Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

O Bom, o Mau, o Herói e o Vilão do FC Porto-Mónaco

No jogo de apresentação da equipa aos sócios, no Dragão, o FC Porto foi derrotado pelo Mónaco, com o único golo do jogo a ser marcado pelo internacional português Gelson Martins

tribuna expresso

Carlos Rodrigues

Partilhar

O bom

Com a viagem à Rússia já próxima (7 de agosto), o onze escolhido por Sérgio Conceição foi, em teoria, aquele que o técnico portista considerará o mais forte para iniciar a competição oficial - Vaná Manafá, Pepe, Marcano, Alex Telles, Romário Baró, Danilo, Sérgio Oliveira, Luís Diaz, Corona e Soares - e aí é particularmente relevante encontrar Baró, jovem de 19 anos que tem jogado encostado ao corredor direito, tendo características de médio centro.

Próximo do golo na primeira ocasião portista, Baró esteve em destaque na primeira parte, com outro jovem a ser o destaque da segunda parte: Fábio Silva - outra vez. O jovem de 17 anos entrou em campo como se fosse dono do ataque, mexendo no jogo e até levantando rapidamente Soares do chão quando o colega falhou uma oportunidade.

Por fim, a exibição coletiva: o FC Porto foi sempre superior ao Mónaco, apesar do resultado desfavorável.

O mau

Na verdade, não é relacionado com o jogo propriamente dito, mas poderia ser, já que o provável titular seria ele: Diogo Costa está lesionado (magoou-se no treino) e teve de ser Vaná a assumir a baliza. Na ausência de Casillas, Sérgio Conceição tinha apostado mais em Diogo, pelo que esta é mais uma preocupação para o treinador portista.

Outra preocupação é a forma como o FC Porto sofre o golo. Sim, ele é o central mais experiente do FC Porto e sim, Sérgio Conceição não vai abdicar dele, mas Pepe é o menos hábil dos centrais portistas na construção. E, desta vez, essa questão custou mesmo um golo, já que Gelson Martins marcou depois de uma perda de bola do central portista perto da área.

O herói

Foram dois, por terem sido os mai aplaudidos na apresentação pré-jogo: Fábio Silva, que já é claramente a nova coqueluche portista, e também o jovem Tomás Esteves, que surgiu com o mítico número 2 na camisola, o que é sinal de que será aposta. E outro dos mais aplaudidos foi... Danilo, pelo que não há sinal de problemas junto dos adeptos depois da zanga desta semana com Sérgio Conceição - e o capitão completou 90 minutos num bom nível.

O vilão

É provavelmente o jogador portista mais consistente; é, também, o que deve ter a titularidade mais assegurada; e poderia ser, também, alguém a figurar como o herói da noite, pela exibição que foi tendo, mas, esta noite, acabou por ser também vilão, por uma razão muito simples: falhou o penálti que permitir ao FC Porto empatar o jogo. Alex Telles personificou, assim, um outro vilão sem rosto que parece andar a assombrar o jogo portista: a ineficácia ofensiva - Soares também falhou o empate de baliza aberta... Saudades de Marega? E de Herrera, um médio que tinha uma forte chegada à área para finalizar, algo que falta ao "substituto" Sérgio Oliveira.

  • O novo FC Porto não é mais do que uma cópia do antigo

    FC Porto

    O FC Porto apresenta-se este sábado, no Dragão, frente ao Mónaco (19h, Porto Canal), mas os adeptos não terão muitas dificuldades em reconhecer a equipa de Sérgio Conceição para 2019/20, já que a ideia de jogo mantém-se a mesma, explica o analista Tiago Teixeira

  • Em direto: FC Porto-Mónaco

    FC Porto

    O FC Porto apresenta-se aos adeptos, no Dragão, com um jogo frente ao Mónaco de Leonardo Jardim (19h, Porto Canal). Siga ao minuto na Tribuna Expresso