Tribuna Expresso

Perfil

Opinião

Rita Nunes

Rita Nunes

Diretora do Departamento de Estudos e Projetos do COP

Comité Olímpico de Portugal celebra o seu 108.º aniversário

Todas as sextas-feiras, a Tribuna Expresso publica uma opinião em parceria com o Comité Olímpico de Portugal, sobre o universo desportivo no nosso país. Hoje escreve Rita Nunes, diretora do Departamento de Estudos e Projetos do COP

Rita Nunes

Alexander Hassenstein

Partilhar

O Comité Olímpico de Portugal (COP) celebra 108 anos de existência, no próximo dia 30 de abril. Foi numa terça-feira que se reuniram no Centro Nacional de Esgrima, em Lisboa, os delegados de clubes desportivos, jornalistas e diretores da Sociedade Promotora de Educação Física Nacional (SPEFN) para formar um Comité Olímpico, em Portugal. Jayme Mauperrin Santos foi o escolhido para se tornar o primeiro presidente do Comité Olímpico Portuguez (designação à data, alterada para Comité Olímpico de Portugal na Assembleia Plenária de 4 de junho de 1992).

A constituição do COP, em vésperas da realização dos Jogos Olímpicos de Estocolmo, teve como principal função possibilitar que os atletas portugueses pudessem participar pela primeira vez numa edição dos Jogos Olímpicos.

Assim aconteceu! Desde 1912, a presença dos atletas portugueses no maior evento multidesportivo à escala mundial tem sido constante. Relembra-se o facto das edições dos Jogos Olímpicos de 1916, 1940 e 1944 não se terem realizado devido às Guerras Mundiais.

São mais de cem anos de existência dedicados ao desenvolvimento do Movimento Olímpico em Portugal. Ao longo do tempo, o trabalho desenvolvido tem merecido reconhecimento social e público, por diversas personalidades e instituições. A este respeito, destaca-se a atribuição da Medalha de Mérito Desportivo (1984), a Medalha de Honra ao Mérito Desportivo (1991), o Colar de Honra ao Mérito Desportivo (1999), o grau de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (2014) e a designação, pela Presidência da República Portuguesa, como Membro-Honorário da Ordem do Infante D. Henrique (2015).

Atualmente, o COP, para além de ser responsável pela participação das missões portuguesas nos Jogos Olímpicos (de verão, inverno e da juventude), tem ainda a responsabilidade de organizar as missões que participam noutras competições organizadas sob a égide do Comité Olímpico Internacional e dos Comités Olímpicos Europeus.

Para além desta missão eminentemente desportiva, mais recentemente e fruto do desenvolvimento que o desporto e o Movimento Olímpico têm vindo a alcançar, outros desafios foram acrescentados à área de intervenção do COP. Projetos como a Educação Olímpica, a investigação nas ciências do desporto, a salvaguarda e divulgação da história e legados Olímpicos, a importância da sustentabilidade, o combate à dopagem, violência e outras formas de discriminação, a promoção da boa governação no desporto, o acolhimento de refugiados e apoio a populações mais vulneráveis fazem parte das atividades que o COP desenvolve diariamente.

Na próxima semana celebramos o aniversário do Comité Olímpico de Portugal. Nem sempre assim foi. Durante anos, diferentes perspetivas e interpretações fizeram com que se confundisse a data de fundação do COP com a data de fundação da sua precursora, a SPEFN. A reposição da data de 30 de abril de 1912, como data da fundação do COP, foi ratificada na Assembleia Plenária, realizada a 26 de setembro de 2016, através de uma revisão estatuária homologada a 1 de dezembro do mesmo ano pelo Comité Olímpico Internacional.

Recolocando a história no seu lugar, celebramos mais um ano de existência!

É verdade que vivemos tempos de incerteza, a reagir a uma pandemia que nos obriga a um confinamento e a um distanciamento físico (e não social, como é referido), com cuidados redobrados no que diz respeito a medidas de higiene. Uma pandemia que provocou também, e pela primeira vez, o adiamento de uma edição dos Jogos Olímpicos.

Sejamos assim capazes de transformar estes tempos de incerteza em tempos de esperança, inspirados nos exemplos de superação e dedicação que os Atletas Olímpicos nos mostram, ao serem capazes de ultrapassar os desafios mais difíceis que tantas vezes surgem no trajeto de um SONHO OLÍMPICO!