Tribuna Expresso

Perfil

Opinião

José Manuel Araújo

José Manuel Araújo

Secretário-geral COP

Tóquio 2020: estamos preparados!

Todas as sextas-feiras, a Tribuna Expresso publica uma opinião em parceria com o Comité Olímpico de Portugal, sobre o universo desportivo no nosso país. Hoje escreve José Manuel Araújo, secretário-geral do COP, sobre os Jogos Olímpicos 2020, em Tóquio, que começam a 24 de julho

José Manuel Araújo

CHARLY TRIBALLEAU

Partilhar

Faltam 153 dias para Tóquio ver acender a chama olímpica pela segunda vez na sua história.

O que nos move, o que nos entusiasma na participação de Portugal é concretizar o sonho, a ambição de muitos atletas, de técnicos, de dirigentes que tanto se empenham em confirmar as suas credenciais desportivas numa competição tão especial, que ultrapassa em muito, quer no plano mediático, quer no reflexo das respetivas carreiras, os Campeonatos do Mundo das respetivas modalidades.

Há poucos dias, Helena Cunha, uma atleta olímpica de Ginástica que participou nos Jogos de Roma de 1960, dizia que tinha o sonho de ir aos Jogos Olímpicos desde os oito anos. Esse sonho, mesmo numa altura em que o mediatismo dos Jogos não era o mesmo, era alimentado pelos valores do respeito, da amizade e da excelência. A sua concretização é recordada por todos os atletas olímpicos como o momento mais marcante das suas vidas desportivas.

Em 1960, as aldeias olímpicas ainda eram diferentes para mulheres e homens. O aprofundamento da relação entre os povos, um dos princípios de Pierre de Coubertin, inspirava atletas e colocava o acento tónico no romantismo da participação, mas premiando a competição.

Seguindo a evolução dos tempos, e com o reforço financeiro adequado, a preparação olímpica portuguesa para Tóquio 2020 tem seguido os objetivos a que atletas, treinadores, federações e Comité Olímpico de Portugal se propuseram. Estamos, por isso, preparados para enfrentar os adversários e entrar com toda a força na dura competição que se fará sentir entre 24 de julho e 9 de agosto.

Estamos preparados também com os nossos parceiros: empresas, instituições que se associaram há vários anos ao movimento olímpico e que, nesta altura, estão já a celebrar as qualificações dos nossos atletas ou as suas classificações mais relevantes. E que estarão muito junto deles no momento da competição olímpica.

Ontem reunimo-nos com todos os parceiros no Comité Olímpico de Portugal e sentimos a vontade comum de puxarem pela Equipa de Portugal nos Jogos. É um País inteiro que quer sentir o sucesso, que quer respeitar os atletas, que queremos que confirmem, nos Jogos de Tóquio, as marcas com que se apuraram.

O movimento desportivo reclama uma maior autonomia e menor dependência do financiamento público: é com estes parceiros que contamos para cumprirmos o objetivo de um envolvimento nacional, que rasgue com o sistema instalado.

Este sentimento de pertença a um País, de vibrarmos com as prestações desportivas dos nossos atletas, tem de passar de todos os envolvidos no fenómeno desportivo para os dez milhões de corações que não ficarão indiferentes a qualquer momento em que um destes magníficos atletas pisar o pavilhão, a pista, nadar, saltar ou surfar nas ondas do Pacífico.

Esta onda de entusiasmo tem de ser sentida pelos atletas, pelos parceiros, pelos Portugueses. A 100 dias dos Jogos, no próximo dia 15 de abril, estaremos todos juntos, formaremos a Equipa Portugal e diremos a Portugal inteiro:

ESTAMOS PREPARADOS!

Queremos os 50km marcha femininos nos Jogos Olímpicos

Todas as sextas-feiras, a <strong>Tribuna Expresso</strong> publica uma opinião em parceria com o Comité Olímpico de Portugal, sobre o universo desportivo no nosso país. Hoje escreve Inês Henriques, atleta olímpica