Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

Pinto da Costa pediu a Mourinho para voltar e isso não aconteceu porque o United disse que ‘Mou’ estava contratado. Então e van Gaal?

A história contada pelo presidente do FC Porto ao Porto Canal levanta dúvidas relativamente ao comportamento do Manchester United. Porque, em janeiro de 2016, van Gaal ainda era o treinador em Old Trafford e só viria oficialmente a despedi-lo em maio, após a vitória na final da Taça de Inglaterra

Pedro Candeias

ben radford

Partilhar

Ao Porto Canal, o presidente do FC Porto Jorge Nuno Pinto da Costa contou uma história interessante sobre um regresso de José Mourinho ao FC Porto, apalavrado entre ambos.

Segundo ele, passou-se assim: “Há uns anos, quando ficámos sem treinador a meio da época, abordei o Mourinho, que entretanto tinha assinado com o Manchester United, mas só ia começar na época seguinte. Perguntei-lhe se podia acabar a época e ele aceitou, disse logo que sim. Não foi possível mas não foi por ele. O United não autorizou com o argumento de que estávamos na mesma competição europeia [Liga Europa] e poderíamos ser adversários. Muita gente ignora que, sem colocar qualquer condição, o Mourinho estava disposto a fazer meia época numa emergência”.

Colocando datas, nomes e factos aos relatos de Pinto da Costa, é seguro que isto aconteceu em janeiro de 2016, que o treinador despachado foi Julen Lopetegui – e que, também não estamos errados, Louis van Gaal ainda estava à frente do Manchester United.

O holandês só foi oficialmente despedido um dia depois da final da Taça de Inglaterra que o United ganhou contra o Crystal Palace. “Estou muito desapontado”, disse van Gaal e isto aconteceu a 23 de maio, mais ou menos seis meses depois da conversa entre Mourinho e Pinto da Costa.

Se tudo isto for assim, cristalino, Mourinho e o United celebraram um acordo enquanto Louis van Gaal dirigia a equipa. O que levanta dúvidas sobre o comportamento das gentes de Old Trafford.