Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

Conceição e os insultos: "Foi por isso que saímos. Se é bonito? Não é. Fair play... Mas que fair play? Como dizia o outro, é uma treta"

Sérgio Conceição justificou o facto do FC Porto ter abandonado o relvado antes do Sporting levantar a Taça da Liga, na conferência de imprensa de antevisão do FC Porto-Belenenses (21h15, SportTV1): "Pegam em situações negativas que transformam em casos que parecem casos incríveis e únicos no futebol português"

Tribuna Expresso

MIGUEL RIOPA

Partilhar

FC Porto não ficou para ver o Sporting levantar o troféu da Taça da Liga

"É incrível. Pegam em situações negativas que transformam em casos que parecem casos incríveis e únicos no futebol português. Isso vende. é o futebol que nós temos. Vamos lá ver. A Taça da Liga, na minha opinião, é uma competição que está cada vez melhor. Parabéns ao Pedro Proença e às pessoas da Liga que organizam esta competição. Este é o ponto número um. Mas há coisas a melhorar, obviamente que sim. É inconcebível que uma equipa que perdeu a final da forma como perdeu, depois já lá vamos ver se o Sporting teve fair play durante o jogo, se não entrou em insultos com os nossos adeptos, se não se arrastavam no tempo para marcar as faltas, se o árbitro não apita tudo e mais alguma coisa... Acho que houve um exccelente trabalho do VAR, isso sim. Esteve muito bem no penálti. Pena é há um ano o mesmo árbitro, ou VAR, na Vila das Aves, não ter feito o mesmo, reviu os seus critérios. Foi exatamente a mesma coisa e não assinalou. Ainda bem que melhorou e o VAR é bom para o futebol, ok ? Mas dizer que foi uma arbitragem positiva, isso não foi. O jogo quer-se um jogo rápido e intenso e acho que foi constantemente interrompido. Não estou de acordo. Voltando à sua questão: acho que é mau para a equipa que perde subir uma escadaria enorme onde estão os adeptos adversários. Isso é uma situação a rever pela Liga. Os palavrões eu já os disse e digo no futebol. Agora o insulto gratuito e as cuspidelas não podem existir. E todo o staff levou com isso. Das duas, uma: ou havia uma zona neutra para receber com tranquilidade ou as medalhas eram entregues no relvado. Isto não foi bem feito, o que provocou, natauralmente, depois de uma derrota que perdemos como perdermos, levar com insultos, com cuspidelas, com todo o tipo de mimos dos adeptos do Sporting. Para nós não era fácil ficar à espera cinco a 10 minutos a levar com isqueiros e moedas. Foi por isso que saímos. Se é bonito? Não é. Se é condenável o ato do Diamantino Figueiredo [treinador de guarda-redes], obviamente que sim, que é, assumimos essa responsabilidade, como sempre fazemos, de forma interna. Não digo que haja justificação para isso mas houve provocação para tomar aquela atitude, que não é normal no Figueiredo, que é uma pessoa extremamente tranquila. Há tanta coisa para falar... Vêm com o fair play... Mas que fair play? Que exemplos temos no futebol português? Como dizia o outro, é uma treta. Se tenho mau perder? Tenho. Foi para isso que o Porto me contratou. Não foi para estar com sorrisos quando perco. Assumo que tenho muito mau perder. Já quando ganho estou mal disposto, imagine quando perco. Mais."

Jogadores estão motivados depois de perderem uma final?

"Não fizemos tudo bem, se não ganharíamos. Foi uma 1ª parte equilibrada muito por culpa própria, precipitámo-nos em muitos momentos. A 2ª parte já foi mais à nossa imagem. A controlar o jogo e a ver a baliza adversária, sem criar muitas situações de golo, mas estando por cima. Depois numa bola numa situação de desespero acabou por surgir um penálti do nada e nos penáltis não estivemos bem. Agora ficar nesse momento mau não nos dá nada. O pensamento foi preparar o Belenenses, que é uma boa equipa, e temos de estar super motivados para o principal objetivo da época."

O Belenenses tem uma das melhores defesas da Liga

"Esperamos uma equipa com uma dinâmica interassante com bola e sem bola, que sabe o que faz, sabe defender mais baixo mas também sabe pressionar mais alto. Cabe-nos a nós desembrulhar esse embrulho, que não será nada fácil desembrulhar."

Havia maior riqueza tática com Jorge Jesus no Sporting?

"Isso é uma pergunta com casca de banana. Cada treinador tema sua forma de ver o futebol, tem os seus princípios. Acredito que o treinador do Sporting, numa realidade totalmente diferente, pensou que a forma como vê o futebol serviria para o nosso campeonato, mas o nosso campeonato é muito difícil e as equipas chamadas "não grandes" estão cada vez melhores, porque trabalham bem. Depois vê-e que já estão a mudar algumas das coisas que inicialmente ele tinha passadp à equipa. Isso no nosso jogo em Alvalade deu um Sporting diferente, tanto no poscionamento em campo como no momento sem bola. Nesta final já foi um bocadinho diferente. Na 1ª parte perceberam que ainda podiam dividir fisicamente o jogo com o Porto, mas na 2ª parte sabiam que iríamos criar muitos problemas. Conseguimos, mas não da forma que queria. Não posso dizer que taticamente fui superior ao meu colega porque não fui, porque não ganhei nenhum dos dois jogos. Mas o Jesus obviamente que é um treinador que cria muitas dificildades em muitos momentos do jogo. Mas isso seria uma discussão para outra altura, porque as pessoas querem é saber porque é que não ficámos à espera da entrega do troféu."

Fecho do mercado é já quinta-feira

"Eu de mercado digo sempre que fica à porta do Olival. Isso é falado internamente por mim e pelo presidente e pelo engenheiro Luís Gonçalves. Se sair ou entrar alguém, logo veem".

Militão a lateral direito... ou Corona?

"São jogadores diferentes. Nós tínhamos de utilizar dois jogadores portugueses [no onze inicial na final da Taça da Liga] e isso condicionou-nos um pouco a formação inicial. Não é que o André Pereira não tenha qualidade, porque tem, é um jogador muito interessante, e a inclusão do Pepe também teve a ver com isso. Porque não tínhamos muitos portugueses à disposição. Tínhamos de meter isso na balanca, também pelo jogo com o Benfica. Aquilo que o Militão dá à direita, se me pergunta se pode dar mais, pode dar mais. Especialmente em termos ofensivos, porque defensivamente ele é bom. Vamos avaliar. Sepende dos jogos e dos momentos."

Estado psicológico de Óliver após fazer o penálti na final da Taça da Liga

"Não gosto nada dessas coisas. Perdemos, perdemos todos. Naquele pontapé do Óliver na bola estava a equipa toda. Foi o que disse ao Óliver e é o que digo sempre. Ok é um erro, mas não é por aí, ele não tem de se manifestar em público para justificar algo que não tem de justificar. Eu também pergunto o que podia ter feito mais, o que é que eu poderia ter melhorado e em que posso ser mais forte. Não foi o Óliver que fez o penálti, foi a equipa que perdeu a final da Taça da Liga."