Tribuna Expresso

Perfil

Quarentena à Capela

O método Wim Hof, ler um livro ou estar de olho na bolsa. Os conselhos de um futebolista para se entreter na quarentena

Ter atenção à respiração, alongar o corpo e, a parte "para campeões", controlar a temperatura do corpo em situações gélidas. É o método que Aníbal Capela, a viver sozinho, recomenda nesta época de isolamento, além da leitura de livros, a jardinagem, o falar com familiares e amigos ou até acompanhar a evolução dos mercados. Este é o quarto da episódio da rubrica "Quarentena à Capela"

Diogo Pombo

Partilhar

O ruído fabricado pela humanidade é pouco. Aníbal vai à varanda e não ouve carros, eles estão todos estacionados. Não há barulho, há "passarinhos que cantam" a serenidade que procura quando vai à varanda de casa, em Cosenza, Itália. Tenta apanhar um pouco de sol todos os dias. Não há desculpas, considera, para "não haver tempo para cuidar de nós". E a forma que o jogador português usa para se auto-tratar é o método Wim Hof.

É o nome do holandês que insiste em dedicar-se uma vida de superação gélida desde os 17 anos, quando mergulhou num lago gelado para tentar controlar a temperatura do corpo, com o poder da mente, coisa que ainda faz, quase pelado, e que Aníbal Capela diz ser "para campeões" e sugeriu que pesquisássemos por nós. O resto, mais amigo de experimentações, é o controlo da respiração, em que "as sensações que acabas por ter são de meditação" e "alongamentos" para puxarem pela flexibilidade.

Há duas ou três alturas do ano em que Aníbal tenta, de facto, superar-se na façanha para campeões. Gaba a serenidade, o foco e os benefícios para a imunidade do método. De quarentena e a viver sozinho, o defesa central português recomenda, também, ler um livro, dedicar-se à jardinagem, nutrir o carinho pela Netflix ou, se lhe cair no goto, "uma pequena ocupação" à qual gosta de se dedicar: "Estar atento às bolsas".