Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

A tarefa de fazer Seferovic parecer um jogador de um nível superior ao Atlético da Artrite Reumatóide de Baixo foi cumprida (por Porta19)

Jorge Bertocchini, do Porta19, está a fazer figas, e pede aos portistas que dêem as mãos, para que Felipe não faça com que o mesmo a aconteça com Luc Castaignos, quando chegar a altura de o FC Porto defrontar o Sporting, após ter perdido contra o Benfica

JORGE BERTOCCHINI, BLOGGER NO PORTA19 E PODCASTER NO "A CULPA É DO CAVANI"

NurPhoto

Partilhar

Casillas

Um dia, daqui a muitos anos, quando Iker e Sara estiverem no conforto da sua reforma dourada, Iker sentará um neto no colo e começará a contar-lhe a história da tarde em que perdeu um jogo com um golo de Seferovic, contra um Benfica capitaneado pelo André Almeida. O catraio, de olhos bem abertos, a ouvir o que pensa ser uma fantasia mais implausível que Narnia, rir-se-á a medo, enquanto observa o avô a limpar uma lágrima que lhe cai, indefesa, para a alcatifa. "Estás bem, avô?", "Sim, meu querido, mas há coisas que deixam marcas na nossa vida. Um dia vais perceber".

Maxi Pereira

Somos uns fracos, é o que somos. Noutros tempos, o nosso lateral direito titular podia perfeitamente ter percorrido o campo todo nu numa diagonal em sprint, pelo relvado inteiro, de cabeça encolhida para cortar o vento, olhos raiados e sorriso maléfico, procedendo a agarrar o pescoço de André Almeida e arrancar-lhe a traqueia à dentada. Hoje...foi um bocadinho abaixo desse nível e deixámo-nos perder contra esta malta.

Felipe

A impossível tarefa de fazer com que o Seferovic pareça um jogador de futebol de um nível superior ao Atlético da Artrite Reumatóide de Baixo foi cumprida na perfeição. Agradeçam ao rapaz pelo serviço prestado à sociedade e coloquemos as nossas mãos em oração para que não consiga fazer o mesmo pelo Castaignos.

Militão

Um dos rapazes que não percebia como é que não se ia ganhar este jogo, confrontado que estava com um dos piores Benficas dos últimos trezentos anos. Talvez por isso tenha depositado confiança no seu colega de lado e tenha chegado meio milésimo de segundo atrasado para impedir que Seferovic acidentalmente canelasse a bola para lá de Casillas. No resto do jogo esteve bem, mas ainda não percebeu que um clássico destes tem de acabar com marcas no corpo. Ah, esperem, esqueci-me da bola que foi pontapeada pelo André Almeida contra o fresquinho lombo do brasileiro. Cá se pagam, irmão.

Alex Telles

O André Almeida fez-te um túnel, Alex. De propósito, sim. Como não pediste um sabre e cortaste a própria jugular naquele preciso momento, por favor dirige-te à cabine de punição mais próxima do teu local de residência, coloca a mordaça com bola mais limpinha que encontrares, assume a posição e espera pela senhora.

Danilo

Não posso ficar chateado contigo, Danilo. Sim, falhaste ali passes parvos, mas conseguiste sempre recuperar a bola de uma forma elegante, protegendo os teus colegas da tua própria inépcia momentânea. E também foste à frente tentar marcar mas falhaste a baliza de cabeça. Falharam todos, não te sintas triste. E falhaste também quando não arrancaste a pseudo-barba do André Almeida. Dica: leva sempre um novelo de palha de aço nas meias, nunca se sabe quando pode ser útil.

Herrera

No final do jogo, Herrera tentou fazer um passe que saiu torto porque um tufo de relva fez com que a bola saltasse antes de lhe aplicar a força que causaria o momento linear suficiente para que chegasse a Corona. A bola, respeitosa das leis da Física e dos relvados onde o Fejsa passa, tratou de ir parar à bancada. Herrera agarrou as orelhas e pensou: "Pá, aposto que aquelas consultoras que lá tivemos no hotel antes do estágio da selecção me puseram qualquer coisa na bebida!".

Otávio

Há um lance que mostra na perfeição o trabalho que Otávio desempenhou no relvado da Luz. Aos 52 minutos, o brasileiro ouve o seu nome a ser chamado por um colega, levanta a cabeça e olha para a linha lateral onde vê Sérgio Oliveira com a farfalhuda barba aos saltinhos, com os números 25 e 27 por cima de si. Otávio ergue-se e caminha na sua direcção. Foi o seu melhor momento em jogo, porque os anteriores resumiram-se a faltas consecutivas, pouca acção de construção e um duplo-pivot estranho no meio-campo. Há alguma regra que obrigue Otávio a jogar com um colega enorme ao lado?

Marega

Olhem para o céu. Vêem ali uma estrela fresquinha que ontem não existia? É a gigante supernova de classe M, agora nomeada Marega-11, que surgiu do nada quando um jogador de futebol com uma camisola azul e branca se desmaterializou de Lisboa para um sector estelar a uma arroba de anos-luz da Terra, aí pelo intervalo de um jogo de futebol. Ainda se procura uma forma de o trazer de volta para o Porto, agradecem-se a quaisquer Elon Musks que possam querer participar nos esforços de resgate.

Brahimi

Yacine, espera aí. Homem, espera um bocadinho! Ouve lá uma coisa, rapaz. Tu enfrentaste o André Almeida. E perdeste a luta várias vezes. Várias vezes. Com o Andr...espera lá, anda cá, eu sei que é uma verg...anda cá, caramba, tens de enfrentar a verdade, não podes meter a cabeça na arei...pronto, pronto, toma lá um lenço. O tempo ajuda a passar, vais ver. Vá, dorme bem.

Soares

Quando aprendi a programar computadores, comecei com linguagens mais básicas. Umas tinham menos instruções, outras pareciam estranhas e pouco capazes de facilitar a vida de um tipo que só queria copos e boa disposição com consultoras não profissionais (ufa!). Soares é um programa criado nesses tempos, em que pouco mais se podia fazer para lá de mudar a cor de fundo ou imprimir três ou quatro caracteres no ecrã. Faz o que lhe mandam, corre para onde lhe mandam e remata quando pode. Convinha é que o resto da malta fizesse um upgrade sem lhe dizer nada e assim aguentava um jogo inteiro. Lá chegaremos, um dia destes.

Jesús Corona

Vamos lá, digam todos comigo: os mexicanos não são uruguaios. E afirmo este dogma da geografia mundial porque Corona reclama como Fucile, tenta equiparar-se a Maxi com os lançamentos laterais e está muito próximo de se tornar num Cebola Rodríguez quando não consegue passar pelos laterais adversários. Só lhe falta tentar ser Palito. Please, God, no.

Sérgio Oliveira

Foi um dos culpados da má exibição na segunda parte, não por culpa sua, mas por culpa de todos. E a culpa é também minha por achar que seria uma boa escolha para entrar naquele momento, até para estabilizar o meio-campo. A mudança para um 4-3-3 menos elástico não funcionou porque...oh pá, sei lá porquê, porque cheiravam todos a côco ou porque Júpiter estava na terceira casa de Tarik ascendente, sei lá eu! Não me façam perguntas difíceis que estou frágil. Sérgio, na boa, rapaz, we cool, hey?

André Pereira

Falhou com estrondo a oportunidade de beijar o André Almeida e sussurrar-lhe ao ouvido: "Só pode haver um de nós com uma barbicha dessas. E não és tu". Shame.