Tribuna Expresso

Perfil

  • As lições do professor Rui Vitória, o jogador “da treta” que gosta mesmo é de ser treinador (e quer mais “tempo útil de jogo” em Portugal)

    Futebol nacional

    O treinador bicampeão pelo Benfica regressou ao Minho para explicar "os caminhos para chegar a campeão nacional". Rui Vitória não revelou fórmulas secretas mas deixou pistas sobre o que que falta ao futebol português: menos paragens e mais tempo de jogo útil. No encerramento do Fórum do Treinador, em Braga, numa conversa conduzida por Rui Quinta, perante uma sala cheia, falou do passado e do presente, sem cair na tentação de prever o futuro

  • O Ederzito, que agora é meio trambolho, é o melhor trambolho que há

    Arquivos Expresso

    Depois da euforia nas ruas com a chegada da seleção a Portugal após a vitória no Euro 2016, caiu-nos no mail um texto de alguém que dizia ter sido capitão da equipa onde Éder jogou quando era miúdo. Confirmámos a história e pedimos para refazer o texto que nos tinha chegado à caixa de correio. O resultado vem em baixo - e traz revelações nobres sobre o homem que marcou o golo da final Neste fim de semana em que nos despedimos de um ano e nos preparamos para outro, o Expresso republica histórias, reportagens, conversas, narrativas, dúvidas, considerações, certezas e revelações que fizeram de 2016 um ano preenchido. Todos estes artigos são publicados tal como saíram inicialmente

  • Nico Rosberg, o rapaz certinho, espreita o título mundial

    Fórmula 1

    O alemão Nico Rosberg está a uma vitória (bem, ou a uma série de combinações de resultados) de conquistar o primeiro título mundial de Fórmula 1 da carreira e suceder ao colega de equipa Lewis Hamilton, de quem já foi mais amigo. A história parece estar do lado de Rosberg: o circuito de Interlagos, em São Paulo, aonde os bólides regressam este fim de semana, sabe bem o que é coroar um campeão. Aconteceu seis vezes nos últimos 12 anos

  • A miúda que tem mais recordes nacionais do que anos

    Jogos Olímpicos

    16 anos e 19 recordes nacionais. Os números não definem Marisa Vaz Carvalho, mas caracterizam-na enquanto atleta. Não gosta de estar parada e quer sempre fazer mais. É nos 100 metros barreiras que se destaca, embora seja vencedora em competições nacionais e internacionais - tome fôlego para esta lista - no salto em comprimento, no salto em altura, no lançamento do peso, nos 200 e nos 800 metros e ainda em provas combinadas. Esta é terceira história da série “Esperanças Olímpicas”, em que o Expresso dá a conhecer o percurso dos que, muito provavelmente, levarão o nome e as cores de Portugal aos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020