Tribuna Expresso

Perfil

  • O fim da era Loureiro no Boavista

    Futebol nacional

    Após meio século na liderança do clube que quebrou o monopólio dos grandes ao sagrar-se campeão nacional na dobragem do milénio, o reinado do clã Loureiro chega ao fim esta sexta-feira. Vítor Murta, presidente adjunto há cinco anos, é o candidato único ao lugar deixado vago por João Loureiro

  • Jaime Pacheco: “O Svilar pode vir a ser o melhor do mundo, mas foi para a baliza de fraldas. Aos 20 anos, nem um filho meu punha à baliza”

    Entrevistas Tribuna

    Aos 59 anos, o treinador que ousou derrubar a ditadura dos três grandes sagrando-se campeão nacional pelo Boavista está desempregado há seis meses e prestes a embarcar em nova aventura para a China. Conta à Tribuna Expresso que não se arrepende de ter recusado ir para o Sporting e Benfica após o título em 2001, nem sente desgosto por nunca ter sido convidado a treinar onde conheceu a glória europeia como jogador. Sábado, deve ir ao Bessa assistir ao jogo da equipa de Jorge Jesus, de quem não é um apaixonado, embora reconheça que é bom treinador. Jaime Pacheco atribui o favoritismo aos leões, é avesso a estatísticas e deseja dizer no final da época que, afinal, o melhor treinador para o FC Porto é mesmo Sérgio Conceição