Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

Pinto da Costa diz a Varandas para “se dedicar à medicina” e sugere que Vieira poderá “estar com lapsos de memória”

Ao Porto Canal, o presidente do FC Porto criticou Frederico Varandas, pelo que este disse no final do clássico de sábado, e Luís Filipe Vieira, pelo que este disse no domingo à RTP3 a propósito do corte de relações pessoal entre ambos

Tribuna Expresso

MANUEL DE ALMEIDA

Partilhar

Varandas e as críticas à arbitragem no clássico

"Temos de olhar para as pessoas conforme o momento que estão a viver e compreender também o seu passado no próprio clube, como a invasão a Alcochete, um dia negro no futebol português. Só teve um beneficiado, foi o atual presidente do Sporting. Era o médico da equipa, esteve na final da Taça que perderam com o Aves e depois apareceu como candidato à pressão, usando como bandeira um ataque à Juve Leo. Em qualquer claque do mundo há gente má e gente boa, acho incrível fazer das claques um inimigo quando, muitas vezes, são elas que empurram a equipa para as vitórias. Por isso, como é natural, ele tem um peso na consciência, por isso nunca o ouvi lutar pelo público nos estádios. No dia em que Frederico Varandas se dedicar à medicina irá prestar um grande serviço ao Sporting".

A entrevista de Vieira à RTP3

"Achei interessante essa entrevista ter sido feita num programa de debate com um moderador e três representantes, um de cada cube. E curiosamente apareceu o Luís Filipe Vieira como entrevistado num programa que não tem entrevistas. Nem a Benfica TV teve lata de levar o Luís Filipe Vieira a dar uma entrevista. Senão teria de levar os outros candidatos. A RTP talvez não tenha problemas de ética, porque são os portugueses que pagam. Em relação ao que disse sobre o nosso corte de relações, faltou à verdade e só não digo que mentiu porque pode estar com lapsos de memória, porque está a atravessar um período complicado. Aquela reunião que tivemos que ele mencionou, eu, o presidente do Benfica, o presidente do Sporting, o do Braga e o do V. Guimarães e o Antero, foi na Quinta das Lágrimas, em Coimbra. Propício para quem quisesse chorar. Perfeito com Luís Filipe Vieira presente. Foi verdade que se falou num candidato para a Liga, que estava caótica, fruto da gestão de Mário Figueiredo, apoiado pelo Benfica. Todos verificámos que era preciso mudar. Aparece o nome do Luís Duque, que entretanto fala com Vieira por telefone e depois o Vieira passa-me o telefone. A partir daí não há traição, porque o Luís Duque foi eleito presidente da Liga".