou outra coisa qualquer. Parvo é que ele não é

O Sporting foi à Choupana, saiu de lá com três pontos e uma conta astronómica de lavandaria. Paulinho e os seus subordinados terão de trabalhar horas extra, está visto. O jogo não foi um daqueles espetáculos a que assistimos com binóculos de ópera, antes uma reencenação de batalhas medievais com agricultores, camponeses e servos da gleba dispostos a dar a vida por um alqueire ou meia-dúzia de couves

“No Leixões tive seis meses de salário em atraso, queria comer e não tinha dinheiro, tive de pedir à minha mãe que mandasse dinheiro”

No Rio Ave, Ukra batizou-o de "o anão mais gigante do mundo" e apesar de Pedro Santos não ter brilhado muito em Portugal, onde jogou em clubes como Sporting, V. Setúbal, Rio Ave e SC Braga, conseguiu destacar-se do outro lado do Atlântico e tornar-se uma peça fundamental na equipa de Columbus Crew. No final de 2020, o extremo esquerdo sagrou-se campeão da liga norte-americana de futebol (MLS), mas o azar bateu-lhe à porta e teve de assistir ao último jogo em casa, sem poder festejar com os colegas a conquista do título, por estar infetado com covid-19

Veiga, Juliano, Julinho, Waldschmidtsson, Luquinha, Bynia (?), não interessa. 'Acarditem', que é para ganhar no Dragão

Vasco Mendonça recupera e propõe novos <em>petit noms </em>com sotaque da Reboleira para certos jogadores que o caro leitor certamente já descobriu quem são. Esta é a análise humorística a Weigl, Waldschmidft &amp; <em>alli </em>após o triunfo do Benfica com o Tondela

Lá Em Casa Mando Eu propõe: Sérgio Oliveira a presidente dos penáltis, no FC Porto até ao fim da sua vida, e em todos os campos da Liga

A análise humorística de Catarina Pereira que, aos poucos, se deixa contagiar pela febre eleitoral que o país vive

Já se percebeu que Sporar não está nesta época para marcar. Mas quem faz o refogado também ganha a estrela Michelin

Na sua análise humorística do jogo possível do Sporting no lamaçal da Choupana, Diogo Faro também concluiu que nada parou Feddal, como se o marroquino "fosse um trumpista a invadir o Capitólio. Se bem que não é branco, por isso não teria sido tão fácil"

Qualidade de jogo. O que é isso? Uma tese que defende a objetividade das diferenças entre o bom e o mau futebol

O treinador e comentador Blessing Lumueno escreve sobre a eterna discussão entre o bom e o mau futebol, que não é, explica, nada subjetiva, ao contrário do que se costuma dizer: "Fala-se do futebol como se fosse um jogo sem regras e sem constrangimentos que nos indiquem quais são os caminhos que maior probabilidade de sucesso nos dão em relação a outros"

Zona mista

"Foi um momento difícil dentro do avião e depois parámos em Porto Santo e fomos recebendo várias chamadas da doutora Helena [Pires, diretora executiva da Liga] da Liga, que tínhamos de ir ao Funchal, que tínhamos de ir a jogo, como se fôssemos nós que não queríamos ir a jogo, como se fôssemos nós a pilotar o avião"

Rúben Amorim, na conferência de imprensa após a vitória no estádio do Nacional, provando que os treinadores podem colocar o dedo na ferida com clareza e sem meias-palavras

O que aí vem

Segunda-feira, 11

⚽️ Taça de Portugal: Marítimo - Sporting, oitavos de final (21h15, TVI)

⚽️ II Liga: FC Porto B - Leixões (15h, Porto Canal) e Académica - Mafra (18h30, Sport TV+)

⚽️ Série A: Spezia - Sampdoria (19h45, Sport TV3)

⚽️ Taça de Inglaterra: Stockport County - West Ham (20h, Sport TV2)

⚽️ La Liga: Huesca - Betis (20h, Eleven1)

🎾 Ténis: ATP 250 de Delray Beach, quartos de final (19h30, Sport TV4)

Terça-feira, 12

⚽️ Taça de Portugal: Rio Ave - Estoril (14h, 11), Moreirense - Santa Clara (17h, 11), Nacional - FC Porto (19h, Sport TV1) e Estrela - Benfica (21h15, TVI)

⚽️ Premier League: Sheffield United - Newcastle (18h, Sport TV2), Wolverhampton - Everton (20h15, Sport TV5) e Burnley - Man. United (20h15, Sport TV3)

⚽️ Taça de Itália: Milão - Torino (19h45, Sport TV4)

⚽️ Taça da Alemanha: Bayer Leverkusen - E. Frankfurt (19h45, Sport TV5)

⚽️ Taça Libertadores: Palmeiras - River Plate, das meias-finais (0h30, Sport TV1)

Quarta-feira, 13

⚽️ Taça de Portugal: Sp. Braga - Torreense (15h30, Sport TV1)

⚽️ Taça de Itália: Fiorentina - Inter (14h, Sport TV2), Nápoles - Empoli (16h45, Sport TV3) e Juventus - Génova (19h45, Sport TV3)

⚽️ Premier League: Man. City - Brighton (18h, Sport TV2) e Aston Villa - Tottenham (19h45, Sport TV2)

⚽️ Taça da Alemanha: Holstein Kiel - Bayern Munique (19h45, Sport TV5)

