Tribuna Expresso

Perfil

Opinião

Duarte Gomes

Duarte Gomes

ex-árbitro de futebol

Atenção, caro adepto: as leis do futebol vão mudar já em 2019/20 (para ler, aprender e guardar)

O ex-árbitro Duarte Gomes explica as mudanças que vão entrar em vigor nas leis do futebol já em 2019/20

Duarte Gomes

� Dylan Martinez / Reuters

Partilhar

O IFAB publicou, recentemente, uma súmula das principais alterações às leis.

As mudanças às regras de jogo passarão a vigorar a partir de 1 de junho (início da época desportiva).

Porque queremos que esteja atualizado - nem que seja para legitimar o seu direito à crítica -, deixamos de seguida as alterações que entendemos ser as mais substanciais.

1 - PROCESSO DE SUBSTITUIÇÃO

O jogador substituído deve sair do terreno de jogo pelo ponto mais próximo da linha lateral onde se encontra e não pela zona de meio-campo, como fazia até aqui.

A exceção é se o árbitro pedir que ele abandone o campo por outro local. Isso só acontecerá em caso de transporte por lesão, por ser mais célere ou por questões de segurança.

Objetivo? Evitar perdas de tempo e contestações em torno deste processo.

2 - CARTÕES APÓS RECOMEÇO DE JOGO

O árbitro não pode mudar uma decisão depois da partida recomeçar, mas pode exibir um cartão amarelo ou vermelho a um jogador.

Isso acontecerá se for entretanto informado, por um colega, que houve uma infração disciplinar antes do jogo reiniciar.

Exemplo - Agressão nas suas costas imediatamente antes de um lançamento lateral. O jogo recomeçou rapidamente e o árbitro não teve tempo para ouvir indicação do assistente.

3 - VAR AO INTERVALO E FINAL DO JOGO

Se ocorrer um lance passível de revisão segundos antes do apito para o fim de um período de jogo, o árbitro pode deslocar-se aos écrans para rever a jogada e deve pedir aos jogadores que tenham saído para regressarem às quatro linhas.

Se confirmar-se ter havido erro, esse deve ser corrigido como se o jogo não tivesse terminado.

Exemplo - Pontapé de penálti não punido seguido de apito para o intervalo. VAR alerta para a infração quando equipas estão a regressar ao balneários. Devem voltar ao terreno para o respetivo castigo máximo.

4 - CARTÕES PARA ELEMENTOS TÉCNICOS

Os elementos dos bancos técnicos passarão a ser punidos com aviso (verbal), cartão amarelo ou cartão vermelho (depende do tipo condutas ilícita, que a lei também tipifica).

Nota - Se não for possível identificar quem teve o comportamento indevido, será o elemento sénior a receber a sanção (regra geral, o treinador principal).

Deixará de haver dúvidas públicas sobre quem foi sancionado e como.

5 - LESIONADO PODE MARCAR PONTAPÉ DE PENÁLTI

Quando for concedido um pontapé de penálti, o executante (caso se tenha lesionado e necessite de assistência médica) pode ser assistido no terreno e não tem que o abandonar de seguida. Seria injusto privá-lo de marcar o penálti por ter sofrido falta que o pôs fora do jogo.

6 - PAUSAS DURANTE O JOGO

Passam a existir duas pausas permitidas: para hidratação (até 1m) e para os jogadores refrescarem (até 3m). Tudo dependerá da temperatura e do regulamento da respetiva competição.

7 - SORTEIO

A equipa que vencer o sorteio passa a escolher se dá o pontapé de saída ou se escolhe campo. Até hoje, só podia escolher a baliza para a qual iria atacar.

É justo premiar a escolha.

8 - BOLA AO SOLO

Alteração radical neste procedimento:

A - Se a bola estiver numa das áreas de baliza quando o jogo for interrompido, a bola ao solo será efetuada apenas e só para o guarda-redes.

B - Em todos os outros casos, será efetuada, apenas e só, para um jogador da equipa que a tocou em último lugar, no local onde isso aconteceu.

C -Todos os outros jogadores têm que estar a uma distância mínima de 4m.

Acabaram os potenciais conflitos nesse momentos de "falso" fairplay.

