Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
FC Porto

Sérgio Conceição aposta nos jovens para defrontar o Moreirense

João Mário, Vitinha e Fábio Vieira são titulares num FC Porto que realiza cinco alterações face à formação que actuou de início contra o Atlético de Madrid

FERNANDO VELUDO/EPA

Partilhar

A baixa por lesão de Pepe e a ausência por castigo de Toni Martínez já obrigavam Sérgio Conceição a fazer, pelo menos, duas mudanças face ao onze inicial que apresentou frente ao Atlético de Madrid. Mas o técnico do FC Porto foi mais além, mudando metade dos jogadores de campo da sua equipa, dado que há cinco alterações no onze que entrará em campo contra o Moreirense.

Assim, os jovens João Mário, Vitinha e Fábio Vieira são titulares, tal como o reforço Wendell e Marcano, jogadores que ocupam os lugares de Corona, Grujic e Zaidu, que estão no banco, bem como dos já mencionados Pepe e Toni Martínez, que estão ausentes.

Será a estreia a titular de Wendell pelo FC Porto, bem como as estreias no onze de Vitinha e Fábio Vieira esta temporada em duelos oficiais.

Onze do FC Porto: Diogo Costa, João Mário, Mbemba, Marcano, Wendell; Uribe, Vitinha, Otávio, Luis Díaz, Fábio Vieira; Taremi

Onze do Moreirense: Pasinato; Paulinho, Artur Jorge, Rosic, Abdu Conté; Ibrahima, Fábio Pacheco, Franco; Walterson, Pires, Rafael Martins.

Acompanhe o jogo ao minuto, aqui, na Tribuna Expresso

  • Conceição acha que "o sucesso do FC Porto na Champions" não se deve "à história nem ao peso do clube", mas a "trabalho e organização"
    FC Porto

    Na conferência de imprensa de antevisão do duelo contra o Moreirense (domingo, dia 19, 18:00 horas, SportTV2), o técnico disse que os bons resultados que a sua equipa tem tido na Europa não se devem à experiência, dado que "os números mostram o contrário", pois o FC Porto "tem muitos jogadores jovens e que vieram de clubes inferiores" sem experiência internacional anterior, os quais têm demonstrado "capacidade e a qualidade para jogar na Liga dos Campeões"

  • Duelos de fundo de court
    FC Porto

    O Atlético Madrid - FC Porto pareceu, a tempos, uma daquelas batalhas já passadas entre Novak Djokovic e Andy Murray, duelos intensos e competitivos, como duas paredes sólidas a anularem-se, sem lugar para macramé. Houve muita guerra, pouca baliza, num jogo que sempre teve cara de nulo e acabou sem golos, apesar da equipa portuguesa talvez ter queixas da arbitragem