⚽️ Taça Libertadores: Santos - Boca Juniors (22h15, Sport TV1)

🎾 Ténis: ATP 250 de Delray Beach, final (20h, Sport TV4)

Quinta-feira, 14

⚽️ Taça de Portugal: Fafe - B SAD (14h, 11) e Gil Vicente - Ac. Viseu (20h30, 11)

⚽️ Premier League: Arsenal - Crystal Palace (20h, Sport TV1)

⚽️ Taça de Itália: Atalanta - Cagliari (20h15, Sport TV3)

🏆 🇵🇹 Mundial de andebol e a estreia da Seleção Nacional: Portugal - Islândia (19h30, RTP2)

Sexta-feira, 15

⚽️ Dia de jogo grande na I Liga: FC Porto - Benfica (21h, Sport TV1). Ainda antes há um Sporting - Rio Ave (18h30, Sport TV2).

⚽️ Bundesliga: Union Berlin - Bayer Leverkusen (19h30, Eleven1)

⚽️ Serie A, com dérbi: Lazio - Roma (19h45, Sport TV5)

⚽️ Premier League, também com dérbi, mas em Londres: Fulham - Chelsea (20h, Sport TV3)

⚽️ Ligue 1: Montpellier - Monaco (20h, Eleven2)

Sábado, 16

⚽️ I Liga: Paços de Ferreira - Sp. Braga (15h30, Sport TV1), V. Guimarães - Farense (18h, Sport TV1), Tondela - Boavista (20h30, Sport TV1)

⚽️ II Liga: Leixões - Chaves (11h, Sport TV1), Benfica B - Académica (16h, BTV), Vizela - Penafiel (17h, 11)

⚽️ Premier League: Wolverhampton - WBA (12h30, Sport TV2), Leeds - Brighton (15h, Sport TV3), West Ham - Burnley (15h, Sport TV2), Aston Villa - Everton (17h30, Sport TV2), Leicester - Southampton (20h, Sport TV2)

⚽️ Serie A: Bolonha - Verona (14h, Sport TV5), Torino - Spezia (17h, Sport TV3), Sampdoria - Udinese (19h45, Sport TV3)

⚽️ Bundesliga: Borussia Dortmund - Mainz (14h30, Eleven1), Wolfsburgo - RB Leipzig (14h30, Eleven2), Estugarda - Borussia M’gladbach (17h30, Eleven1)

⚽️ Ligue 1: Marselha - Nimes (16h, Eleven3), Angers - Paris SG (20h, Eleven1)

🏆 🇵🇹 Mundial de Andebol: Marrocos - Portugal (17h, RTP2)

🏀 NBA: San Antonio Spurs - Houston Rockets (22h, Sport TV5)

Domingo, 17

⚽️ I Liga: Nacional - Moreirense (15h, Sport TV1), Santa Clara - Famalicão (17h30, Sport TV1), Gil Vicente - Marítimo (20h, Sport TV1)

⚽️ II Liga: Feirense - FC Porto B (11h15, Sport TV1), Ac. Viseu - Oliveirense (11h15, Sport TV2), Arouca - Mafra (14h, Sport TV+), Varzim - Casa Pia (17h, 11)

⚽️ Premier League: Sheffield United - Tottenham (14h, Sport TV2), Liverpool - Manchester United (16h30, Sport TV2), Manchester City - Crystal Palace (19h15, Sport TV2)

⚽️ Serie A: Nápoles - Fiorentina (11h30, Sport TV+), Sassuolo - Parma (14h, Sport TV3), Atalanta - Génova (17h, Sport TV3), Inter - Juventus (19h45, Sport TV3)

⚽️ Bundesliga: Bayern Munique - Friburgo (14h30, Eleven1), E. Frankfurt - Schalke 04 (17h, Eleven1)

⚽️ Ligue 1: Brest - Rennes (12h, Eleven2), Lille - Reims (16h, Eleven2), Lyon - Metz (20h, Eleven1)

🏀 NBA: Dallas Mavericks - Chicago Bulls (20h, Sport TV5)

Hoje deu-nos para isto

Faz precisamente 25 anos esta segunda-feira um dos acontecimentos mais insólitos do nosso futebol. Depois de uma falha de energia ter interrompido o Chaves - Sporting a 30 de dezembro de 1995, apenas a 11 de janeiro de 1996 a coisa se resolveu, com os leões a viajarem os 460 quilómetros entre Lisboa e a cidade flaviense para disputarem os... dois minutos que restavam no relógio quando a luz cedeu.

A decisão foi polémica, o Sporting não gostou, o empate não foi desfeito naqueles dois minutos e no final o então presidente do clube, Pedro Santana Lopes, ainda se queixou que o árbitro nem sequer tinha deixado jogar os dois minutos que faltavam.

Recorde este momento esotérico, numa reportagem da RTP que tem bem mais de dois minutos e em que Dani está mais tempo a segurar em canetas para dar autógrafos do que exatamente a tocar na bola.

O dia em que o Sporting foi a Chaves para jogar dois minutos

Há 25 anos, Chaves e Sporting jogaram os dois minutos que faltavam depois de uma falha de energia interromper o jogo a 30 de dezembro

Tenha uma boa semana, proteja-se deste vírus tramado e siga a Tribuna diariamente no site, no semanário Expresso e no Twitter, no Facebook e no Instagram: @TribunaExpresso.