Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
FC Porto

Sérgio Conceição: "O Otávio é português, pode ser chamado à seleção e ficaremos muito felizes se acontecer" (e uma história sobre "tangas")

Na antevisão ao encontro com o Vitória, na quinta-feira, Sérgio Conceição desvalorizou o suposto cansaço dos jogadores e mostrou-se favorável à chamada de Otávio à seleção portuguesa, hipótese que Fernando Santos não colocou de lado numa entrevista esta quarta-feira

Tribuna Expresso

Miguel Vidal

Partilhar

Jogo de quinta-feira

“Os jogadores continuam os mesmos mas com um novo treinador, novo modelo de jogo, individualidades interessantes. É um jogo historicamente difícil seja no Dragão ou em Guimarães. É um jogo que queremos ganhar”

Lesionados

“O Zaidu vai ser muito difícil estar disponível. O Otávio também, mas ainda temos algumas horas até ao jogo para perceber se podemos contar com eles”

Otávio na seleção?

“Em relação às escolhas do Fernando Santos cabe a ele decidir mas nós clube ficamos muito contentes quando os jogadores são reconhecidos e chamados. O Otávio é português, pode ser chamado à seleção e ficaremos muito felizes se isso acontecer”.

Superliga

“Já muitas pessoas se manifestaram sobre a Superliga, nomeadamente o nosso presidente. E a partir do momento em que o líder máximo do clube se manifesta temos de concordar e não falar por cima”.

Último jogo difícil

“Jogo difícil, não muito bonito. Disputado, sim. Mas conseguimos o mais importante que foi ganhar, num contexto difícil. Mas já passou e temos de olhar para as dificuldades que podemos encontrar amanhã e que são sempre inerentes àquilo que possamos fazer como equipa. Nas competições internas o jogo depende sempre muito daquilo que nós fazemos, tenho consciência que estando bem nós com maior ou menos dificuldade ganhamos. É uma caminhada onde não nos podemos dar ao luxo de perder mais pontos. Temos de conquistar os nossos e depois fazer as contas no final”

Vitória

“Vamos encontrar um Vitória com uma dinâmica interessante, neste novo modelo que muitos treinadores estão a adotar, com uma linha de cinco, com três centrais e dois laterais a darem muita largura e profundidade, dois médios e três homens na frente. O Estupiñan deverá jogar com o Marcus Edwards e depois há a dúvida se será o André Almeida ou o Rochinha. Jogadores de qualidade e acima da média a nível individual. Boa ocupação de espaços, porque os alas têm características interessantes, aceleram muito com bola. Dentro daquilo que conhecemos esperamos um jogo difícil mas que estará ao nosso alcance. Vai ser um jogo em que o Vitória vai querer atacar. Não vai ser por querer chegar ao 5.º lugar que vai jogar mais aberto”

Saída de João Henriques

“Quando as coisas não correm bem há um elemento que paga sempre, que é o treinador. Isto de falarmos de projetos… é tudo uma tanga. Tudo uma tanga. Não existe projeto nenhum porque dois ou três resultados negativos e as pessoas deixam de ter paciência. Quando se acredita no trabalho de determinada pessoa pode haver ciclos menos bons mas há que ter paciência. Os dirigentes têm pressão dos adeptos e da imprensa e cedem a essa pressão. Quantos treinadores portugueses de qualidade estão sem trabalhar neste momento? O que desejo ao João Henriques e a todos os treinadores que estão sem trabalhar é que tenham esses projetos em que possam mostrar a sua qualidade”

Ramadão

“Há jogadores que cumprem e tem a ver com as suas crenças e religião e eu nisso não me meto porque no tempo da Quaresma também faço o meu jejum. Não tem de criticar nada, só ajudar. Temos o nosso nutricionista que está dentro do assunto e que consegue minimizar. Se é o ideal? Não. Mas há assuntos que tem importância para as pessoas. Nem falo de jogadores, falo de pessoas. Estamos atentos e não é por aí que vai haver problema. Os outros não fazem Ramadão. Viram-nos cansados agora com o Nacional? É que com o Chelsea ninguém diria que estão cansados, pressionámos 90 minutos em todo o campo e de forma organizada, não à toa. Vão estar como o aço”