Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

Sérgio Conceição e o rival: "Independentemente da forma de pensar das equipas italianas, a Roma tem sofrido golos nos últimos 30 jogos"

Treinador do FC Porto fez a antevisão ao jogo de quarta-feira frente à Roma, no Dragão. Os azuis e brancos terão de dar a volta a uma desvantagem de 2-1 para continuar na Liga dos Campeões

Lusa

ALBERTO PIZZOLI

Partilhar

O treinador do FC Porto considerou esta terça-feira que a sua equipa tem de mostrar "equilíbrio e não ter pressa para ganhar" na receção à Roma, na quarta-feira, na segunda mão dos oitavos de final da Liga do Campeões de futebol.

Para seguir em frente na prova, a formação portuguesa terá de inverter uma desvantagem de 2-1, trazida da capital italiana, algo que Sérgio Conceição diz estar ao alcance da sua equipa.

"É preciso ter equilíbrio e perceber que temos de ganhar, mas sem pressa. Queremos fazer golos, mas de forma consistente, tendo atenção aos aspetos defensivos. Sabemos os pontos fortes do adversário, que tem o terceiro melhor ataque do campeonato italiano e jogadores muito fortes, mas o equilíbrio será fundamental para podermos ganhar", analisou o treinador dos ‘dragões'.

Sérgio Conceição, que conhece bem o campeonato o italiano por ter jogado vários anos na Serie A, mostrou-se ciente da capacidade defensiva das formações transalpinas e, também por isso, perspetiva "um jogo difícil".

"Independentemente dessa forma de pensar das equipas italianas, a Roma tem sofrido golos nos últimos 30 jogos. Temos de estar preparado para um adversário que, em alguns momentos do jogo, vai defender o resultado que lhe é favorável, e, se necessário, aplicarmos ainda mais poder ofensivo", partilhou.

Para esse poder ofensivo, o treinador do FC Porto já pode contar nesta segunda mão da eliminatória, com o avançado Marega, algo que valorizou, mas não considerou determinante.

"A nossa confiança não tem de ver com um determinado jogador, mas sim com um trabalho diário, com a nossa exigência, rigor e capacidades. Nos últimos jogos, tenho utilizando elementos sem muitos minutos e a resposta tem sido excelente, tirando o último resultado. Ter mais soluções é bom, mas não é decisivo, o que conta é o coletivo", vincou.

E para esse coletivo, Sérgio Conceição elegeu a "eficácia" como palavra chave para o jogo desta quarta-feira de forma a garantir a passagem aos quartos de final da competição.

"Temos de ser eficazes em termos ofensivo, chegar com perigo ao último terço e ter as situações de finalização que temos tido, contra todas as equipas. Mas temos de ser eficazes também a defender, sendo agressivos. Esse equilíbrio vai ser fundamental", advertiu.

Com Aboubakar como a única baixa confirmada para este encontro, Sérgio Conceição não esclareceu se vai promover os regressos à titularidade de Éder Militão, Soares e Danilo, que foram suplentes na derrota caseira frente ao Benfica (2-1), para o campeonato, assegurando que não transmitiu uma especial mensagem de motivação ao plantel.

"Não preciso passar uma mensagem ou descobrir palavras ao baú para todos perceberem que é um jogo decisivo. Melhor motivação do que essa não existe. Depois, é importante termos os adeptos do nosso lado, ajudando-os a sentir que a equipa está com tudo para ganhar o jogo", rematou o treinador dos ‘dragões'.

O FC Porto recebe a Roma, na quarta-feira, a partir das 20:00, na segunda mão dos ‘oitavos’ da Liga dos Campeões, depois de ter perdido na capital italiana por 2-1, com dois golos de Zaniolo para os romanos e Adrián López para os portistas.

O jogo vai ser arbitrado pelo turco Cüneyt Çakir.