9 - BOLA QUE TOCA NO ÁRBITRO

Se a bola tocar num elemento da equipa de arbitragem (que esteja dentro do terreno) e daí resultar:

A - Perda de posse de bola para a equipa adversária;

B - Início de um ataque prometedor;

C - Jogada de golo...

... a partida será interrompida de imediato e recomeçada com lançamento de bola ao solo, no local do contacto.

Em todos os outros casos, a partida continua.

Era injusto que fosse o toque fortuito de bola no árbitro a potencialmente determinar o vencedor de um jogo.

10 - GOLOS MARCADOS COM MÃOS/BRAÇOS

A - Um guarda-redes não pode marcar golo na baliza adversária usando as mãos (arremessando a bola);

B - Qualquer golo marcado com as mãos/braços (ainda que involuntariamente) na baliza do adversário, será anulado como se a ação fosse deliberada.

Acabaram os golos em que o último toque na bola foi na mão ou braço do atacante.

11 - GUARDA REDES PODE AGARRAR A BOLA APÓS ATRASO DELIBERADO

Imaginem a seguinte situação: um guarda redes recebe a bola vinda de um passe de um companheiro (ou lançamento lateral).

Sabe que não pode agarrar. Por isso, pontapeia ou tenta pontapear a bola mas falha.

Com a nova alteração, nestas circunstâncias, poderá agarrar a bola.

Demonstrou publicamente que nao queria infringir.

12 - MOSTRAR CARTÕES MAIS TARDE

O árbitro pode adiar a exibição de um cartão se a equipa que sofreu a falta executar o pontapé livre rapidamente e criar uma oportunidade de golo. A respetiva punição disciplinar será efetuada na paragem seguinte.

Era injusto beneficiar o infrator, interrompendo o jogo para sancionar o atleta.

13 - CARTÕES QUE SE MANTÊM APÓS ANULAÇÃO DO GOLO

Um amarelo exibido por festejos excessivos (como despir a camisola ou arrancar a bandeirola de canto para celebrar) mantém-se, mesmo que o golo venha depois a ser anulado pelo VAR.

14 - BRAÇO BAIXO APÓS PONTAPÉ LIVRE INDIRETO

Assim que um pontapé livre indireto for executado, o árbitro pode baixar de imediato o braço, se for óbvio para todos que daí não resultará golo. Isso acontecerá, sobretudo, nos reinícios por fora de jogo.

É pouco confortável (e útil) correr muitos metros de braço no ar.

15 - PONTAPÉS LIVRES E PONTAPÉS DE BALIZA

Nos pontapés livres dentro da área de penálti (a favor da equipa defensora) e nos pontapés de baliza, a bola passa a entrar em jogo assim que for pontapeada e se mover claramente, com os jogadores da equipa que tem a posse da bola a poderem recebê-la dentro da área.

Deixa de ser necessário que saia dessa área para que o jogo recomece.

Já os adversários devem estar fora da área até ao recomeço.

16 - BARREIRA COM TRÊS OU MAIS DEFESAS

Sempre que existir uma barreira defensiva de três jogadores (mínimo), os adversários terão que estar, pelo menos, a um metro de distância do local. Se infringirem, a sua equipa será punida com pontapé livre indireto.

Excesso de avancados nas barreiras cria conflitos e prejudica a imagem do jogo.

17 - PONTAPÉS DE PENÁLTI

A - Os postes, a barra e as redes não podem estar em movimento aquando da execução de um castigo máximo.

B - O guarda redes já não tem que ter os dois pés sobre a linha de baliza no momento do pontapé.

Basta que tenha apenas um (ou parte dele) a tocar nessa linha.

18 - LANÇAMENTOS LATERAIS

Todos os adversários do executante devem estar a, pelo menos, dois metros do local da linha lateral onde é executado estw recomeço, mesmo que o lançador esteja recuado no terreno (por exemplo, lance da pista).

E pronto. Resumidamente, é isto.

As mudanças introduzidas perspetivam um jogo com menos paragens e maior dinâmica. Devem também fomentar alterações táticas (sobretudo por parte dos guarda redes, nos penáltis e dos defesas/avançados nos pontapes livres na area e pontapés de baliza).