Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

Pinto da Costa deverá ser ouvido no âmbito do caso dos e-mails

O presidente do FC Porto, juntamente com Adelino Caldeira, Fernando Gomes e Reinaldo Teles, administradores da SAD do clube, terão sido notificados pelo Ministério Público para prestarem declarações no âmbito do caso dos e-mails, avançou, esta sexta-feira, a revista "Sábado"

Tribuna Expresso

PAULO DUARTE

Partilhar

Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do FC Porto, terá sido chamado pelo Ministério Público (MP) a prestar declarações para o processo dos e-mails. A informação foi avançada, esta sexta-feira, pela revista "Sábado", dando conta que Adelino Caldeira, Fernando Gomes e Reinaldo Teles, todos administradores da SAD portista, terão sido notificados como "denunciados".

Ou seja, os administradores do clube poderão ser constituídos arguidos ou, apenas, serem ouvidos na qualidade de testemunhas no processo. A mesma publicação acrescenta que as audições terão início algures durante a próxima semana no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP), de Lisboa.

A alegada decisão surge na sequência de uma queixa do Benfica, devido à divulgação de correspondência privada - que começou, o ano passado, num programa do Porto Canal, onde comparecia Francisco J. Marques.

O diretor de comunicação do FC Porto foi constituído arguido, no mesmo processo, pela Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica da Polícia Judiciária (PJ). Confirmou-o em julho, ao jornal "Record", com a seguinte reação: "É verdade que sou arguido por esse processo, mas não estou nada preocupado. Não roubei, nem violei nada. Limitei-me a receber os e-mails e divulguei aqueles que considerei serem de interesse público".