Tribuna Expresso

Perfil

Benfica campeão

“Um clube do povo e para o povo, que festeja o poder popular”: a época do Benfica acabou no coração de Lisboa

O Benfica foi recebido pela Câmara Municipal de Lisboa numa festa apoteótica. Houve discursos presidenciais, do clube e da CML, hinos oficiosos e o oficial, um troféu ao alto e a promessa de um eventual regresso. “É por isto que ninguém pára o Benfica”, disse Vieira.

Pedro Candeias, Lídia Paralta Gomes e SIC Notícias

ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Partilhar

Do momento da chegada do autocarro ao fim da festa, passou-se pouco mais de uma hora, em que uma época inteira foi encapsulada nos gritos dos adeptos e dos jogadores na celebração apoteótica do 37.º título. Houve discursos de Fernando Medina, presidente da CML, benfiquista assumido, que elogiou o clube e o presidente e o treinador, recordando que há jogadores tetracampeões (Salvio, Jardel, Fejsa e André Almeida) perfeitamente adaptados à condição de cicerones da CML, e que foi a serenidade e a tranquilidade de Vieira e de Lage a levarem o Benfica ao troféu.

Depois, falou Luís Filipe Vieira, entre alguns goladas de água, que lembrou o papel da formação, garantiu que a opção por Lage não foi um acaso, agradeceu a Rui Vitória por conquistas passadas e usou, entusiasmado, os chavões do SLB: “É por isto que ninguém pára o Benfica” e “Carrega Benfica” e “O campeão voltou”.

A seguir, o plantel, a direção, a equipa técnica e o restante staff dirigiram-se à varanda para mostrar o troféu e acenar ao povo encarnado – “nós somos um clube do povo e demonstrámos o poder popular”, dissera Vieira – que clamou vitória, declamou os nomes dos jogadores um por um, e, no final, levantou os cachecóis ao alto enquanto cantou o hino do clube. Um momento devidamente registado por smartphones e pelas câmaras de televisão - e também pelos escribas da Tribuna Expresso que encerram, assim, este especial Benfica Campeão.

19h35: Os jogadores admiram do alto da varanda a festa do povo encarnado. Luís Filipe Vieira e Rui Costa saltam, incentivados pelos benfiquistas. É a apoteose de fim de época.

19h30: Agora, o momento simbólico: Jardel e André Almeida levantam a Taça de campeão nacional na varanda da Câmara Municipal de Lisboa. Jonas está ali ao lado, tochas são lançadas, o vermelho pinta o cenário. Os jogadores sacam dos telemóveis, fotografam o momento, gravam vídeos. Bruno Lage está impassível, como habitualmente.

19h28: Os jogadores autografam agora uma camisola do Benfica que será oferecida a Fernando Medina, o presidente da CML que é assumidamente benfiquista.

19h23: O presidente do Benfica defende a escolha em Bruno Lage: “Até parece que a opção vem do nada. Isto foi pensado. O presidente da CML que se cuide, com aquele discurso no Marquês [Lage pediu aos adeptos para limparem a Praça do Marquês de Pombal nos festejos]. Somos um clube do povo e para o povo, uma autêntica força do poder popular. Nos últimos anos ganhámos cinco títulos em seis anos. Repito: cinco títulos em seis anos. Só com uma aposta na formação é que podemos ir para uma conquista europeia. Vamos lutar por isso, viva o Benfica”.

19h16: Fala Luís Filipe Vieira, agora: “Caro Presidente da CML; vereadores, benfiquistas: o campeão voltou”. Luís Filipe Vieira canta ao microfone. “Este é um espetáculo impressionante, um pouco por todo o mundo. São festejos que mostram a importância deste título. Os momentos mais difíceis tornaram-nos mais coesos. Aqui está a razão porque ninguém pára o Benfica. É nesta cidade fantástica que está a raiz do amor ao Benfica, mas o Benfica é uma marca global, com adeptos em todo o mundo. Esta é a aposta da vitória no futuro. Neste clube, ganhamos por nós. Aqui está a Taça. Onde está a Taça? Ali. Carrega Benfica”. Agora, um momento dedicado a Rui Vitória: “Por tudo o que fez. Agradeço pelos dois títulos que comemorámos nesta Praça. Mas isto também se deve ao enorme valor da nossa formação e do nosso plantel. Merecem todo o nosso apoio e elogios.

19h15: “Precisamos de práticas mais salutares na vivência e na convivência”, continua Medina.

19h10: “Por cada Jardel, Salvio, houve um Ferro, um João Félix. Não houve medo, nem timidez, com maturidade pouco vista”, prossegue Medina. “Foi uma conquista dentro da reconquista. Uma palavra também para Luís Filipe Vieira que encontrou em casa o caminho da vitória. O Benfica celebra o quinto título nas últimas seis épocas, com diferentes equipas técnicas e diferentes jogadores. Nesta caminhada improvável, houve uma liderança serena que é uma referência: Bruno Lage. A sua simplicidade desarmou os muitos milhões. A sua postura fora do relvado também é de salientar”, elogia Medina.

19h08: Caros Jardel, Liuís Filipe Vieira e Bruno Lage, saúdo o Sport Lisboa e Bentfica por esta conquista. Saúdo, também, todos os benfiquistas que têm festejado esta vitória. É tempo de celebrar na casa da nossa cidade”, diz Fernando Medina, presidente da CML. “Se alguém precisar de ajuda, que fale com Jardel, André Almeida, Fejsa e Salvio, pois são tetracampeões e já conhecem os cantos à casa”.

19h06: Luís Filipe Vieira assoa-se, os jogadores posam ao lado da Taça, sorridentes e felizes. Há crianças que gritam pelo clube e pelo nome dos seus heróis.

19h05: A foto da praxe nas escadarias já foi tirada: Bruno Lage à direita de Luís Filipe Vieira, o plantel ordenado nas costas destes.

18h57: João Félix é um dos mais aplaudidos e aclamados pelos adeptos encarnados. Jardel e André Almeida já trazem a Taça de campeão na mão e lideram o grupo na entrada da Câmara Municipal de Lisboa. A águia Vitória também segue com eles; Florentino, Gedson e Jota não estão, porque se encontram ao serviço da seleção de sub-20.

18h55: Os jogadores, devidamente trajados com o fato e a gravata e o sapatinho sem meia oficiais, já descem do autocarro do Benfica que acaba de estacionar na Praça do Município. A festa prossegue, a loucura aumenta, os aplausos sucedem-se, grita-se “SLB”.

18h49: O autocarro faz o proverbial "compasso de espera" e está a negociar a curva apertada com os adeptos a puxarem pela equipa.

18h45: O povo já avista o autocarro do Benfica e a loucura é coletiva. “Campeões, campeões” e já se pede o 38, obviamente.

18h40: O autocarro do Benfica está na Avenida da Liberdade, pertíssimo, então, da Câmara Municipal de Lisboa, onde Fernando Medina receberá os campeões nacionais. A cerimónia estava prevista para as 18h, mas atrasou-se.

18h30: Abrimos aqui o direto da festa encarnada na Câmara Municipal de Lisboa. Esperam-se celebrações rijas pelo 37.º título do Benfica, um título que parecia impossível em janeiro, mas que acabou por realizar-se após uma recuperação quase épica.