Tribuna Expresso

Perfil

Opinião

Pedro Madeira Rodrigues

Pedro Madeira Rodrigues

Ex-candidato à presidência do Sporting CP

Os meus “escapes” (as diferenças e as semelhanças do Sporting com o Liverpool e o Leeds)

Pedro Madeira Rodrigues, ex-candidato à presidência do Sporting CP, escreve sobre o que considera serem "os erros" que têm sido vividos no clube e explica por que razão é que os sportinguistas deveriam olhar com mais atenção para o Liverpool e para o Leeds

Pedro Madeira Rodrigues

Matthew Ashton - AMA

Partilhar

A equipa de futsal do Sporting foi considerada pela UEFA a melhor da década. Miguel Albuquerque, um dos rostos incontornáveis deste sucesso, referiu que o futsal deve ser um orgulho e não um escape, mas eu acho que são ambos.

Os meus escapes dos insucessos do meu clube no futebol têm sido, de facto, as modalidades e, particularmente num ano em que iremos bater o record de épocas sem sermos campeões do desporto rei, o Liverpool e o Leeds United, clubes especiais e muito semelhantes ao Sporting na riqueza da sua história, enorme massa de adeptos indefetíveis e na longa ausência de vitórias nos campeonatos.

Tenho acompanhado a evolução do Liverpool especialmente a partir do momento em que conheci o respetivo Presidente, Mike Gordon, do Fenway Sports Group de Boston, empresa que comprou o clube em 2010. Souberam, sem os mesmos meios nomeadamente dos rivais de Manchester, ir paulatinamente construindo um colosso dentro de campo, sem perder a sua identidade fora. Acertaram em cheio no último treinador e têm feito contratações cirúrgicas. Hoje o clube vale, no mínimo, dez vezes o valor investido e está preparado para dominar esta década a nível interno e externo. Sem ser campeão desde 1990 tudo indica que finalmente o jejum acabará lá para abril.

Por seu lado, o Leeds United está fora da Premier League desde 2004. Foi comprado há 3 anos pelo empresário italiano Andrea Radrizanni e desde aí tem investido no regresso à companhia dos melhores. A surpreendente escolha de Marcelo Bielsa para treinador (grande homem que conheço bem) e uma boa política de contratações, a par de uma aposta na “prata da casa”, quase resultou na subida a época passada. Esta época vai no bom caminho para ser um dos 2 promovidos de forma direta.

Bryn Lennon

Ambas as equipas têm beneficiado de um forte investimento, mas acima de tudo de uma exemplar gestão desportiva, não deixando de apostar ainda numa relação muito próxima com os seus adeptos e comunidades, sendo por exemplo frequentes as reuniões entre direções e representantes dos adeptos. São ambos clubes com uma forte identidade que não deixaram de a manter e até reforçar com a entrada dos tais investidores estrangeiros.

Infelizmente o meu Sporting parece ir na direção oposta, com erros atrás de erros que só têm feito aumentar o fosso para os nossos rivais e assim, sem deixar de apoiar a equipa, vou continuando a refugiar-me nos meus “escapes” futebolísticos, na esperança de que o meu clube de coração venha a ter em breve verdadeiras melhores épocas de sempre e voltar a ser campeão.

Bom Ano Novo!