Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

“Não sei como esta notícia surgiu nas redes sociais”: João Rafael Koehler descarta candidatura à presidência do FC Porto

Ex-presidente da Anje e empresário nortenho afirma ter sido sondado por grupos de associados portistas para apresentar uma candidatura contra Pinto da Costa, que termina mandato em Abril. Koehler, membro do júri do programa Shark Tank, da SIC, defende que é salutar para o clube que surjam um ou mais listas alternativas, mas nega intenção de ir a votos

Isabel Paulo

João Rafael Koehler diz que não subscreveu a candidatura de Pinto da Costa - mas não diz porque não o fez

Rui Duarte Silva

Partilhar

O ex-presidente da Associação Nacional de Jovens Empresário, e ex-administrador executivo da Colquímica, empresa do sector químico da família, afirmou ao Expresso que não irá protagonizar uma candidatura à de Jorge Nuno Pinto da Costa, que termina o seu 14º mandato à frente do FC Porto, em abril. João Rafael Koehler, 47 anos, diz ter sido sondado por vários grupos de adeptos para protagonizar uma candidatura alternativa à liderança portista, mas garante que não vai avançar.

“Não sei como esta notícia surgiu nas redes sociais, até porque nem há eleições marcadas para a presidência do clube e da SAD”, referiu ao Expresso o jurado do Shark Tank. Como “democrata”, João Koelher defende que seria “salutar” para o futuro do FC Porto que “surgissem listas alternativas à da atual direção”, embora se coloque de fora da corrida.

Segundo apurou o Expresso junto de fontes próximas do empresário, João Koelher terá equacionado a apresentação de uma lista alternativa que integraria sócios descontentes com o rumo administrativo-financeiro da SAD, cujos exercícios negativos sucessivos levaram o clube a ser intervencionado pelo Fair Play Financeiro da UEFA, a troika do futebol.

O empresário refuta, contudo, estar a ponderar candidatar-se à presidência dos Dragões, no quadriénio 2020-2024, embora avance que não subscreveu a propositura de recandidatura de Pinto da Costa, lançada no final de 2019 por Fernando Cerqueira, líder histórico da Comissão de Candidatura do presidente portista, que já deverá ir a votos em abril.

Entre os subscritores da 15.ª corrida às urnas do decano dos presidentes do futebol português, contam-se Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto e os ex-treinadores dos azuis e brancos António Oliveira e André Villas-Boas. João Koelher escusou-se a justificar a razão pela qual não assinou a recandidatura do presidente no ativo desde 1982 e que apenas em em 1989 e em 1991 teve uma lista de oposição à sua, encabeçada por Martins Soares.

Em abril de 2016, o candidato solitário Pinto da Costa venceu as eleições por 79% dos votos.