Tribuna Expresso

Perfil

Quarentena à Capela

A dúvida que atormentou a madrugada de Aníbal Capela: quando se está de quarentena e há um sismo, fica-se em casa ou sai-se para a rua?

Eis a questão que invadiu a cabeça de Aníbal Capela, na noite de segunda-feira, quando sentiu um terramoto com intensidade de 4.3 na escala de Richter em Cosenza, Itália. O sismo teve 23 réplicas e, perante tal situação, o português ficou aturdido: "Coronavírus, quarentena, tens que estar em casa; terramoto, não convém estar em casa. O que faço?" Este é o segundo episódio da rubrica "Quarentena à Capela"

Diogo Pombo

Partilhar

O vídeo de Aníbal Capela chegou tarde, já de madrugada. Passava das 2 horas da manhã em Itália, a hora a que a terra tremeu, a casa do português balançou, em Cosenza, e na sua cabeça abanou uma dúvida paradoxal - nesse momento, era uma pessoa a cumprir a ordem de quarentena em casa, devido ao coronavírus, mas, de repente, também era alguém recordado de que, em caso de sismo, o recomendado é sair de casa.

Aníbal bem se lembrava de como, em fevereiro, após um terramoto mais forte na região da Calabria, onde se encontra, as autoridades acautelaram a população. "Preveniram-nos, claramente: durmam vestidos e tenham o carro estacionado perto de casa", conta.

O sismo de intensidade 4.3 na escala de Richter sentido, durante esta madrugada, "não teve nada a ver com fevereiro", mas, se durante a atual quarentena "chegar um terramoto de 6 ou 7"? É um problema, conclui o jogador português, porque, como ele, "outras 100 ou 200 pessoas do bairro" sairão à rua e farão exatamente o que não devem enquanto a Covid-19 mantiver Itália em estado de emergência.

Note-se que as medidas de precaução indicadas pelo jogador não são recomendações oficiais.